31.03
2012

Visita ao Palácio de Buckingham

Entre as milhões de atrações turisticas que existem em Londres, certamente uma das mais populares é a visita ao Palácio de Buckingham que acontece todos os anos, desde 1992, durante o verão Europeu! São apenas 8 semanas, nos meses de agosto e setembro, enquanto a Rainha e o Duque de Edimburgo passam suas férias na Escócia.

Eu tive a oportunidade de visitar o Palácio por dois verões consecutivos, a primeira vez foi em agosto de 2010 com meus pais e meu irmão, e a segunda, no ano passado.

O Palácio de Buckingham é a residência oficial da Rainha Elizabeth II e do Príncipe Phillip, o Duque de Edimburgo, além de ser também o seu lugar de trabalho.

O Palácio, que pertencia ao Duque de Buckingham, foi construido no inicio do século 18, e anos mais tarde foi comprada pelo Rei George III. Não era utilizado com frequencia, já que naquela época o Rei preferia morar no Castelo de Windsor. A primeira Rainha a morar no Palácio foi a Rainha Victoria (por isso tem uma estátua dela em frente ao palácio).

No total, são mais de 700 comodos, e durante a visita temos acesso a apenas 19 deles, que são chamados de State Rooms e fazem parte da ala pública do Palácio, onde a Rainha recebe convidados durante atividades oficiais, como banquetes, nomeações e entregas de títulos. Além disso, ainda são expostos alguns tesouros da Royal Collection como pinturas, esculturas de Canova, porcelas de Sèvres, e movéis super luxuosos.

Em 2010, vimos a exibição principal que prestava uma homenagem a Rainha Elizabeth II, chamada de The Queen’s Year. Lá tivemos a oportunidade de ver como é o dia-a dia de trabalho dela, e pra quem acha que vida da Rainha é moleza, vimos que o trabalho dela é coisa séria, já que ela além de comandar o Estado, também comanda a Igreja e o Exército. Também vimos através de fotos a participação dela em eventos importantes, tanto no Reino Unido como em outros países. Alguns desses eventos ou cerimônias são tão tradicionais, que ela vem repedindo ano após ano, desde que subiu ao trono em 1953. Um dos eventos mais clássicos e tradicionais, é o discurso de Natal feito pela Rainha, que é transmitido todos os anos pela BBC no dia de Natal.

Já no ano passado, os grandes destaques foram a exibição da coleção Fabergé, a Abertura do Parlamento e o vestido de casamento de Kate, a Duquesa de Cambridge. O que mais juntou pessoas, foi onde estava exposto o vestido de noiva, e deu pra ver bem de pertinho, o vestido era todo bordado, super bonito!! E ainda, estavam expostos também os sapatos, brincos e uma réplica do buquê. Uma das coisas que achei mais legal foi a coleção de obras de Carl Fabergé, que além dos famosos Ovos Fabergé, ainda tinha objetos em miniatura, todos feitos a mão. E ainda tinha alguns objetos que a Rainha Elizabeth II ganhou de presente no seu casamento com o Duque de Edimburgo e um caderno que pertencia a Rainha Victoria, onde cada convidado que compareceu ao seu Diamond Jubilee assinou que estava presente.

Ao chegar lá, devemos ir até o Ticket office e trocar o voucher enviado por email pelos ingressos. Há um forte esquema de segurança na entrada do Palácio, assim como é feito nos aeroporto, onde somos revistados. Recebemos o audio-guide, que existem em muitos idiomas (mas não tem em português ainda).

A visita no Palácio começa no Grand Hall e conforme vamos seguindo o trajeto já demarcado e que é unico, vamos escutando um pouco das histórias e curiosidades de cada uma das 19 salas que temos acesso.

Foto retirada do site oficial The British Monarchy. Photo: Derry Moore.

Foto retirada do site oficial The British Monarchy. Photo: Derry Moore.

