21.07
2014

Polônia: Cinco Atrações Imperdíveis em Varsóvia

A Polônia nunca esteve no topo da minha lista de países para conhecer na Europa. Acontece que no tempo que morei em Edimburgo, tive alguns colegas poloneses e ai a coisa mudou. Lembro de ter perguntado: Pq eu deveria conhecer a Polônia? E um colega respondeu: Pq nos vamos ser sede da Euro 2012, o país está um verdadeiro canteiro de obras (garantia de que os transportes e a estrutura para receber os turistas melhorariam), temos um capitulo triste da nossa história que é interessante (os campos de concentração, principalmente Auschwitz-Birkenau), temos uma mina de sal muito famosa (que fica perto de Cracóvia), o turismo religioso ganhou força nas ultimas décadas (o papa João Paulo II era polonês), nos temos o Chopin (que naquele teria comemoração dos seus 200 anos de nascimento) e com a possibilidade de entrar na União Europeia, a Polônia está crescendo e se modernizando. Me convenceu na hora!

SONY DSC

Lembro que quando comecei minhas pesquisas, queria ficar pelo menos uns 7 ou 8 dias lá, mas não seria possível. Então, como fui durante o mês de janeiro e seria inverno, achei que uns 4 dias tava de bom tamanho pra ter uma idéia do seria a Polônia. Desses quatro dias, três eu reservei pra conhecer Varsóvia, a capital do país.

Varsóvia nunca foi muito popular entre os brasileiros, mas por ter sido uma cidade que literalmente renasceu das cinzas, com certeza merece uma visita. A cidade me surpreendeu muito. Nunca imaginei que em pleno inverno europeu eu iria encontrar uma cidade muito bonita, vibrante, moderna e colorida.

SONY DSC

Na minha opinião, cinco atrações são realmente imperdíveis:

5) Palácio Presidencial – Presidential Palace – Pałac Prezydencki: apesar de não ser possível visitar o seu interior, só de ver por fora a arquitetura do edifício (normalmente esses edifícios sempre são muito bonitos) já vale a pena. Além disso, bem em frente a entrada principal tem uma estátua equestre do Príncipe Józef Poniatowski, sem contar nos guardinhas que fazem a segurança, que a cada pouco realizam uma mini-troca da guarda. Hoje em dia o palácio é a residência oficial do presidente da Polônia.

SONY DSC

SONY DSC

4) Palácio da Cultura e Ciência – Palace of Culture and Science – Palac Kultury i Nauki: considerado o edifício mais alto da Polônia, tem 232 metros de altura, divididos em 42 andares. Ele fica exatamente na esquina oposta do hotel onde eu estava hospedada. Foi um presente (de péssimo) gosto dado pela URSS ao país. Dizem os locais que a construção desse edifício teve muita polêmica. A maioria das pessoas de gerações mais antigas não gostam desse edifício, pq ele é um símbolo dos soviéticos na cidade. É possível visitar, entre as atrações estão: deck de observação no 30º andar, tem duas estátuas, uma de Stalin segurando um livro de Karl Marx e uma outra de Vladimir Lenin. Além disso, pra quem se interessar, existe o Museu do Comunismo, que conta um pouco do período comunista vivido no país. Durante o dia,  é um prédio normal como qualquer outro, porém a noite, fica iluminado, com um jogo de cores impossível de não ser percebido. Sem contar que bem no topo do palácio estão 4 relógios, um virado para cada lado da cidade.

SONY DSC

SONY DSC

3) Old Town – Cidade Antiga – Stare Miasto como já diz o nome, é a região mais antiga da cidade. É onde estão as principais atrações da cidade. Vale a pena dedicar um dia inteiro a essa parte da cidade. Ela fica as margens do rio Vístula e é uma área cheia de restaurantes e lojinhas legais. Basicamente o Centro Antigo de Varsóvia é formado pelo Castelo Real, Coluna do Rei Zygmunt, Praça do Mercado, Barbican e as igrejas de St Jonh e Holy Cross.

SONY DSC

Meu tour por essa região começou na Igreja da Santa Cruz (Church of the Holy Cross’ ou Kościół Świętego Krzyża), ela fica bem em frente a uma praça onde tem uma estátua em homenagem a Nicolau Copérnico, aqueeeeele que disse que o sol ficava no centro do universo. A grande atração dessa igreja de estilo barroco fica por conta do coração mumificado de Frédéric Chopin. Dizem que ele tinha muito medo de ser enterrado vivo e antes de morrer fez esse pedido estranho. Foi atendido, e desde então, seu coração está guardado dentro de uma caixa de cristal dentro de um dos pilares dessa igreja. Verdade ou não, o local é sempre muito procurado pelos fãs do músico.

