08.10
2012

Edinburgh Pass

De uns tempos pra cá virou febre essa história de passes em grandes cidades pelo mundo. O esquema aparentemente deu tão certo, que hoje em dia esses passes existem em cidades menores também. Mas no caso de Edimburgo, vale realmente a pena comprar o Edinburgh Pass?

Primeiro de tudo eu gostaria de dizer que eu nunca comprei esse passe em especifico por motivos obvios, pq não fazia muito sentido pra mim, mas quem sabe pode ser util para outras pessoas. Então..

O Edinburgh Pass existe em três configurações: 1 day, 2 days e 3 days. Para cada dia é cobrado um valor diferente, ou seja, quanto mais dias, mais caro fica e mais atrações são possiveis de serem visitadas, é claro. Além dos passes para adultos, existe um passe para crianças também.  Até ai nenhuma novidade, né?

Existem 3 formas de comprar o passe: pela internet no site oficial do Edinburgh Pass, no Visit Scotland Information Centre no aeroporto ou no Centro de Informação Turistica que fica na Princes Street (na mesma quadra em que fica a Waverley Station e o acesso é feito pela parte que fica de frente para a Loja Top Shop).

As vantagens de comprar o passe:

– economia em mais de 30 atrações espalhadas pela cidade, além de algumas ofertas especiais como por exemplo descontos ao escolher um tour com empresas locais para outras cidades na Escócia ou até mesmo tours pela cidade ou desconto em alguns bares e restaurantes (poucas opções);

– evita filas, afinal, com o passe o acesso a atração é direto;

– no próprio site é disponibilizado um código promocional, que ao ser digitado na hora da compra online dá direito a 10% de desconto em cada passe que seja de 3 dias;

– ticket do ônibus Airlink de ida e volta (trajeto Edimburgo – Aeroporto e vice-versa). Claro que pra já sair do aeroporto utilizando os descontos do passe no Airlink, o voucher comprado pela internet já deve ser trocado no próprio aeroporto;

– desconto de 2,00 libras nos ônibus do tipo Hop on Hop off.

As desvantagens de comprar esse passe:

– não inclui as duas maiores atrações da cidade: o Castelo de Edimburgo e o Holyroodhouse Palace (somente inclui a Queen’s Gallery);

– os tickets para usar os ônibus da empresa Lothian Buses, empresa responsável pelo transporte publico de Edimburgo não estão incluidos nesse passe. O ticket deve ser comprado em separado.

Minha opinião sobre o Edinburgh Pass: o ideal é listar todas as atrações que realmente interessam ser visitadas e somar o valor da entrada delas e depois comparar o valor total das atrações com o valor sugerido no passe/dia. Infelizmente o fato de o Castelo de Edimburgo e o Holyroodhouse Palace não estarem incluidos torna o passe um pouco menos atrativo. Só vejo vantagem se houver interesse de visitar boa parte das “mais de 30 atrações” em 3 dias, caso contrário não me pareceu ser muito vantajoso não.

** Precisando de hotel em Edimburgo? Inicie as pesquisas aqui.

** Precisando de seguro viagem? Inicie as pesquisas aqui.

** Precisando alugar um carro? Inicie as pesquisas aqui e/ou aqui.

Se você gostou das dicas, ao reservar hospedagem, seguro viagem e aluguel de carro aqui pelo blog, nós ganhamos uma pequena comissão, mas você não paga nada a mais por isso. Obrigada! :D

Posts relacionados:

Todos os posts sobre a Escócia

Todos os posts sobre Edimburgo

Todos os posts sobre Glasgow

Todos os posts sobre as Highlands

Siga o Blog Contando as Horas nas redes sociais:

no Instagram: @brunabartolamei

e curta nossa fanpage no Facebook: facebook.com/ContandoAsHoras

Bruna Bartolamei
Siga-me

Bruna Bartolamei

Catarinense, mas já morou em Curitiba (8 anos) e em Edimburgo, a capital da Escócia (quase 2 anos). Criou o blog pra contar um pouco mais sobre como foi o seu intercâmbio na terra dos Kilts e das Gaitas de Fole, e também, sobre suas viagens pelo mundo.
Bruna Bartolamei
Siga-me
Postado em Edimburgo, Escócia, Transporte público
Booking.com
Deixe o seu comentário...