22.08
2013

Viajando sozinha pela Europa

Intercâmbio fechado. Tudo certo pra ir passar uma temporada na Escócia. Preparativos a mil. Programações de viagens pra aproveitar ao máximo os finais de semana também. Isso até chegar o momento de comprar a primeira passagem aérea.

Foi nesse momento que me dei conta de um detalhe: Será que é seguro uma mulher viajar sozinha na Europa? E depois disso a lista de questionamentos que me fazia só aumentou… Será que eu teria algum problema com relação a isso? Como seria enfrentar a imigração nos outros países? Como seria passear sozinha pelo leste europeu (Polônia, Rep Tcheca)? E na Islândia? E em Montenegro? E na Bósnia??? Sim, eu fui até na Bósnia sozinha!

A resposta é unanime: foi muito tranquilo! Muito tranquilo mesmo!

Vendo o por do sol em Zadar, na Croácia

Vendo o por do sol em Zadar, na Croácia

Claro que pra que as coisas de fato fossem sempre assim eu tive que tomar algumas providências, como: organizar muito bem o roteiro de cada viagem (principalmente a questão dos transportes), elevar o meu grau de alerta, não dar bobeira, evitar ao máximo me meter em confusão e saber me virar e agir rápido caso eu enfrentasse algum problema (como quando passei mal e quase desmaiei no meio de uma estação de metro em Atenas!).

Na primeira viagem… Ok, vou ser bem sincera, nas três ou quatro primeiras viagens eu sempre ficava super hiper master mega nervosa. Eu sofro de ansiedade (ninguém merece!), então passava a semana toda pilhada e na vespera nem conseguia dormir direito e tudo isso pq? Pq eu sempre ficava repassando se ia dar tudo certo com a reserva do hotel, se com o check-in, se o voo ia sair (o tempo em Edimburgo é uma desgraça, como todos já sabem!), como seria a imigração nos outros países (e se eu caisse em alguma pegadinha?)… E ainda.. na primeira viagem tive que tomar cuidado com os liquidos e coisas que ia levar na minha mochila… e por aí vai.

Pensa que é fácil se aventurar sozinha pela primeira vez por esse mundão? Até eu “cair na estrada”, de fato, tudo isso era realmente muito “complicado”. Mas aos poucos a gente se acostuma e já nem dá mais bola. Pra ter uma idéia, eu costumava chegar com 3 horas de antecedência no aeroporto de Edimburgo, mesmo com o check-in já feito, com a passagem impressa e sem precisar despachar bagagem. É, vai entender.

Então aqui vão algumas questões que acho que é interessante pensar a respeito antes de viajar sozinha por aí..

– Aeroporto

Todo mundo que vai estudar na Europa sonha em viajar com as famosas cias aéreas de baixo custo. As opções de empresas e destinos são enormes. É de enlouquecer. Uma vez cheguei a dizer aqui em casa que precisaria passar uns 20 anos estudando inglês só pra poder viajar pra todos os lugares que eu queria conhecer nos finais de semana!

Mas pq é importante prestar atenção nos aeroportos? Pq algumas cias aéreas utilizam aeroportos secundários, que na grande maioria das vezes ficam super longe do centro da cidade.

Então por exemplo, Estocolmo, a cidade é servida por dois aeroportos, o Skavsta e o Arlanda. Qual deles é o mais bem localizado? Pois é. Tudo exige muita pesquisa, não dá pra simplesmente comprar a primeira passagem baratex que a gente vê por aí.  Pq por exempo, dependendo do horário que o voo sair ou chegar (geralmente as cias de baixo custo tem ofertas melhores nos voos logo cedo ou nos bem tarde), pode ser que os transportes públicos tenham horários reduzidos e muitas vezes, no inverno por exemplo, a neve atrasa ou até cancela trens ou ônibus. E ai, o que fazer? Não que seja perigoso dormir no aeroporto ou até mesmo se arriscar a pegar um outro tipo de transporte público alternativo, mas é preciso ter cuidado, principalmente se alguma coisa dessas acontecer durante a noite.

Almoçando no Yo!Sushi no Terminal 3 do aeroporto de Heathrow

Almoçando no Yo!Sushi no Terminal 3 do aeroporto de Heathrow

– Hospedagem

Eu sempre procurei me hospedar em hotéis e sempre analisei muito bem a localização de todos eles. Não queria ter que voltar pro hotel, por exemplo em Atenas as 17:00 horas pq as manifestações contra o governo poderiam me intimidar e não me deixariam aproveitar pra sair jantar fora.

Quando não era possivel pegar um hotel numa localização super central, eu ao menos tomava o cuidado em pegar um hotel bem próximo a uma estação de trem (duas ou três quadas de distância no máximo) pra poder ir a pé sem nenhum problema.