A Blue Drawing Room, na minha opinião, depois das Escadarias, é uma das salas mais bonitas do Palácio. É aqui onde acontecem as recepção dos convidados para festas, eventos e cerimonias onde a Rainha cumprimenta todos os seus convidados.

Foto retirada do site oficial The British Monarchy

Foto retirada do site oficial The British Monarchy

A parte mais impressionante fica por conta da Grande Escadaria, que foi incluida no Palácio, depois da reforma solicitada pelo Rei George IV, que pediu ao arquiteto John Nash que trasformasse a “simples” casa em um Palácio. A escada é toda folheada a ouro. Inclusive enquanto estamos subindo, nas paredes estão alguns retratos de membros da familia real, que foram pintados e expostos ali a pedidos da Rainha Victoria. Essas obras de arte estão totalmente protegidas por um vidro e com um alarme em cada obra. Parece exagero, mas é assim mesmo, afinal, todo cuidado é pouco.

Foto retirada do site oficial The British Monarchy. Photographer: Derry Moore.

Foto retirada do site oficial The British Monarchy. Photographer: Derry Moore.

Essas escadas nos levam a principal sala do Palácio de Buckingham, a Ballroom, a maior sala multiuso do palácio. O maior evento realizado nessa sala é o State Banquet, onde a Rainha oferece um jantar para o primeiro Chefe de Estado de outro país que esteja visitando o Reino Unido. Outro evento que também se destaca é Diplomatic Reception que acontece todos os anos em novembro, e a Rainha recebe mais de 1500 diplomatas de mais de 130 países, além de membros do Governo Britânico, ex Primeiros-Ministros, os Arcebispos de Canterbury e de York. Outro evento importante é o Investiture, onde cidadões britânicos recebem concecorações e medalhas da Rainha.

Foto retirada do site oficial The British Monarchy

Foto retirada do site oficial The British Monarchy

Ainda podemos conhecer também a Sala do Trono, onde foram tiradas as fotos oficiais do casamento de William e Kate, Salão de Bailes, a Sala de Jantar totalmente decoradas com as obras da Royal Collection, é impossível não ficar impressionado vendo tudo isso tãããão de pertinho!

Foto retirada do site oficial The British Monarchy. Photographer: Peter Smith.

Foto retirada do site oficial The British Monarchy. Photographer: Peter Smith.

Um pouco antes da visita terminar, passamos por um corredor cheio de estátuas e bustos, que nos levam a White Drawing Room. Essa sala é bastante utilizada pela Rainha em audiencias, sejam elas, as semanais com o Primeiro-Ministro, ou com qualquer outro convidado.

Foto retirada do site oficial The British Monarchy

Foto retirada do site oficial The British Monarchy

E pra terminar mesmo a visita, deixamos o audio-guias na saida do Palácio e ainda temos acesso aos Jardins privados da Rainha. Todos os anos, um pouco antes da Abertura de Verão, a Rainha oferece algumas festas e recepções para pessoas comuns, que vem de todas as partes do Reino Unido, pq receberam um convite especial da Rainha para esses eventos.

Ainda durante o verão, é montado um Café provisório para atender os turistas. E é claro que não podemos caminhar pelos jardins, mas podemos ver, enquanto seguimos até a Lojinha de souvenirs.

Ah, e só como curiosidade, a Rainha e o Duque moram em um apartamente privado na parte norte do Palácio. O andar inferior de todo o Palácio é utilizado pelos funcionários do Palácio de Buckingham, assim como a ala sul.

Cada visita dura aproximadamente 2 horas e é feira das 9h45 às 18:30 hrs. Ao comprar o bilhetes, a data e hora da visita já estão especificadas, e se não chegar a tempo, perde a visita!

Obs. 1: todas a fotos da parte interna do Palácio foram retiradas do site oficial The British Monarchy.

Obs. 2: os ingressos para esse ano já estão a venda, e quem pretende incluir o Palácio no roteiro, é bom se apressar, pois os ingressos costumam esgotar rapidíssimo!!

