22.11
2012

Voando com as Cias Aéreas de Baixo Custo na Europa

Lembro como se fosse hoje o dia em que comecei a pesquisar destinos e passagens aéreas para as minhas viagens de final de semana durante o meu intercâmbio em Edimburgo.

Durante esse periodo de pesquisas eu acabei descobrindo o site Fly Low Cost Airlines e gostei bastante. Esse site apesar de levar no nome “Low Cost”, ele não indica apenas as opções de cias aéreas de baixo custo, mas também as cias aéreas tradicionais. Ainda é possivel verificar as opções de voos diretos (muito mais interessante) e voos com conexão.

Norwegian

Então, por exemplo, a primeira viagem que acabei programando foi Edimburgo – Oslo e as unicas duas opções de voos diretos que esse site indicava era com a Ryanair ou com a cia aérea de baixo custo Norueguesa (que eu nem sabia que existia até então), a Norwegian. Nem acreditei que consegui uma passagem por 60,00 libras, ida e volta e incluindo taxas, um achado né? Nem pensei meia vez e tratei logo de reservar com eles mesmo!

Outro exemplo que posso dar é com relação a outra viagem de final de semana, mas dessa vez o voo era entre Edimburgo – Belfast (Irlanda do Norte) e novamente esse site me ajudou. Ali eu acabei descobrindo duas possibilidades: ir de EasyJet e desembarcar no aeroporto Internacional de Belfast (mais afastado do centro da cidade) ou ir de FlyBe e descer no aeroporto Belfast City (literalmente no centro da cidade). As duas opções eram boas, mas acabei optando por ir de FlyBe, já que teria outras oportunidades pra voar com a EasyJet. O valor dessa viagem saiu menos de 45,00 libras ida e volta, incluindo taxas.

FlyBe

Também tive a oportunidade de mesclar cias aéreas de baixo custo em uma viagem, que num primeiro momento mesmo não sendo táo vantajoso com relaçào a valores, acabou se tornando a unica opçao, digamos que mais interessante pra mim. Então, durante o periodo do meu intercâmbio que teve duraçao de 1 ano, eu tive duas semanas de férias, uma semana durante o mês de junho e a outra no mês de setembro. E foi nessa viagem do mês de setembro (Edimburgo – Londres – Split e Dubrovnik – Edimburgo) em que eu resolvi testar essa “mistura” de low costs, onde na ida eu fui de EasyJet e a volta eu fiz com a Jet2. Deu certo, apesar de caro, mas muito mais barato do que se eu tivesse voado com uma cia aerea tradicional, como a British Airways ou Czech Airlines, por exemplo.

Ainda consegui organizar uma viagem inesperada pra Islândia e pra quem acha que mesmo sendo uma viagem pra um lugar tão distante (nem tão distante da Escócia assim) e inexplorado, eu achei uma cia aérea de baixo custo islandesa, a Iceland Express, que fazia o trajeto direto entre Edimburgo e Reykjavik. Claro que mesmo voando com uma low cost, o valor dessa passagem não saiu tããão barato assim, mas as 199,00 libras foram muito bem gastas e aproveitadas com certeza!

Outra cia aérea de baixo custo que tive oportunidade de viajar muitas e muitas vezes foi com a EasyJet. Nem lembro ao certo quantas vezes no total eu voei com eles, mas foram muuuitas. Mesmo sem nunca ter voado com a Ryanair, que teoricamente podemos dizer que é a maior concorrente da EasyJet, eu posso dizer que eu adorei a experiencia, apesar dos pesares de se voar numa low cost.

Depois desses breves exemplos, eu vou tentar explicar como o esquema de voar com uma cia aérea de baixo custo na Europa pode ser bem vantajoso, mas pra isso, é preciso ficar ligado.

→ Escolha do Destino

Tá ai uma coisa que eu tenho que tirar o chapeu pras cias aéreas de baixo custo na Europa, pq não existe um unico e misero lugar naquele continente que eu quisesse ir que pelo menos uma dessas empresas não oferecessem opção de voo. Claro que muitas delas oferecem os mesmos destinos, mas como Edimburgo está longe de ter as milhões de opções que podemos encontrar partindo de Londres por exemplo, essas empresas mesmo assim ofereciam tantas opções que era dificil priorizar. Tinha dias que eu ficava pensando:  eu precisaria de umas 20 semanas de férias no curso e precisaria triplicar o tempo de duração do meu intercâmbio pra poder conhecer tudo o que eu gostaria. Não foi fácil escolher!