SONY DSC

SONY DSC

Seguindo por essa rua, de longe já é possível ver as duas próximas atrações: o inconfundível Castelo Real de Varsóvia (todo de cor laranja) e a Coluna de Sigismundo. O Castelo Real ou Zamek Królewski já foi sede do parlamento e também já foi residência oficial dos reis da Polônia. Dá pra visitar o seu interior (pago) ou apenas caminhar pelas áreas externas (grátis). A visita no interior do castelo é bem rapidinha, coisa de uma 1 hora no máximo. Os grandes destaques ficam por conta do Hall de Mármore e a Sala do Trono, mas todas as salas são ricamente decoradas com obras de arte e objetos de valor. Já o exterior do castelo é relativamente pequeno e uma volta por ali não costuma levar mais do que 15 minutos.

SONY DSC

SONY DSC

SONY DSC

Em frente ao Palácio Real fica a Coluna de Sigismundo ou Kolumna Zygmunta III Wazy. Como dá pra imaginar, ela presta uma homenagem a um antigo rei, o Rei Zygmunt III Waza, que ficou conhecido por ter transferido a capital do país de Cracóvia para Varsóvia. Um fato curioso é que, durante os bombardeios sofridos por Varsóvia, a coluna e a estátua originais ficaram bem danificadas e tiveram que ser substituída por uma replica. A coluna original (quebrada e em pedaços) pode ser vista no pátio do castelo, já a estátua foi restaurada e colocada de volta ao seu local original.

SONY DSC

Seguindo o passeio, muito por acaso acabei encontrando a Praça do Mercado ou Rynek Starego Miasta, que pra mim é o local mais bonito da cidade. Ela é cercada por casinhas históricas coloridas que dão todo um charme a cidade. Sem contar que, pra ajudar a entrar no clima, existem pessoas que oferecem passeios de charrete. Bem no centro da praça fica uma estátua de bronze de uma sereia e é onde as pessoas se reúnem pra conversar e vender bugigangas.

SONY DSC

SONY DSC

SONY DSC

Depois de deixar a Praça do Mercado, o ideal é percorrer as ruazinhas de paralelepípedo meio sem rumo. Existem diversos restaurantes, lojas, lojas de souvenirs, bares e cafés nessa região.

SONY DSC

SONY DSC

É também nessa parte da cidade onde fica a Catedral de St John the Baptist ou Bazylika Archikatedralna pw. Męczeństwa św. Jana Chrzciciela (entendeu agora pq eu coloco os nomes de tudo em português e em inglês? Pra mim, é impossível decorar esses nomes em polonês!). Ela tem uma fachada bem diferente de todas as igrejas que já vi até então, e olha que já vi e visitei muuuuitas igrejas na Europa. Mas voltando ao assunto, essa catedral é considerada uma das mais importantes da cidade, pois era onde acontecia as coroações e enterros da monarquia do país.

SONY DSC

SONY DSC

Quem tiver interesse em visitar essa catedral deve ficar atento a um detalhe: existe um corredor, o Queen Anna’s Corridor, que foi construído especialmente para que os monarcas pudessem caminhar com tranquilidade entre a catedral e o castelo real. O corredor é bem simples, mas vale a pena percorrer o local pra ter uma idéia de como era o dia a dia dos reis e rainhas a muitos anos atrás.

SONY DSC

SONY DSC

De volta a praça em frente ao Castelo Real, ai é só procurar por parte da muralha que protegia a Cidade Antiga. É nessa parte da cidade onde está o Warsaw Barbican ou Barbakan Warszawskié que era onde ficava os portões de entrada da fortificação. Hoje em dia, essa parte além de estar muito bem preservada, é uma região cheia de ruazinhas charmosas com restaurantes e bares legais. Vale a pena caminhar por ali, principalmente a noite quando a cidade está toda iluminada (quando eu fui, as luzes de natal ainda estavam enfeitando as ruas e atrações por toda a cidade).