Postado em Inglaterra, Londres
29.03
2012

British Museum

Um dos lugares que não conseguimos incluir no roteiro da nossa primeira viagem à Londres foi o British Museum, então dessa vez ele não poderia ficar de fora!

Aproveitando que a chuva tinha piorado, a essa altura já chovia forte, saimos da Catedral de St Paul e pegamos um taxi até o museu, isso para nao perder tempo no deslocamento e aproveitar ao máximo a nossa.

Acho que ficamos umas duas horas lá, que mal deram pro gasto. Conseguimos ver pouquissimas coisas, pq o museu é realmente enoooorme!

O Museu Britânico, que na verdade poderia ter um nome mais globalizado, abriga desde 1753 mais de 8 milhões de itens. Logicamente que o museu não começou com todos essas peças no seu acervo, ano após ano as peças foram anexadas/compradas/emprestadas ao acervo.

Atualmente, além de peças relacionadas aos períodos romanos, greco e egípcios, a coleção ainda conta com peças relacionadas a Europa, Oriente Médio, e outras tantas ilhas e países do mundo. Além de coleções de alguns objetos como relógios, máscaras, moedas, estátuas, entre outros.

Algumas das coisas que eu mais queria ver no museu eram: a coleção de pecinhas de xadrez que foram encontradas na Ilha de Lewis na Escócia, além do Moai que veio diretamente da Ilha de Páscoa, as Múmias do Egito, a Pedra de Roseta, os Mármores de Elgin, e é claro, a arquitetura do Great Court, obra do arquiteto britânico Norman Foster.

Mas como eu disse no inicio, o tempo que ficamos lá, não deu pra ver tudo isso, é claro! Mas durante a nossa caminhada pelo museu, acabamos encontrado alguma coisa pelo caminho.

E a primeira foi a Rosetta Stone, que tem uma história polêmica, já que o Egito reivindica e quer essa reliquia de volta. Foi atráves dessa pedra que históriadores conseguiram desvendar e decifrar os hieróglifos. Pretando bem atenção, os pesquisadores descobriram que na pedra, o mesmo texto está escrito em três idiomas: hieróglifos egípcios, demótico e grego antigo. A Pedra acabou recebendo esse nome pq foi encontrada nas margens do rio Nilo, na cidade de Roseta, em 1799 pelo exercito de Napoleão.

Muitas estátuas, modelos de totens, totens. O Moai chamado de Hoa Hakananai’a, da Ilha de Páscoa.

E por último o Great Court, com o seu teto de vidro. A construção no centro é onde fica a Sala de Leitura, e foi onde, também, Karl Marx escreveu o Manifesto of the Communist Party.

Abre todos os dias, das 10:00 as 17:30 e nas sextas-feiras até um pouco mais tarde. A entrada é gratuita, somente algumas exposições especiais são pagas. O museu está localizado na Great Russell Street e a estação de metro mais próxima é o Tottenham Court Road/Holborn/Russel Square.

Postado em Inglaterra, Londres
28.03
2012

Londres vista do topo da Catedral de St Paul

Nessa nossa viagem a Londres, um dos únicos lugares que minha mãe fez questão de voltar foi a Catedral de St Paul. Saindo da nossa visita ao HMS Belfast, ainda continuava aquela chuvinha fraca sem graça, mas mesmo assim, resolvemos atravessar o rio Tâmisa e seguir até o coração da cidade, a The City.

A Catedral é um dos melhores lugares, depois da London Eye para ver Londres do alto e de todos os ângulos. O que muita gente não sabe, que ao comprar o ticket, junto com o valor do ingresso podemos visitar a cúpula da Catedral, que rende ótimas fotos da cidade!!

Por lei, nada ameaça a vista que o topo da St Paul proporciona, já que não é permitido nessa área que nenhuma construção ultrapasse a altura da Catedral de St Paul.