→ Comprando a passagem

Diferentemente do que estamos acostumados aqui no Brasil, na Europa o que acontece é o seguinte: quanto mais cedo eu comprasse minha passagem pra um determinado destino, mais barato ela sairia, simples assim! Essa é a principal regra das low costs por lá. Então quando o destino já estiver definido, e de fato começarem as pesquisas no sites dessas empresas, não perca tempo. Viu uma tarifa inacreditável, compra logo, pq se você resolver refazer todo o processo pra ver se aquilo era realmente verdade, com certeza vc vai perder a oportunidade de garantir aquele precinho imperdível, digo isso, pq já aconteceu comigo.

→ Produtos Extras oferecidos durante a compra de uma passagem

Quem já comprou uma passagem em uma cia aérea de baixo custo sabe muito bem que ao longo da compra vão aparecendo milhões de taxas, taxa para embarque prioritario, seguro disso, seguro daquilo e um monte de coisarada desnecessária. Claro que isso só serve pra nos atrapalhar e nos deixar cheios de duvidas. Eu nunca comprei acesso prioritário pra embarque (pagar pra embarcar antes) ou qualquer seguro oferecido, mas se você se interessar é bom ficar ligado e checar com atenção os valores desses produtos extras oferecidos durante o processo de compra de uma passagem.

→ Check in

Se possível, o ideal é fazer online sempre. Algumas cias aéreas cobram (isso mesmo), cobram para fazer o nosso check-in no aeroporto. Então, normalmente quando eu recebia um email dizendo que o check-in pro meu voo já estava aberto, eu fazia o check-in online e salvava o boarding pass no meu email e imprimia na escola de inglês e quando não era possível eu imprimia numa papelaria perto de onde eu morava (valor de 0,10 centavos de libra/folha).

A EasyJet nesse sentido é muito mais tranquila, pq 30 dias antes da data do embarque eu recebia um email dizendo que o arquivo pdf com a minha passagem já estava disponivel para ser imprimido. Então, ao imprimir a passagem, eu consequentemente já estava com o meu check-in feito. Eu achava uma maravilha, afinal, eu já tinha comprado e pago a minha passagem, eu só não iria viajar se eu tivesse morrido, o que não era o caso, é claro!

→ Bagagem

Como em todos os tópicos desse post, esse não teria uma regra diferente. Então, quanto menos bagagem, menos dor de cabeça.

Nas minhas viagens de final de semana, eu sempre levava apenas minha mochilinha, com tamanho normal. Claro que como era uma viagem rápida, já que teoricamente eu sempre viajava na sexta a noite, ficava apenas o sabado todo no destino e no domingo final de tarde ou inicio da noite eu voltava pra Edimburgo, eu conseguia viajar com pouquissima bagagem e nunca tive nenhum problema. Claro que a roupa que eu viajava na sexta era a mesma que eu usava no domingo e eu so levava um muda de roupa pra usar no sabado.

Uma coisa que é importante lembrar é que, ao viajar de low cost, só é permitido levar UMA bagagem de mão. Mas perai, a regra não para por ai não, essa babagem de mão tem um tamanho limite.

Os tamanhos e peso  permitidos para bagagem de mão são: 56 x 45 x 25 cm e no maximo ter 10 kg. Em um primeiro momento, enquanto estamos na fila de embarque, vemos uma caixinha onde, se necessário o pessoal da cia aerea vai pedir pra que se coloque a bagagem de mão ali pra ver se os tamanhos estão de acordo. Eu nunca passei por essa situação, mas já cansei de presenciar cenas desse tipo. Não é muito agradavél, então é bom respeitar as regras, sempre!

Então, pra nós mulheres que costumamos andar com bolsa, não tem jeito, a bolsa também conta como bagagem de mão. Como só é permitido um item como bagagem, a bolsa necessariamente tem que entrar dentro da mochila/mala de mão, pelo menos durante a hora do embarque. Ao chegar dentro do avião podemos retirar a bolsa de dentro da mala/mochila. Nunca tive nenhum problema em fazer isso!

Claro que quem nào conseguir fazer isso,  vai ter que despachar a “bagagem extra” lá no aeroporto, o que significa pagar pra despachar essa mala extra e a taxa cobrada não é nada baratinha, pode ter certeza!

