01.01
2012

Roteiro: Portugal

A última viagem de 2011 não poderia ter outro destino: Portugal!! Afinal, faltava muito pouco pra eu voltar pra casa e seria estranho deixar de visitar justamente o país que tem mais ligação com a nossa história.

Foram apenas 3 dias em Lisboa e arredores e o suficiente para me deixar uma boa impressão.

Lisboa e arredores

– Domingo, dia de Natal, sai da Escócia, fiz uma parada em Londres e segui viagem rumo a Lisboa, com a TAP e fiquei em Lisboa mesmo;

– Segunda-Feira fui conhecer Sintra, Cascais e Estoril;

– Terça-feira foi a vez de conhecer a capital Portuguesa e a região de Belém;

– Quarta-feira, acordei e já fui direto pro aeroporto, era hora de voltar pro Brasil.

O que não é nenhuma novidade, Portugal faz parte da União Européia e também faz parte do Acordo de Schengen e brasileiros não precisam de visto para visitar o país por até 90 dias.

Aeroporto Internacional de Lisboa ou Aeroporto da Portela (IATA: LIS) é o maior aeroporto do país e fica bem pertinho do centro da cidade, são apenas 7 km de distância. Tem 2 terminais (T1 – voos internacionais e T2 – voos domésticos e para a União Européia) e existe um ônibus especial que faz a ligação entre terminais de forma gratuita.

Praça de alimentação no aeroporto de Lisboa

Existem 2 opções para ir até o centro de Lisboa: táxi e a linha de ônibus chamada Aerobus. Como eu estava voltando de vez para o Brasil e estava acompanhada das minhas 3 malas, não tive muita escolha, fui de táxi até o hotel.

O hotel em que fiquei hospedada ficava bem próximo a Estação Rossio e a Praça do Comércio, e o valor ficou em 12,50 euros (já incluido o adicional por cada mala, tinha lido na internet que esse adicional ficam em torno de 1,60 euros por mala), o que valeu bastante a pena, no meu caso!

Um dos símbolos do país: Palácio da Pena, em Sintra.

O aeroporto não é muito grande e também não é suuuuuuuper bem sinalizado (comparando com os aeroportos de Edimburgo e os de Londres), mas dá pra se virar tranquilo.

Quando estava chegando em Lisboa, depois de passar pela Imigração, só peguei minhas malas e já sai!

Farol em Cascais

Na volta pro Brasil, depois de fazer o check-in, passar pelo controle de segurança e controle de passaporte, tem um Free-Shop, que não é muuuito grande, mas em compensação para quem quer comprar produtos Portugueses, como os Vinhos do Porto, Moscatel, Licores, todos separados por região, acho que é uma boa opção!

Monumento aos Descobrimentos e a Ponte 25 de Abril

Uma vez em Portugal, algumas palavrinhas geram um pouco de confusão e assim, é importante saber que:

– os Bondes são chamados de Eléctrico,

– o Ponto de ônibus é a Paragem,

– o Ônibus é chamado de Autocarro e;

– os Trens são os Comboios.

Nada melhor do que esse por-do-sol pra fechar a viagem com chave de ouro!!!

Dito isso, é só começar a se aventurar pelo país, que aliás, tem um sistema de transporte público super eficiente e com bastantes opções. Eu andei tanto de trem como de ônibus e pude perceber que tanto as estradas, como as linhas ferroviárias do país são muito boas e estão em ótimas condições!!

E como não seria de se esperar o contrário, o Brasil tem “um pouco de Portugal”, e lá a gente já se sente praticamente em casa!

Bruna Bartolamei
Siga-me

Bruna Bartolamei

Catarinense, mas já morou em Curitiba (8 anos) e em Edimburgo, a capital da Escócia (quase 2 anos). Criou o blog pra contar um pouco mais sobre como foi o seu intercâmbio na terra dos Kilts e das Gaitas de Fole, e também, sobre suas viagens pelo mundo.
Bruna Bartolamei
Siga-me
Postado em Cascais, Estoril, Lisboa, Portugal, Sintra
Booking.com
  1. Joanna 08/02/2012 | 03:47

    Bruna,
    Adorei também esse mini-dicionário, será muito útil em minha viagem, acredito que todos os brasileiros confundem um pouco essas palavras.

Deixe o seu comentário...