Quando falamos na Catedral de St Paul, é impossivel não mencionar Sir Christopher Wren, que foi quem projetou a Catedral na forma como conhecemos hoje em dia, já que em 1666 no Grande Incêndio que devastou boa parte de Londres, deixou também a catedral completamente destruida.

Em seu projeto, Wren incluiu as 3 cúpulas, que hoje em dia se destacam no centro financeiro da cidade. A cúpula central é a segunda maior do mundo, e do alto dos seus 111 metros vemos Londres por inteiro!!

Mas para chegar até lá, é preciso subir mais de 530 degraus, e haja folego, apesar dos degraus não serem tão estreitos como na maioria das Catedrais que visitamos na Inglaterra, eles são muitos!

A primeira parada é na cúpula interna, chamada de Galeria dos Sussurros, que fica exatamente na metade do caminho, e dá uma boa visão da parte interna da Igreja, mas infelizmente não é permitido bater fotos dentro (tem um guardinha fiscalizando o tempo todo), então só indo lá pra ver!! Mas o nome da Galeria pode parecer estranho, mas esse nome tem uma certa lógica, pois a acústica é tão perfeita que dizem que se alguém estiver sussurrando do outro lado do domo, é possível ouvir.

A ultima parada é a Golden Gallery, onde fica a cúpula central da Catedral. No alto dos seus mais de 90 metros de altura é de onde temos uma das melhores vistas de Londres, e isso quer dizer que a London Eye estará incluida na foto!!

Então, fica a dica, uma vez em Londres, é simplesmente imperdível ver a cidade do alto do domo principal da Catedral de St Paul!!

Postado em Inglaterra, Londres
27.03
2012

21º Festival de Teatro de Curitiba

Hoje começa o 21º Festival de Teatro de Curitiba, serão 13 dias de apresentações nos mais diversos teatros, casas de shows, na rua e em museus espalhados por toda a cidade.

A ideia do festival surgiu a alguns anos atrás pq não era muito frequente ter peças de teatro em cartaz em Curitiba, e fui justamente assim que nasceu o festival, totalmente voltado para esse público!

São apresentados tanto peças nacionais como internacionais, além de musicais, show de comédia stand-up, dança, circo, gastronomia e apresentações de rua. E tudo isso pode ser encontrado dentre as “classificações” utilizadas pelo festival, para tornar o evento mais organizado, como A Mostra (onde são apresentadas as principais peças do Festival), Guritiba (com peças voltadas pra o público infantil), Mostra XXX, Gastronomix (com chefs preparando suas especialidades), Fringe (com apresentações de vários grupos de teatros amadores ou não, e normamente as apresentações são gratuitas), Risorama (apresentações de comédia stand-up), Mish Mash (apresentações de mágica, malabarismo e dança) e DeRepente (como o próprio nome sugere, o show é todo feito baseado no improviso).

Uma coisa que acabou colocando o festival em evidência foi a idéia de colocar peças que estariam estreiando no circuito nacional naquele ano na programação, e deu super certo!! Hoje esses espetáculos tem seus ingressos esgotados em questão de dias!

Como forma de atrair ainda mais público, ficou determinado que o festival iniciaria sempre na mesma semana em que acontece a comemoração do aniversário da cidade, ou seja, sempre na ultima semana de março, já que a data oficial de aniversário de Curitiba é em 29 de março.

Este ano são 30 peças incrita na Mostra Oficial, e dessas peças 8 serão estréia nacional, e sem esquecer que serão 02 espetáculos internacionais (Los Pájaros Muertos da Espanha e Gargólios da Inglaterra).

A novidade esse ano fica por conta do “Mostra XXX”, totalmente voltado para o público adulto.