Então pra evitar esse gasto extra e desnecessário de despachar uma mala aos 47 minutos do segundo tempo no aeroporto, a maioria das low costs oferece a possibilidade de pagar pra despachar a mala extra ou que estiver acima da quantidade de kg permitido e o valor é bem mais barato se a gente comprar essa possibilidade online ainda em casa, claro.

Pra quem for despachar a mala, o maximo de kg permitido é 20 kg, mais que isso tem multa.A maioria das cias aereas já tem as tabelinhas de preço de excesso de bagagem online pra verificar os valores extras, então quando desconfiar que a mala vai exceder os 20 kg permitidos, é bom pagar a taxa de kg excedidos online que sai mais barato do que quando tiver que pagar no aeroporto.

→ Corrida pelo assento

Sim, as cias aéreas de baixo custo, ao menos a grande maioria, não trabalha com o sistema de reserva de assentos que estamos acostumados a ver aqui no Brasil ou em outras cias aereas tradicionais. Então, quando faltar uns 30 a 40 minutos pro voo sair, é bom já correr pro portáo de embarque e entrar na fila. Quanto mais cedo a gente consegue entrar no avião, maiores as chances de conseguir um assento na janela. Claro que se o dia estiver chuvoso ou for a noite, não há tanta necessidade pra garantir um lugar na janela, já que teoricamente não vamos ver nada demais. Mas eu sempre preferi voar na janela, então, quando faltava uns 30 minutos pro voo sair eu já estava entrando na fila.

→ Tamanho da poltrona e do avião

Como já dá pra imaginar, o tamanho da poltrona é minusculo e o espaço pras pernas também. Mesmo eu que tenho apenas 1.67 de altura achava o espaço pequeno. Pros rapazes, com certeza esse espaço oferecido é minusculo. Mas fazer o que, pagar menos e querer exigir demais, não dá né? Alguma desvantagem a gente teria.

Quanto ao tamanho dos aviões, tirando os aviões da FlyBe, todos os outros eram na configuração 3 – 3, ou seja, 3 poltronas de cada lado do corredor. Já os aviões da FlyBe são bem menores, e eu já voei desde Edimburgo pra Cardiff num avião com configuraçao 2 – 2 e pra de Edimburgo pra Belfast em um avião com configuraçao 2 – 1.

→ Serviço de Bordo e Entretenimento

Ao contrario das cias aéreas tradicionais, num low cost da vida não são oferecidos lanchinhos de graça, ou seja, se a gente estiver com fome, temos que comprar. Como meu voo sempre saia ou de Edimburgo ou de Londres, a libra e a moeda do país destino eram aceitas, além é claro, do cartão de credito. Eu não tinha costume de comprar nada em voos, exceto na viagem de volta entre Atenas e Edimburgo, que eu passei muito mal no meu ultimo dia em Atenas e na hora do voo eu ainda estava bem ruim. Tive que comprar muita pepsi e bolachinha de manteiga pra ver se amenizava os sintomas. Então, pra me livrar dos euros restantes da viagem, aproveitei pra gastar tudo ali.

Durante o voo também sáo oferecidos produtos do free shop. Se alguém tiver interesse em alguma coisa, é só chamar as moças. O pagamento pode ser feito em dinheiro e cartão de credito.

Quanto ao entretenimento a bordo, como imaginado, não existe. Então se a viagem for longa, como no caso da minha viagem entre Edimburgo – Atenas (que foi a mais longa que fiz) que teve duração de 4 horas, é sempre bom levar uma revista ou habilitar o modo voo no celular, ter bateria suficiente e pronto, o tempo passa rapidinho!

→ Outras considerações

Como eu já tinha conhecimento das regrinhas chatas impostas elas cias aéreas de baixo custo, eu nunca tive nenhum problema, nunca paguei uma taxa extra, nunca fui barrada de nenhum voo e nunca tive um voo cancelado.

As regras são bem claras, estão todas especificadas e bem explicadas na parte chamada FAQ ou Costumer Services em cada site da cia aérea escolhida.

Num primeiro momento é tudo muito chato e enrolado, mas isso acontece apenas na primeira vez em que estamos comprando nossa passagem, já que temos que ler tudo com atenção, depois disso, é tudo meio que automatico.

Em resumo, respeitando as regras, eu acho que vale super a pena pagar menos e viajar mais pela Europa, com certeza.