– Dinheiro

Minhas viagens de final de semana eram sempre assim: eu viajava na sexta a tarde e voltava no domingo a noite. Então, pra passar dois dias longe de casa, eu não precisava levar uma fortuna em dinheiro.

Assim, em cada viagem que fiz, a primeira coisa que tinha que me certificar era qual é a moeda do país de destino que eu ia visitar (qual a moeda usada na Noruega? E na Polônia? E na Estônia?). Muitas vezes (sempre que possível) eu já trocava euros pela moeda do outro país lá mesmo no centro de Edimburgo e raras vezes troquei lá no aeroporto (as conversões não eram muito vantajosas).

Também tomava o cuidado de sempre levar junto comigo, além de dinheiro na moeda local e mais uns 100,00 euros extra, só pra garantir), um cartão de crédito e o VTM. O outro cartão de credito (eu tinha 2 cartões), por segurança, eu deixava em Edimburgo. Vai que alguém me assaltasse e levasse todos os meus cartões? Não é bom nem pensar numa numa coisa dessas.

Na bolsa eu levava uma parte do dinheiro e um cartão de crédito. Geralmente o VTM (que tinha pouco dinheiro pra sacar) eu deixava na mala/mochila no hotel assim como uma outra parte do dinheiro. Ainda tomava o cuidado de sempre separar o dinheiro, um pouco na bolsa e outra parte na calça jeans.

Isso não é novidade pra ninguém, mas é que se alguma coisa acontecer, um assalto, roubo ou até mesmo perder a bolsa, onde eu iria conseguir outros cartões de crédito rapidamente? A gente tem que pensar em tudo!

Musical Let It be, em Londres

Musical Let It be, em Londres

– Restaurantes, pubs, shows, musicais e peças de teatro

Sempre que possível, sempre fazia questão de jantar fora, de ir em pubs com os meus colegas do curso de inglês, de assitir musicais, shows ou peças de teatro.

Em Edimburgo, nunca tive nenhum problema em voltar pra casa depois de qualquer um desses programas. Sempre voltava sozinha e a pé. E olha que eu morava a uns 20 – 25 minutos a pé da Grassmarket e uns 30 minutos da Rose Street, por exemplo. Nunca passei por nenhuma situação que me deixasse com medo. Nunca ninguém me abordou. Nada. Se a cidade é super segura ou se foi pura sorte, eu não sei dizer exatamente. Mas Edimburgo sempre teve fama de ser muito segura nesse sentido.

Um dos lugares que eu mais tava com medo de fazer qualquer coisa que fosse durante a noite era nos países do Leste Europeu e na Croácia. Tanto que na Polônia não jantei fora nenhuma vez, sempre ia direto pro hotel depois dos passeios. O mesmo eu pensava em fazer na Croácia, mas não foi preciso. Achei tanto Split como Dubrovnik bem tranquilas a noite e não tive nenhum problema. Claro que nunca abusei de ficar até super tarde na rua, então até no máximo 23:00 eu já tava de volta pro hotel.

– Transporte público

Exceto em Londres e nos países escandinavos, nunca me aventurei a andar em transporte público tarde da noite (tipo, depois das 23:00). Nem tanto por medo nas estações ou por estar em um onibus ou vagão de metro com meia duzia de pessoas, mas sim, pq eu tava sozinha. E se alguém resolvesse me seguir no trajeto do metro até o hotel? Ah sei lá, né! É sempre bom pensar o que fazer.

Na verdade, em todas as viagens que fiz durante o intercâmbio, a única vez que passei medo foi no metro em Paris. Isso pq um cara que, olha só a coincidência, me pediu uma info na noite anterior dentro do metro, me “encontrou” no outro dia por acaso na estação de metro de La Defense. Por sorte, eu percebi que ele tava me seguindo e fiquei de olho. Logo que ele percebeu que eu tava ligada, em questão de uns 20 minutos ele desapareceu. Depois desse dia, eu sempre fiquei muito mais alerta!

uma das várias viagens que fiz de avião entre Londres e Edimburgo

uma das várias viagens que fiz de avião entre Londres e Edimburgo

– Fotografias

Pode parecer paranoia, mas eu sempre desconfio de alguém que venha me pedir: “Vc quer que eu bata uma foto tua?” hehehehe Eu nunca aceitava entregar minha máquina quando alguém se oferecesse pra isso. Até eu comprar o tripé, eu sempre tinha que pedir pra alguém bater foto de mim, mas sempre eu escolhia a dedo pra quem eu iria entregar minha camera.

Já pensou se o cara que pediu se eu queria que ele batessse a minha foto saisse correndo e levasse todas as minhas fotos? Meu deus! Acho que eu ia morrer, literalmente.

Então, ao logo das viagens eu desenvolvi uma tática de sempre pedir pra alguma pessoa de uma familia bater foto de mim. Sei lá, sempre achei que era mais seguro assim. Ia ser mais dificil todo mundo sair correndo enquanto eu me arrumava pra que a foto fosse batida, né?