SONY DSC

SONY DSC

SONY DSC

SONY DSC

SONY DSC

2) Rota Real começa no Castelo Real e vai até o Palácio de Wilanów. Tem quase 4 km no total e ganhou esse nome, pois era o caminho favorito que os rei poloneses gostavam de fazer para ir de um palácio ao outro. É considerada a principal rua da cidade e ela recebe dois nomes ao longo do seu trajeto: “começa” como Krakowskie Przedmiescie (parte mais próxima ao Castelo Real) e ao longo do trajeto se transforma em Nowy Swiat (mais próxima ao Palácio de Wilanów). Vale a pena reservar um dia só pra passear sem pressa por essa rua. Nela estão centenas de lojas, restaurantes, além é claro, de algumas das principais atrações turísticas da cidade, como por exemplo o Palácio Presidencial, Museu Chopin, entre outros.

SONY DSC

SONY DSC

1) Museu da Insurreição de Varsóvia – Warsaw Rising Museum – Muzeum Powstania Warszawskiego: de todas as atrações de Varsóvia, a que eu mais queria conhecer era esse museu. Ele conta o capitulo mais trágico da história da cidade, mas mesmo assim, vale a visita. É a única atração mais fora de mão que tem em Varsóvia, fica um pouco afastado da Rota Real, do Palácio da Cultura e do Centro Antigo da Cidade, mas como eu estava hospedada perto da estação central, foi tranquilo ir caminhando até lá.

SONY DSC

O museu foi inaugurado em 2004, ano da comemoração do 60º aniversário de um dos capítulos mais tristes da sua história e também presta uma homenagem a todos que morreram durante a luta para tornar a Polônia livre. Foi durante a Segunda Guerra Mundial que aconteceu a Insurreição de Varsóvia, nome dado ao momento em que soviéticos e alemães invadiram a Polônia ao mesmo tempo e praticamente destruíram todo o país, deixando Varsóvia em ruínas e matando mais de 400 mil judeus.

SONY DSC

Os alemães chegaram com tudo na Polônia, já a tática adotada pelos soviéticos foi mais sórdida, pois eles se diziam “aliados” dos poloneses, coisa que de fato eles estavam longe de ser. A verdade era que os soviéticos queriam que os alemães e os poloneses se atacassem e perdessem força para que a conquista fosse facilitada.

SONY DSC

Milhares de judeus foram apreendidos em guetos que foram isolados do restante da cidade por muralhas enormes pelos alemães. Devido a falta de comida e as condições precárias do local, os poloneses não suportaram, muitos morreram de fome, foram torturados, morreram doentes ou foram mandados para os campos de concentração. Vendo toda essa situação, os poloneses não se entregaram facilmente e lutaram bravamente. Em resposta, não demorou muito para que os alemães exterminassem a maioria da população polonesa e destruíssem toda a cidade. Foi mais ou menos nessa época que os soviéticos também chegaram a cidade com o objetivo de ajudar a Polônia, que já estava arrasada. A chegada dos soviéticos de forma lenta “valeu a pena”, pois os alemães fizeram a parte suja do negócio.

SONY DSC

SONY DSC

Como eu disse, a história é muito triste. E é justamente tudo isso que vamos nesse museus. Os fatos são contados através de fotos e vídeos, onde algumas coisas são exibidas de forma mais discreta e de forma indireta (os vídeos não passam num telão), mas  sempre com um aviso de: “contem imagens fortes”. E as imagens são fortes mesmo. Muita gente desnutrida, muita gente com frio, muita gente morta de forma brutal por doenças, que simplesmente eram empilhadas uma a uma. Impossível ficar indiferente aqueles vídeos e fotos. Impossível não se emocionar também.

SONY DSC

Além dessa parte, outros dois grandes destaques do museu, na minha opinião são: o filme em 3D chamado de “A Cidade em ruínas” que simula o voo de um B-25 sobre a cidade, mostrando como Varsóvia ficou depois dos bombardeios que os alemães fizeram na cidade. O video é bem curtinho, dura apenas 5 minutos. Também está em exposição uma replica de um avião Liberator B-24J, que foi bastante usado durante esse período de ataques.

SONY DSC

Outro destaque fica por conta dos sons, que vão desde um coração batendo acelerado, explosões e voos de aviões que bombardearam a cidade. Os sons de alguma forma tentam mostrar como foi o horror vivido pela população da cidade que antes da guerra tinha mais de 1 milhão de habitantes e quando a guerra terminou não restaram mais do que 1 mil pessoas. Dá pra imaginar uma coisa dessas? Claro que nem todo mundo morreu, muitos conseguiram fugir, mas de qualquer forma, é um número impressionante.