Posts relacionados:

Como é a Classe Executiva da TAP

Como é a Classe Executiva da TAM

Principais diferenças entre a Classe Econômica e a Classe Econômica Plus da British Airways

Voando com a Classe World Traveller Plus (Classe Ecônimica Plus) da British Airways

Bruna Bartolamei
Siga-me

Bruna Bartolamei

Catarinense, mas atualmente morando em Curitiba-PR. Já morou em Edimburgo, a capital da Escócia por quase 2 anos. Criou o blog pra contar um pouco mais sobre como foi o seu intercâmbio na terra dos Kilts e das Gaitas de Fole, e também, sobre suas viagens pelo mundo.
Bruna Bartolamei
Siga-me
Postado em Dicas de Viagem
Booking.com
  1. guilherme 22/11/2012 | 10:47

    Oi Bruna.
    Não conhecia a página Fly Low Cost Airlines. Só conhecia a http://www.edreams.pt/ que faz coisas semelhantes. Como já escrevi num outro post seu aqui, Só viajarei novamente num low cost quando os assentos deixarem de ser tão estreitos. hahahahahahah se não fosse por esse inconveniente, seria ideal… para mim!!
    Falando nisso, qual lugar ao redor de Edimburgo, você sugeriria para visitar para passar apenas um dia (bate e volta)?
    Obrigado
    Guilherme

    • Bruna 23/11/2012 | 01:10

      Oi Guilherme,

      Você tem razão em não voar com low cost, pq se pra mim os espaços são pequenos, pros homens então, é beeee mais complicado mesmo.

      Eu acabei de voltar de Edimburgo e fiz um day trip pra St Andrews e gostei bastante. Não sei se vc tem interesse em conhecer essa cidade, mas vale muito a pena! É onde fica uma das universidades de maior prestigio da Escócia e foi onde o Principe William e a Kate estudaram e se conheceram e todo aquele blablabla. Além disso, podemos conhecer um dos campos de golf mais antigos do mundo e junto a ele fica o museu do golf. Ainda tem um castelo em ruinas e a catedral que tbm ta em ruinas e que podemos visitar. A cidade em si também é bem bonitinha! Se te interessar, acho que vc vai gostar!

      • guilherme 23/11/2012 | 10:36

        Oi Bruna! Gostei da ideia. Obrigado. No Reino Unido não alugaremos carro. Será que tem trem que faça esse trajeto de Edimburgo para St Andrews? Ou é melhor ir de ônibus?

        Obrigado mais uma vez.

        • Bruna 23/11/2012 | 21:06

          Oi Guilherme,

          Não tem trem, alias, St Andrews não tem estação de trem. O ideal é ir de ônibus até uma cidadezinha proxima e la pegar outro ônibus até St Andrews ou fazer o passeio com uma dessas empresas de turismo (foi o q eu fiz). Eles deram 3 horas livres pra percorrer a cidade da forma como queriamos, sem o guia estar junto e sem contar que no caminho paramos em varios vilarejos, um mais lindo que o outro. Eu adorei!! Daqui um tempo vou escrever um post detalhado sobre isso, mas se precisar de mais alguma info, é só perguntar!

  2. guilherme 24/11/2012 | 01:28

    Obrigado, Bruna.

  3. Nick 27/11/2012 | 08:33

    Oi Bruna, já viajei várias vezes pela EasyJet, achei bem legal o atendimento. O problema é o espaço entre as poltronas, pois tenho 1,90m, imagina o sufoco. E tem um detalhe também, pelo menos nos vôos que eu fiz, as poltronas não reclinam nem um milimetro. Uma vez achei uma passagem super barata no site da Ibéria, entre Barcelona e Paris, comprei na hora. No embarque no aeroporto de Barcelona, o check-in foi feito no balcão da Vuelig, uma Low Cost do mesmo grupo da Ibéria, e na hora de embarcar o avião era da Clickair, outra Low Cost do grupo. Uma tremenda confusão, mas o avião chegou direitinho…rsrsrsrs Bjs!!!!

    • Bruna 28/11/2012 | 01:56

      Oi Nick,

      Realmente, o espaço das poltronas é o maior problema, fora isso, é tudo bem tranquilo, respeitando as regras, claro! Sabe que nunca reparei essa do banco reclinar? Como os voos eram tao curtinhos (na maior parte das vezes que viajei), nem tive tempo de reparar.

      Esse teu exemplo na Espanha tá até parecendo Brasil, se nao prestar bem atenção a gente comprava passagem pela Gol e voava Webjet ehehehehe

  4. Jeany 11/01/2013 | 10:09

    Oi Bruna.