– Conversar com estranhos

Quem não gosta de puxar papo com outra pessoa enquanto tá na fila pra entrar no museu? Ou pra usar o banheiro? Ou pra comprar um sorvete? Geralmente a gente sempre tende a conversar com alguém, certo? Eu não vejo nenhum problema nisso.

Eu sempre conversei ou puxei convesa quando achei necessário. Mas acho importante ter cuidado ao revelar informações. Algumas vezes, uma simples pergunta meio idiota pode ser uma “resposta valiosa” pra ter “problemas” futuramente.

Lembro uma vez, que vi uma mulher sendo observada por dois caras que se faziam sinais. Eu percebi que um deles tava indo pra abordar ela (não sei até hoje se ele ia pedir informação ou se ia assaltar) e resolvi meio que continuar andando e pedir as horas pra ela. Os caras se olharam e não fizeram nada. Fui uma situação estranha, não era nada diretamente comigo, mas só de estar sempre alerta, talvez tenha ajudado essa mulher, sem ela nem sequer perceber ou ainda, a “vitima” poderia ter sido muito bem eu, né?

As vezes, é preciso partir!

As vezes, é preciso partir!

– E pra finalizar…

Se alguém achou que eu escrevi esse post pra desanimar, eu digo que a intenção foi bem ao contrário. Até pq eu nunca tive nenhum problema. Claro que desenvolvi um certo grau de paranóia e to sempre em alerta, mas ao menos posso dizer que sempre deu tudo certo até agora.

E tudo deu tão certo, que vou dizer que viajar sozinho pode ter suas vantagens. Quer ver?

– Flexibilidade: Tava no roteiro fazer tal coisa mais de ultima hora não quer ir? Não tem problema. Quantas vezes eu mudei, troquei, inverti ou não fui simplesmente pq eu tava ou não tava afim de fazer.

– Ritmo:  O museu tá interessante? Ao invés de ficar 2 horas quer ficar o dia todo? Pq não? É só querer, não é necessário convencer e muito menos implorar pra que mais alguém queira fazer a mesma coisa.

– Confiança: depois da quarta ou quinta viagem a gente fica muito mais confiante. Já sabe lidar com alguns perrengues. O fato de observar, ler, conversar com outras pessoas sobre experiências de viagem já nos dão uma boa vantagem em muita coisa.

– Esperteza: Aposto que depois de 4 ou 5 viagens sozinho todo mundo fica mais esperto. É muito dificil dar bobeira. É muito dificil por exemplo cair no golpe das tiazinhas que vem com uma aliança na mão pedindo se por caso ela não é sua… Ah, a gente aprende a ser cuidadoso, a se organizar e a se policiar o tempo todo involuntáriamente.

No começo eu achei que não ia me acostumar a viajar sozinha por conta da minha ansiedade e da mania de ficar repassando tudo mentalmente com medo de esquecer alguma coisa (tipo.. to no ônibus indo pro aeroporto e cadê meu passaporte?). Eu sempre costumava deixar todas essas tralhas obrigatórias de viagem em um unico lugar lá no meu apto de Edimburgo: na mochila. Só tirava as roupas sujas, o resto ficava lá dentro ou ao menos no mesmo armário.

E por fim, as pessoas sempre me perguntam se eu me sentia solitária enquanto tava viajando. Não, nunca! Era tanta coisa pra me preocupar, tanta coisa pra ver, conhecer, visitar, que mal tinha tempo de parar pra comer, quanto mais pra pensar: “ahhh, que podre essa viagem, não tenho ninguém pra conversar”.

Claro que eu sentia falta de ter alguém pra mostar alguma coisa ou dar risada de alguma situação engraçada, mas isso também nunca foi motivo relevante pra me fazer sequer pensar em deixar de ir a qualquer lugar do mundo por eu não ter uma companhia.

Acredite, eu mesma descobri que eu adoro viajar comigo mesma assim, na prática!

Posts relacionados:

Todos os posts sobre Dicas de Viagem

Siga o Blog Contando as Horas nas redes sociais:

no Instagram: @brunabartolamei

e curta nossa fanpage no Facebook: facebook.com/ContandoAsHoras

Bruna Bartolamei
Siga-me

Bruna Bartolamei

Catarinense, mas atualmente morando em Curitiba-PR. Já morou em Edimburgo, a capital da Escócia por quase 2 anos. Criou o blog pra contar um pouco mais sobre como foi o seu intercâmbio na terra dos Kilts e das Gaitas de Fole, e também, sobre suas viagens pelo mundo.
Bruna Bartolamei
Siga-me
Postado em Dicas de Viagem, Intercâmbio, Intercâmbio na Escócia
Booking.com
  1. Gilmara 22/08/2013 | 10:55

    Muito bom o post!!!