SONY DSC

O museu não é muito grande, porém como é um história bem interessante e o museu é bem interativo, eu acho interessante reservar pelo menos de 2 a 3 horas pra essa visita. Ah, e ainda na parte externa, tem um memorial homenageando todas as pessoas que morreram durante esse triste capitulo da história da Polônia e do mundo.

SONY DSC

E ai, depois de ver todas essas fotos atuais de Varsóvia, dá pra acreditar que um dia ela foi uma cidade em ruínas habitada por fantasmas? A Polônia, sem duvida alguma, foi uma belíssima surpresa. Espero um dia poder voltar pra explorar mais do país e rever as cidades que já conheci.

SONY DSC

Roteiro:

Como eu fui no mês de janeiro, o dia era bem reduzido, muitas coisas não abriam e sem contar que era muito frio e chovia muito (chegou até a nevar um pouco no dia que cheguei). Eu tive que adaptar o meu roteiro, que ficou basicamente assim:

Dia 1: Visitei o Palácio da Cultura e Ciência e depois fui caminhando até o Museu da Insurreição de Varsóvia. Pretendia ainda caminhar pelo Parque Lazienki, para ver a estátua de Chopin, mas devido a chuva e ao vento muuuito forte, não foi possível. Pra ter uma idéia, meu guarda chuva até quebrou, tão forte estava o vento naquele dia.

SONY DSC

Dia 2: Aproveitei que não tava chovendo e fui conhecer o Centro Antigo da Cidade, onde está localizado boa parte das atrações da cidade, como: Castelo Real, Praça do Mercado, as Igrejas e o Barbican.

Dia 3: Caminhei meio sem rumo pela cidade, revisitando alguns lugares. Inclusive caminhei por apenas uma parte da Rota Real ou Trakt Królewski, pois não valia a pena ir até o final. Motivo? O Palácio de Wilanów não abre nos meses de inverno. De qualquer forma, ficou um motivo pra eu voltar!

SONY DSC

Outras dicas:

** Varsóvia é bem servida por transporte público, as opções são: ônibus, tram e metro. Eu usei o transporte público apenas uma vez, no dia que fui visitar o Museu da Insurreição de Varsóvia. Na volta peguei o tram, pq o local ainda era meio deserto e decaído, e como já estava ficando escuro, preferi não arriscar.

** Lembrando que a moeda oficial da Polônia é o Zloty. Alguns lugares aceitam o pagamento em euro, mas é bem raro e quando isso acontece, o troco sempre é devolvido em zloty. Um leitor deixou um comentário que fez uma viagem pra lá em 2015 e que o euro já está sendo muito bem aceito.

SONY DSC

** Pra quem gosta de ir as compras, a Polônia é uma ótima opção. Nem tanto por quantidade, número de lojas, mas pelo preço. Lembro que quando tava em Varsóvia, minha mãe pediu pra comprar os cremes que ela usa e os valores eram bem mais baratos do que os que vi no Reino Unido, por exemplo. Muitas lojas de marcas mundialmente conhecida estão presentes em Varsóvia (Sephora, Hugo Boss, Burberry, Furla, Victoria’s Secret, MAC, entre outras). Quem comprar qualquer coisa que custe mais do que 200 PLN, pode pedir o reembolso do VAT no aeroporto. Pra isso, é necessário preencher um formulário pra pode receber o dinheiro quando estiver deixando a União Europeia.

Bruna Bartolamei
Siga-me

Bruna Bartolamei

Catarinense, mas atualmente morando em Curitiba-PR. Já morou em Edimburgo, a capital da Escócia por quase 2 anos. Criou o blog pra contar um pouco mais sobre como foi o seu intercâmbio na terra dos Kilts e das Gaitas de Fole, e também, sobre suas viagens pelo mundo.
Bruna Bartolamei
Siga-me
Postado em Polônia, Varsóvia
Booking.com
  1. Emílio Batista 06/08/2014 | 12:56

    A Polônia me parece ser um país muito interessante, mas pouco visado pelos turistas que vão conhecer a Europa. Eu mesmo já fui ao velho continente, conheço vários países e ñ a Polônia. Mas estou planejando outra viagem a Europa em 2015 e a Polônia está no meu roteiro. Como fui têm muito tempo, ñ lembro o seguro viagem que eu contratei. Quem pode me indicar uma boa empresa? Abç.