    Estou com uma dúvida. Na EasyJet independente da bagagem que posso despachar (pagando) tenho direito de levar uma bagagem de mão dentro das medidas exigidas pela companhia ou neste caso o limite de 20Kg compreende também a bagagem de mãos?

    Pela a sua experiência caso aconteça algum problema com a bagagem despachada e eu não a receba ao chegar no aeroporto, como devo proceder para recebe-lá eu estando num pacote turistico pela a Europa?

    • Bruna 13/01/2013 | 17:17

      Oi Jeany,

      Eu nunca passei por essa situação, então não saberia te dizer ao certo. Mas no site da Easyjet tem uma parte que fala exclusivamente sobre o assunto bagagem.. Vc já viu?!??!
      http://www.easyjet.com/pt/acerca/bagagem

      Como nunca despachei mala em cia aerea de baixo custo, acredito que o procedimento seja o mesmo que uma cia aerea normal, vc deve preencher um papel onde vc faz formalmente a reclamação de que tua mala foi extraviada antes de deixar a area de desembarque.

  5. Fernanda 29/01/2013 | 20:13

    Oi Bruna,
    Gostei muito do seu blog e ele será bastante útil para minha viagem a Europa em Abril. Em um dos meus destinos irei utilizar a EasyJet e, apesar do seu post ser bem explicativo, fiquei com dúvidas a respeito da bagagem de mão. Vi nas fotos do post que eles utilizam o artificio da caixinha e ela tem as dimensões exatas de uma mala de rodinha, mas estava pensando em levar como bagagem de mão aquelas bolsas de tecido que muitas vezes utilizamos para levar para a academia (duffle bag). Você presenciou pessoas utilizando esse tipo de bagagem? Há algum problema não ter a dimensão exata de 56 x 45 x 25 cm?
    Obrigada e parabéns pelo blog!!!!

    • Bruna 30/01/2013 | 02:33

      Oi Fernanda,

      Já vi mochilas, sacolas, malas de todos os tipos.. Pela descrição que vc faz, esse tipo de babagem é aceita sim, sem nenhum problema.

      Essas dimensões não precisam ser exatas, até pq ninguém mede a bagagem (pelo menos eu nunca vi), mas já vi varias vezes eles colocando bagagens nessas caixinhas ai, isso eu já vi.

      A unica coisa q te digo é pra vc não levar ela lotada de coisas, do tipo quase explodindo, pq se te pedirem pra colocar na caixinha e a sacola não entrar de jeito nenhum, vc tem três opções: jogar coisas no lixo, vestir várias roupas (pra diminuir a quantidade de coisas na sacola – que é muito comum ver as pessoas fazendo isso) ou despachar e pagar a taxa extra cobrada lá na hora.

  6. Tatiana 20/07/2014 | 22:42

    Oi, Bruna.

    Muito legais as dicas que vc postou. Eu acrescentaria mais uma: pela Ryanair, pra quem tem passaporte não-europeu (tipo nós, brazucas) é obrigatório passar no balcão “Visa Document Check Desk” (algo assim) para pegar um carimbo no passaporte antes de embarcar. Sem esse carimbo, turista estrangeiro não pode embarcar e sim, eles fazem vc voltar pro saguão pra pegar o maldito carimbo e vc ainda tem que pagar uma reemisão do bilhete pq o código do que vc acabou de usar não vale mais por já ter sido usado. Que eu saiba, é só pela Ryanair que isso é pedido (não me pergunte pq…). Beijos!

    • Contando as Horas 21/07/2014 | 19:13

      Oi, Tatiana

      Não sabiaaaa e se um dia ouvi algo do tipo, não gravei heheeh Bom saber. Até então eu nunca voei de Ryanair, mas a gente nunca sabe quando vai ter a primeira experiência com eles.

      Obrigada pela dica e pela visita aqui no blog! =D

  7. Patricia 27/09/2014 | 07:38

    Oi tudo bom?
    estou para comprar as passagens pela http://www.whichairline.com/, e gostaria de saber se é mesmo confiavel? eu to achando muito barato tipo de lisboa para dublin 90 reais, é uma passagem so? pq eu tava lendo o termo e falou uma passagem de entrada e outra passagem nao entendi direito, como funiciona? desde ja agradeco

    • Contando as Horas 28/09/2014 | 22:06

      Oi, Patricia

      Nunca comprei nada através desse site, só uso para pesquisar mesmo. A compra eu sempre faço nos sites oficiais de cada cia aérea.

Deixe o seu comentário...