    • Contando as Horas 27/08/2013 | 21:27

      Oi, Gilmara!

      Obrigada!!! Esse é um assunto extremamente importante a ser levado em consideração quando estamos decidindo (e criando coragem) de ir morar fora do país.

      =D

  2. Fernanda Scafi 22/08/2013 | 23:36

    O que eu mais gosto de viajar sozinha é justamente poder esticar ou encurtar uma visita, mudar de planos etc sem ter que convencer + ninguém!! É mais fácil decidir onde comer e comprar e para os momentos de solidão, nada melhor do que um livro! (pode ser o guia do local mesmo!) Esse post me deu um saudade de viajar sozinha!! Parei pra pensar e já fez 6 anos da última vez!!!

    • Contando as Horas 27/08/2013 | 21:29

      Oi, Fernanda!!

      Verdade. Como tudo nessa vida, sempre haverão os prós e os contras, mas nesse caso eu acho que os prós prevalecem em vantagem.

      Essa história de solidão pra mim não existe. Com tanta coisa diferente pra ver/fazer, quem tem tempo de se preocupar com isso? hehehe =D

  3. Lara 16/12/2013 | 21:54

    Fale mais do VTM..

    • Contando as Horas 16/12/2013 | 22:04

      Oi, Lara

      Mais pra frente eu vou escrever um post somente sobre o VTM., muito provavelmente vai ao ar em janeiro. =D

  4. Flávia Donohoe 15/01/2014 | 15:54

    Ola Bruna! Eu me sinto igual a ti quando viajo sozinha! Prefiro aproveitar esse meu tempo sozinha do que reclamar da viagem!! Sou como você paranóica e preocupada, sempre fico de olho! Viajar na Europa é bem tranquilo, acho que na América Latina é preciso ter um pouco mais de jogo de cintura e malícia, mas da mesma forma é bem mais tranquilo viajar do que no Brasil! Beijinhos

    • Contando as Horas 16/01/2014 | 03:58

      Oi, Flávia

      Sabe que tirando Barbados, nunca viajei sozinha aqui na América (seja do Sul, Central ou do Norte)? Aqui no Brasil já fui a alguns lugares sozinhas e sempre fico muuuito alerta. Desconfio de tudo, até se alguém vem me pedir informação no aeroporto hehehe

      Agora que já viajei relativamente bastantinho pela Europa, eu vejo que lá é realmente o paraíso, mas claro que é sempre bom ficar ligado.

      =DD

  5. Lisânia 23/01/2014 | 02:00

    Gosto muito do seu blog e suas dicas são valiosíssimas.Eu adoro o continente europeu e quando fui fazer minha primeira viagem fui sozinha em 2012.Suas experiências me inspiraram muito e em outubro de 2013 estive em Edimburgo sozinha e foi muito bom tirando o clima que estava horrível.Chovia e ventava tanvo que as vezes era difícil caminhar,mas adorei cada minuto.Edimburgo é uma cidade linda.Vale muito a pena conhecer.Quem não tiver companhiz pra viajar,vá sozinha mesmo,na europa é bem tranquilo.Nunca tive problemas.Parabéns pelo blog.

    • Contando as Horas 23/01/2014 | 22:46

      Oi, Lisânia

      Uaaauuu!! Que legal!! Fico feliz em saber!

      Eu sou muito suspeita em falar de Edimburgo e da Escócia e da Europa então, nem se fale. Adoro!!!

      E realmente, não tem nenhum problema em viajar sozinha, é tudo muito tranquilo e organizado. Vale muito a pena a experiencia!

      Obrigada pela visita aqui no blog! :D

  6. Marcia Menezes 25/06/2014 | 16:26

    Olá Bruna amei seu blog… show de bola.
    Bruna nunca sair do meu país, mas ultimamente tenho sentido uma imensa vontade… pensei no México em função de um convite de uma amiga virtual… gostaria de algumas dicas/conselhos seus…tudo bem pra vc?
    desde de já te agradeço…

    Atenciosamente,

    Márcia Menezes

    • Contando as Horas 26/06/2014 | 22:35

      Oi, Marcia

      Muito obrigada! Fico feliz!

      Então, eu nunca estive no México. Não sei como as coisas são por lá no dia a dia. Vc precisa pesquisar bem a cidade que vc pretende morar, tenta procurar por pessoas que ja moraram ou ainda morem lá, existem milhares de blogs por ai. Certamente vc vai achar uma pessoa que mora no Mexico.

      Eu estive no Panamá no inicio desse ano e por td que li na internet, achei que foi muito tranquilo. Talvez tenha viajado meio receosa ou tenha me preparado demais pra essa viagem, mas achei td bem tranquilo.

      O México deve ser meio parecido com o Brasil, eu imagino. Deve ter areas de extrema pobreza e com falta de segurança, mas né, pra gnt que sobrevive aqui no Brasil, o Mexico nao deve ser nenhum bicho de sete cabeças.