  2. jaqueline 14/01/2015 | 21:05

    Oi Bruna..
    Muito obrigadas pelas dicas!
    Moro em Londres e vou pra Polônia neste fds e achei seu texto extremamente detalhista!!
    =)
    Abs!

    • Contando as Horas 15/01/2015 | 01:15

      Oi, Jaqueline

      Obrigada! Fico feliz que tenha gostado do blog! Aproveite a Polônia, especialmente Varsóvia, que foi uma cidade que eu gostei muuito de conhecer!!

      Obrigada pela visita aqui no blog!

  3. PAULA KUCHARSKI 20/04/2015 | 14:45

    Oi Bruna, é realmente muito difícil encontrar textos tão detalhados sobre algumas cidades. Vou em junho pra Polônia passar 4 dias, ficarei hospedada em Cracóvia mas pensei em dar uma esticadinha em Varsóvia depois de ler seu blog. Ah, adorei saber que você, como eu, é catarinense!!!!
    Adorei as dicas sobre a Polônia, e seguirei todas à risca.
    Abraço
    Paula

    • Contando as Horas 21/04/2015 | 18:18

      Oi, Paula

      Obrigada!! Pena que demorei muito pra escrever esse post e tbm, naquela época eu não tirava muuuitas fotos, então não pude dividir o post em categorias de assunto. Mas enfim, acho que o importante está descrito aqui. Tenho certeza que vc vai se surpreender com Varsóvia. Aproveita! =DD

  4. Luis 25/04/2015 | 19:52

    Oi. Além de Varsóvia e Cracóvia, tem algo mais que valha a pena conhecer na Polônia? Obrigado

    • Contando as Horas 02/05/2015 | 07:50

      Oi, Luis

      Certamente deve existir, mas não cheguei a pesquisar nada pq eu tinha apenas 4 dias na Polonia. Perto de Cracovia tem ainda o Campo de Concentração de Auschwitz e as Minas de Sal que eu sei.

  5. Tânia MOnteiro 03/05/2015 | 00:58

    Achei otimo, prático e muito bem detalhado o seu informe sobre Varsóvia. Com certeza vai me ser muito útil durante minha viagem em agosto.
    Aliás, por acaso você ouviu falar de um restaurante medieval em Varsóvia? Estou tentando localiza-lo mas ainda não consegui.
    Se souber, me informe, por favor. Muito obrigada

    • Contando as Horas 04/05/2015 | 12:09

      Oi, Tania

      Ja faz um tempinho que fiz essa viagem, talvez na epoca eu ate soubesse, mas hj em dia ja nao lembro mais.

      De qualquer forma, obrigada pela visita aqui no blog!

  6. Guilherme 29/05/2015 | 22:41

    Olá, muito legal a reportagem!
    estou montando um roteiro e só tenho tempo para uma cidade na Polônia, entre Praga e Budapeste, que acredito que seria Varsóvia ou Cracóvia.
    Na sua opinião, qual dessas vale mais a visita?

    • Contando as Horas 31/05/2015 | 17:39

      Oi, Guilherme

      Hummm.. pergunta muito difícil. Mas assim, agora que já fui nas duas, eu voltaria a Varsóvia, se tivesse que escolher apenas uma. Mas um dia ainda quero visitar a Polônia novamente, achei esse país incrível, principalmente por tudo o que eles passaram durante as guerras e tal.

      Mas Varsóvia merece pelo menos uns 2 a 3 dias, já Cracóvia, em um dia vc consegue ver tranquilo o principal. Vc também pode considerar dessa forma, levando em consideração a quantidade de dias que vai estar na Polônia.

  7. Dora 06/09/2015 | 13:23

    Gostei imenso das dicas e apontei tudo no caderninho. Em breve vou lá passar uns dias. Achas que 2 dicas chegam. Parece-me que Cracóvia tem muito mais coisas para visitar do que Versóvia.

    • Contando as Horas 06/09/2015 | 18:26

      Oi, Dora

      Sim, dois dias da pra ver o principal em Varsóvia. Já Cracóvia parece ter mais coisas, mas como é tudo super perto, em um dia também da pra ver o principal.

      Obrigada pela vista aqui no blog!