Entre todas as opções, não foi fácil escolher, mas eu acabei comprando ingresso para ver nessa edição foi:

- Deus é um DJ, de Marcelo Rubens Paiva, que faz parte da Mostra principal do Festival e vai acontecer no Teatro da Reitoria;

- Risorama tem apresentação de humoristas de todo o Brasil sob a curadoria de Diogo Portugal. São mais de 30 comediantes que vão se apresentar, entre eles, Marco Luque, Fernando Caruso, Marcelo Madureira.. e sem esquecer de Nany People;

- O Libertino, de Jô Soares, que faz parte da Mostra principal do Festival e vai acontecer no Teatro do Colégio Bom Jesus;

- Namíbia, Não!, com Lázaro Ramos na direção, que faz parte também da Mostra principal do Festival e acontece no Guairinha.

Além é claro, dos 2 ou 3 eventos que eu já pré escolhi, que farão parte do Fringe.

Os ingressos podem ser comprados pelo site oficial e em quiosques de atendimento especialmente montados nos Shopping Muller, Palladium e Barigui. Os ingressos comprados no site devem ser retirados em qualquer um dos Shoppings citados acima.

Então, nessas próximas duas semanas, vamos prestigiar o evento que já virou tradição em Curitiba!!!

Postado em Brasil, Curitiba
26.03
2012

HMS Belfast, em Londres

Em nossa segunda vez em Londres, queriamos conhecer coisas diferentes das que tivemos oportunidade de visitar na ultima vez que estivemos na cidade. Logo depois do almoço, meu pai acabou escolhendo que primeiro iriamos visitar o HMS Belfast (Her Majesty’s Ship Belfast). Ele gosta muito de barcos, é daqueles que tem coleções de barcos, tem aquelas garrafas com barcos dentro pra enfeite, e por ai vai…

Como o tempo tbm já não estava mais tão animador, e começou a garoar, nem pudemos caminhar pelas margens do Tamisa, e acabamos indo rapidinho até o navio.

Pra quem não sabe, o HMS Belfast é um navio de guerra que pertence a Marinha Real Britânica que foi transformado em museu e que está atracado permanentemente na margem sul do Rio Tâmisa, bem próximo a Catedral de St Paul, Tate Modern e Shakespeare’s Globe,  é impossível não ver!!!

Além do HMS Belfast, o Churchill War Rooms e o Imperial War Museum fazem parte dos Museus Imperiais da Guerra, em Londres. Esse museu em especificio conta a história da participação do navio durante algumas missões so redor do mundo, e as mais importantes participações foram durante Segunda Guerra Mundial, Batalha da Normandia, e a ONU chegou a utilizá-lo durante a Guerra da Coréia.

Além disso, também podemos ver como é um navio por dentro, como os marinheiros viviam, o maquinário, e tudo isso ilustrado com a presença de bonecos feitos de cera, dando uma ideia real de como era o funcionamento do navio naquela época.

Há ainda 3 grandes exibições através de paineis que contam um pouco da história das batalhas, vida a bordo do navio e os trabalhos diários feitos pelos marinheiros durante as guerras, há ainda também algumas fotos originais da época, alguns efeitos sonoros, entre outros.

Durante a visita, tivemos acesso a praticamente todas as partes do navio, o trajeto é unico quando entramos no barco, apenas vamos seguindo as indicações.

Quanto a preservação, o navio está em perfeito estado, tanto que podemos andar em muitos dos seus andares através de escadas estreitas, subindo e descendo, sem nenhum problema, quer dizer, o unico problema é que como as escadas são suuuuuper estreitas, o passeio acaba se tornando um pouco cansativo. Mas de qualquer forma, foi justamente essa dificuldade que tornou a visita mais interessante!!

O tour é relativamente longo (devido ao sobe e desce entre seus andares), com duração de 1 hora e 30 minutos mais ou menos. Abre durante o ano todo, porém até inicio de maio deste ano, o navio estará fechado para visitações, pois a passarela que nos leva da margem do rio Tâmisa até o navio desabou e estão construindo uma novinha!

Postado em Inglaterra, Londres
Página 1 de 41234