      Se informa muito bem sobre la, organiza bem a viagem, e fique sempre atenta.

  7. Silvia Elaine 08/08/2014 | 19:44

    Olá Bruna! parabéns pelo seu site.
    Estarei viajando a primeira vez sozinha, e será para a Europa daqui a três semanas! Falo pouco inglês e confesso que estou ansiosa. Obrigada pelas informações que você posta e pelos detalhes de suas viagens sozinha… me sinto feliz e encorajada por você. Obrigada, e espero que eu tenha a mesma sorte que você e que tudo saia bem! Anotei varias dicas suas. Um forte abraço!

    • Contando as Horas 10/08/2014 | 19:53

      Oi, Silvia

      Ahhh, que legal!! Não se preocupe tanto assim. Na verdade, a primeira viagem como é tudo novidade a gente fica mais apreensiva, mas no geral é tudo bem tranquilo por lá. Vc vai adorar! Tenho certeza que vai dar tudo certo! Aproveite!! Qualquer coisa, uma hora dessas, volta aqui pra deixar as tuas dicas.

      Obrigada pela visita aqui no blog!

  8. Paola Bellucci Ortolan 19/08/2014 | 18:38

    Oii Bruna, tudo bem?

    Nossa, achei seu blog procurando sobre trem entre Londres e Edimburgo e já li umas 5 matérias aqui… estou AMANDO!!!!

    Estou indo dia 13/09 para Londres, ficarei um mês estudando inglês (na Malvern House) e morando em residência estudantil. Depois vou para Edimburgo ficar por mais 1 mês estudando inglês (na Kaplan) e morando em casa de família!!

    Estou muito ansiosa e seu blog está me ajudando muito a organizar a viagem! Estou lendo uma matéria atrás da outra hahaha. Muuuuito obrigada por todas as dicas, parece que você está conversando comigo rsrs a leitura é muito gostosa.

    Vi que você vai em setembro para Escócia, vai ficar até quando?

    Beijoos

    • Contando as Horas 20/08/2014 | 19:02

      Oi, Paola

      Opaaaa, fico feliz que esteja gostando do blog!! Obrigada!! =DD

      Vou ficar na Escócia durante todo o mês de setembro, com uma paradinha antes e depois em Londres. Quem sabe a gente se vê por lá heehehe

      Obrigada pela visita aqui no blog!

  9. Carla 30/08/2014 | 00:59

    Oi, Bruna. Adorei este post!!! Estou programando minha 3a viagem sozinha. …e se Deus quiser vou conhecer a Alemanha e passar o ano novo em Berlim. Suas experiências me fizeram recordar as outras viagens, as neuras da primeira vez, o choro ao desembarcar sozinha em Londres…. e principalmente o fato de descobrir como é bom aprender a se curtir, a gostar de ficar sozinha e não sentir nenhum pouco de solidão. Acho que essa é uma experiência única e que todos deveriam viver um dia. Muito legal o seu blog. Parabéns! bjao

    • Contando as Horas 31/08/2014 | 21:46

      Oi, Carla

      A primeira viagem sempre é mais sofrida, né? Muitas novidades e preocupaçoes que se misturam deixando a gente bem ansiosa.

      A Europa é um ótimo lugar pra começar a se virar sozinha por esse mundão. É tudo muito organizado e geralmente, a maioria dos países são bem seguros, inclusive para mulheres que viajam sozinhas.

      Obrigada pela visita aqui no blog! :D

  10. Bruna Petro 30/10/2014 | 12:01

    Olá, Bruna,
    Adorei seu post! Minha primeira viagem sozinha foi aos 19 anos, quando larguei tudo e me mandei para a Argentina.
    Agora, alguns anos depois, farei minha primeira viagem, novamente só, para a Alemanha. Confesso que estou com um pouco de medo, apesar de ser país de primeiro mundo, será tudo novo para mim!
    Suas dicas foram muito valiosas.
    Parabéns!

    • Contando as Horas 30/10/2014 | 15:45

      Oi, Bruna

      Eu já estive na Alemanha, é um país bem seguro. É bem fácil encontrar diversas pessoas que viajam sozinhas também. O país é bem seguro, mas claro, sempre é bom ficar atento. Mas não há necessidade de preocupação extrema. Pode ir tranquila!!

      Obrigada pela visita aqui no blog!

  11. Amanda 30/03/2015 | 11:55

    Muito bom o post! Percebi que vc é paranoica que nem eu!!
    Vou passar duas semanas na europa com uma amiga e queria passar uma a mais sozinha, mas nao sei se terei coragem de viajar! Acho que vou ficar na alemanha, onde ja morei!

    • Contando as Horas 30/03/2015 | 15:00

      Oi Amanda,

      Então, naquela época do meu intercâmbio, eu praticamente só tinha viajado por algumas cidades do Brasil, Argentina e Chile. Era meio novata nesse mundo das viagens independentes. Hoje em dia eu diria que é tudo muito tranquilo. Claro que não dá pra dar bobeira, mas pouquíssimas vezes passei por situações estranhas. Aproveite, a Europa costuma ser mais segura do que a gente imagina!

  12. Mayla 17/04/2015 | 20:23

    Olá, estou visitando seu site em busca de informações.
    Eu queria programar uma viagem com meu marido para ano que vem, nunca viajamos fora do Brasil e apenas eu sei inglês (bem intermediário, mas nada que prática não resolva) e gostaria de saber, qual seria um bom país para nós visitarmos pela primeira vez? E quanto deveríamos economizar para fazermos uma viagem tranquila.

    • Contando as Horas 20/04/2015 | 00:55

      Oi, Mayla

      Eu comecei a viajar pra fora do Brasil aqui na América do Sul, fui a Argentina e Chile. Depois fui no Reino Unido (Inglaterra e Escócia) e só depois disso fui morar em Edimburgo, na Escócia e viajei pra diversos lugares por lá.

      Mas assim, se vc quer começar aqui perto do Brasil, eu particularmente acho que o Chile e o Uruguai (a Argentina e o Peru) podem ser boas idéias.

      Se vc se vira bem em ingles, vc pode ir pra qualquer lugar, seja nos Eua, Canadá, Europa, Ásia, Africa, enfim, tudo depende do que vc gosta de ver/fazer/conhecer.

      Se vc não quer ter muito stress na programação da viagem, eu aconselho visitar apenas um país e ficar pelo menos uns 10 a 15 dias. Reino Unido, Espanha, França, Itália, Alemanha e Suíça podem render uma bela viagem.

      Vc também pode escolher dois países próximos, tipo Portugal e Espanha ou Bélgica e Holanda, esses são bem fáceis de organizar. Vc tbm pode escolher uma das costas dos EUA ou Canada, por exemplo, a costa leste (NYC, Boston, Washington e tal) ou Florida (Miami, ORlando, Key West, fazer um mini cruzeiro de 1 dia pelas Bahamas) ou ainda, a costa oeste indo a CAlifornia. Ja no Canada tbm vc pode dividir da mesma forma, na costa leste vc pode conhecer Toronto, Montreal, Quebec e Ottawa e na costa oeste Vancuver, Victoria, a regiao de Alberta (Calgari e Banff). Como deu pra ver, tem uma infinidade de lugares que vc pode conhecer.

      Vc pode ir a alguma ilha do Caribe combinando com uma conexão no Panamá. Pode ir a Ásia chegando em Cingapura, Hong Kong ou até mesmo fazer uma viagem só pelo Japão. Pode ir a Australia tbm.

      Nossa, lugares e sugestões é o que não faltam. Mas assim, é legal vc ir num lugar mais tranquilo e de facil acesso e que vc nao tenha muita dificuldade em organizar a viagem, pois a primeira vez que a gente viaja pra fora do Brasil a gente ja tem muitas preocupações, ansiedades e nervosismos pra controlar, então não ha necessidade de querer ir pra um lugar onde vc possa passar muito perrengue.

  13. solange 11/01/2016 | 22:54

    Ola Bruna muito legal sua experiencias,e difícil viajar sozinha e também a gente nunca sabe o que nos espera,ja viajei para varios lugares e tambem muito medo,em 2012 fui para Russia la estive meio perdida quanto ao idioma o qual e bem dificil de se falar e interpretar as escritas,mas como foi caindo a noite e eu estava sozinha senti naquele momento uma coisa ruim pairando no ar tentei me apressar quanto a encontrar um Hotel ou pousada estava perto de Kiev,aquele lugar e lindo de dia mas sombrio a noite,la estava eu reclamando em portugues foi quando uma senhora me respondeu em portugues fiquei surpresa e a abracei e ela me disse aonde estava indo disse que estava viajando como mochileira e que iria para Kiev depois de la seguiria para Londres,ela me perguntou se conhecia alguem por la ,respondi que nao,ela me ofereceu abrigo aquele dia frio ela era de SP casada com um Russo, e ali fizemos uma otima amizade,mas meu coracao estava inquieto e disse a ela,ela esta senhora me disse que me viu perdida que por aquelas bandas era muito perigoso ainda mais sozinha, e me disse uma coisa SE VC VIAJAR PARA O LESTE EUROPEU NUNCA DIGA QUE ESTA SOZINHA(O) E QUE TEM PARENTES CONTIGO,pois ali e um berco de magia e coisas bizarras pessoas somem,nao quero causar panico nem disseminar algo do tipo,mas ela me disse vou falar com minhas palavras que e cabuloso aquele lugar a noite e percebi que em certo horario fecham as casas e as cortinas, muito mistico mas virado pra maldade,amanheceu e agradeci esta senhora e procurei ir embora o mais rapido possivel……fica aqui meu alo, desculpe falar muito mas eu nunca acreditei nisso mas fiquei perturbada quando a este ocorrido……bjs e fique com Deus…

    • Contando as Horas 13/01/2016 | 15:21

      Oi, Solange

      Verdade! Em qualquer lugar do mundo, não é muito bom dizer que está viajando sozinha. Caso vc realmente esteja sozinha naquele momento, é só dizer que um amigo, irmão ou um parente está chegando ou vai chegar amanhã, ou ainda, que logo mais vc vai encontrar algum conhecido, mesmo que não seja verdade. Eu sempre faço isso, é melhor. Até mesmo quando pego um táxi, eu uso a seguinte tática: pergunto quanto tempo mais ou menos vai demorar pra chegar em um determinado lugar e já digo… então dar pra chegar com tempo pra encontrar fulano de tal. Até hoje sempre tomei muito cuidado com isso, afinal né, viajar pra Europa costuma ser muito seguro, mas não dá pra dar bobeira.

      Obrigada pelo seu relato e visita aqui no blog!

  14. Bárbara Fonseca 01/02/2016 | 02:07

    Olá Bruna! Que demais esse post. Me concedeu um pouco mais de coragem. Estou para viajar talvez só, talvez com uma amiga em julho para Europa. Haverá a Jornada mundial da Juventude Católica na Polônia. E tentei de tudo convencer muitas pessoas a irem comigo. Já perdi muitas viagens por esse medo de estar só. Inclusive não fiz intercambio durante o curso por este mesmo medo, além de ter perdido a outra Jornada que aconteceu no Rio. Agora formada bateu o arrependimento por não ter ido, como você sou mega ansiosa e preocupada. Inclusive bateu o medo por causa dos refugiados com o aumento do índice de estupro na Europa com a chegada deles. Mas enfim… estou tomando coragem para que mesmo assim eu vá e conheça outros países da europa. Muito obrigada pelas dicas e pela injeção de coragem. Pretendo visitar ao menos Roma. E chegar do Brasil por Frankfurt ou Praga. Tens alguma dica? Abraço

  15. Bárbara Fonseca 01/02/2016 | 02:30

    Siiim Bruna, vi aqui que você ainda não veio ao meu estado… Não deixe de conhecer a Paraíba, nosso litoral é lindo :D

    • Contando as Horas 02/02/2016 | 21:51

      Oi, Bárbara

      Sério mesmo, vai! É só vc tomar os mesmos cuidados que já está acostumada a tomar aqui no Brasil. A gente já está acostumada com muitas situações e mesmo involuntariamente a gente já se policia o tempo todo pra que nada de mais grave aconteça. Na Europa, nesse momento, por esses motivos que vc falou, não dá pra dar bobeira mesmo. Eu sempre fui muito medrosa, se acho que posso correr algum risco, prefiro não arriscar. Mas nesse caso, dá um medinho de se largar sozinha por esse mundo, mas pode ter certeza, a Europa é o melhor lugar para vc começar essa “jornada”, pode acreditar.

      Nunca estive em Frankfurt, mas em Roma e Praga, sim. Tem diversos posts aqui no blog, inclusive sobre a Polônia (amei Varsóvia, ainda quero voltar lá em outra época que não seja no inverno!). Vou deixar os posts aqui pra vc ver:
      – Roma: http://contandoashoras.com/categoria/destinos/italia/roma/
      – Vaticano (se prepara psicologicamente pra muvuca hehe): http://contandoashoras.com/categoria/destinos/vaticano/
      – Praga: http://contandoashoras.com/categoria/destinos/rep-tcheca/praga/
      – Polônia (eu já fui a Varsóvia e Cracóvia): http://contandoashoras.com/categoria/destinos/polonia/

      Se precisar de alguma info, se eu souber te ajudar, é só me escrever!

      Verdade!! Ainda não estive na Paraíba… mas devo te dizer que não estive em nenhum lugar do nordeste AINDA. Espero que esse ano consiga viajar pra ultima região do Brasil que está faltando eu conhecer!

      Obrigada pela visita aqui no blog!

      • Bárbara Fonseca 05/02/2016 | 02:13

        Muito obrigada Bruna pela força e recomendações! Se Deus quiser irei, já estou comprando as passagens!Eu vi os posts referentes a Polônia e adorei, lerei o restante! Todo o conteúdo do blog é muito interessante, a propósito eu amei, pretendo continuar visitando! Muitas viagens para você!! :D

  16. Fernanda 07/02/2016 | 11:48

    Oi Bruna! Era justamente esse post que eu precisava kkkkk. A questão é que eu já viajei com a minha família pra França, Espanha, Portugal, Praga, Budapeste, Viena e Montevideo, então sei mais ou menos como me localizar e como as coisas são, mas queria em 2017 fazer uma viagem sozinha mais pro Leste (bósnia, Montenegro, Estónia, etc) ou talvez pra Inglaterra (se a libra ajudar kkkkk). Você acha 19 anos muito nova pra viajar assim sozinha?
    Obrigada!

    • Contando as Horas 11/02/2016 | 21:44

      Oi, Fernanda

      Não sei qual idade é considerado maioridade nesses países, vc teria que se informar sobre isso. Mas se estiver tudo certo quanto a tua idade, não vejo problema. A questão é vc organizar bem a viagem, afinal, esses países tem cultura bem diferente da nossa.

  17. […] de leitura: Viajando sozinha pela Europa. Ao fazer um intercambio na Escócia, Bruna aproveitou para conhecer outros países do continente. […]

  18. Miriam 17/06/2016 | 16:32

    Olá, Bruna.
    Adorei o post. Amo viajar sozinha, mas como tb sou paranoica e não falo e entendo inglês muito bem, ainda tenho bastante medo de enfrentar as viagens solo. Fico com receio de não conseguir me comunicar com os nativos em caso de necessidade. Já percorri a América do Sul e ano passado fiz a Europa ocidental e consegui me comunicar, inclusive errei na saída do metrô de Paris, na volta para o hotel, e depois de andar vários quarteirões, consegui falar o nome do hotel para um nativo e ele me indicou o caminho… rsrsrs. Pretendo fazer um tour pelo Reino Unido em outubro, mas ainda tenho receio qdo me lembro que não falo inglês, e tenho a maior preguiça de retornar às aulas. Será q somente aqueles guias de viagem irão me ajudar? Um abraço.

    • Contando as Horas 18/06/2016 | 15:52

      Oi, Miriam

      Olha, quanto mais organizada tiver essa tua viagem, mas fácil vc se vira em um novo destino (falando ou não inglês perfeitamente bem). Claro que o ideal é ter o mínimo de conhecimento pra ler placas ou informações mais básicas. Organizar uma viagem ao UK, é muito simples, principalmente pra quem quer se aventurar sozinha. Tem muita informação na internet, o que facilita bastante, eu sei por experiência própria. Vc não vai ter problemas com isso. Mas como te disse, o básico de inglês pra se virar é necessário, principalmente na hora de comprar algo, de ir a um restaurante, pedir uma informação e tal.

  19. Roseli Fonseca 04/07/2016 | 21:16

    Gostei muito de ler sobre suas ansiedades e cuidados, parece que eu escrevi 80% desse texto, também sou muito preocupada e sempre atenta a tudo, sem deixar de aproveitar cada segundo da viagem. Já fiz várias mas nunca tive coragem de viajar sozinha, exceto pra Miami, quando todos desistiram devido ao surto da gripe suína (2009). Sempre sonhei em conhecer o mundo, mas tenho medo de voar e isso me trava pra ir sozinha, encontrar companhia que curta os mesmos passeios não é fácil, mas agarro toda e qualquer oportunidade para viajar, principalmente ao exterior.

    • Contando as Horas 06/07/2016 | 16:03

      Oi, Roseli

      Hoje em dia, mesmo na Europa, um lugar relativamente seguro, a gente precisa estar sempre atenta. Não tanto quanto em cidades brasileiras, mas não dá pra dar bobeira.

      Quando eu fui fazer o intercâmbio, também morria de medo de viajar sozinha. Mas tive que decidir: encarar isso ou ficar em casa sonhando com esse intercâmbio. Preferi arriscar. Adorei viajar sozinha. Sempre que tenho oportunidade, viajo sozinha ou com quem quer que seja, mas não deixo de viajar. É uma das poucas coisas que realmente gosto de fazer. Crie coragem. Faça uma viagem sozinha aqui perto, no Brasil mesmo, ou talvez no Chile, Argentina ou Uruguai, assim vc perde o medo. A primeira, segunda e até terceira viagem são as mais difíceis, mas depois a gente acostuma, pega o jeito e ai o que complica depois, é viajar com outras pessoas hahaha =D

  20. Lucilia 14/07/2016 | 00:54

    olá, nossa dei risada da maneira que fala das neurose e me identifiquei em mtas coisas. vou pela 1 vez em setembro.!!!
    vou ler o blog inteiro.

    • Contando as Horas 14/07/2016 | 01:08

      Oi, Lucilia

      Hahaha Eu sou meio louca nesse sentido, acho que é trauma das duas vezes que fui assaltada aqui em Curitiba. Então, to sempre alerta!

      Mas o negócio é não dar bobeira, ficar ligada… Felizmente, eu nunca tive nenhum problema nas minhas viagens pela Europa!

      Obrigada pela visita aqui no blog!

Deixe o seu comentário...