  8. Marcelo Castro 05/10/2015 | 19:52

    Obrigado pelas dicas, foi muto útil na minha vinda à cidade. Passei três dias e fiz praticamente tudo que você indicou aqui. Apenas faria uma sugestão de mudança no texto: não sei se porque o tempo passou, mas hoje todos, absolutamente todos, os ligares aceitaram Euro. Não peguei em zloty durante a viagem, nem mesmo taxistas (troco em euros, inclusive). O país não entrou na zona do euro e a moeda oficial continua sendo o zloty mas a aceitação é quase universal!

    Abs

    • Contando as Horas 06/10/2015 | 15:28

      Oi, Marcelo

      Ah é?? Não sabia desse detalhe! Melhor, né?!?! Obrigada pelo comentário, certamente essa info será muito util a outras pessoas que estejam indo a Polônia.

  9. Cristina Pimenta Barros Taccola 12/10/2015 | 11:49

    Muito boa a sua reportagem, as fotos tambems estão ótimas!

    Acabei de voltar de Varsóvia (moro em Estocolmo). Já conhecia outras partes da Polônia quando atravessei o país em direcão a Austria. Mas Varsóvia foi uma experiência legal.
    Assistí Madame Butterfly e fui à vários museus e restaurantes.
    A cidade tem um pulso acelerado e moderno mesmo que o passado está muito presente nas misérias sofridas por este povo.
    A cidade cresceu bonito e tem prédios com arquitetura bonita para tudo o que é lado!
    Sem dúvida vale a pena prestar atencão ao museu de guerra.
    Já fui, mas planejo um dia voltar!

    • Contando as Horas 12/10/2015 | 20:34

      Oi, Cristina

      Obrigada pela comentário! Realmente, a Polônia me surpreendeu muito positivamente, Varsóvia em especial. A gente sabe que eles tiveram tempos difíceis, mas vendo as fotos antigas nos museus e comparando com o que a cidade é hoje, é de se surpreender mesmo. Eu tbm quero voltar um dia pra Polônia, gostei muuuito de lá!

  10. Konrad 31/10/2015 | 14:59

    Oi
    Gostei de suas dicas. Irei a esses locais, entre outros.
    Estou de malas prontas para oito dias na Polônia. Achei um belo hotel em Warsovia – Platinun Residence, o qual tem quarto, sala, cozinha e banheiro com hidro. O custo é de R$ 120,00 (cento e vinte reais para casal, cotado hoje 31/10/2015. Outra coisa, a moeda moeda polonesa vale mesma coisa que o real. Assim não custa caro.
    Quando voltar incluirei novos comentários.
    Obrigado mais uma vez pelas dicas.

  11. Konrad 31/10/2015 | 15:03

    O hotel Platinun é 170,00 a diária.
    Eu havia feito a conversão em dólar, mas a conversão tem que ser feita em euro.

    • Contando as Horas 01/11/2015 | 17:50

      Oi, Konrad

      Legal! Que bom que gostou do post!! Aguardo suas dicas de lá, pois ainda quero muito voltar a Polônia!

      Em tempos de dólar e euro a conversões assustadoras, realmente, esse seu hotel foi um achado!

  12. Victor 29/11/2015 | 22:27

    Oi, estou gostando muito do seu blog!
    Vou para a Polônia em fevereiro e tenho duas dúvidas sobre o reembolso do VAT. Onde eu peço por esse formulário? Preciso então guardar a nota fiscal somente do que custar acima de 200 zloty?

    Obrigado!

    • Contando as Horas 30/11/2015 | 19:25

      Oi, Victor

      Obrigadaaa!! =DD

      Quando vc comprar algo em alguma loja que seja TAX FREE, vc deve pedir o formulário. A vendedora vai te entregar, vc preenche e ela vai fazer todo o tramite (é um pouco demorado). Ai vc precisa guardar os papéis que ela vai te entregar. No dia da viagem de saida da União Européia, no aeroporto, vc deve procurar o local do Tax Free, entregar os papéis que a atendente da loja te deu e mostrar o que vc comprou (vc deve fazer isso antes de despachar as malas, portanto, tem que chegar com bastante tempo no aeroporto). Parece meio complicado, mas é muito tranquilo.

  13. Adriana Teodoro 20/01/2016 | 18:19

    Parabéns pelas dicas da Polônia. Estou indo para lá dia 24/1 e o seu roteiro será o meu tb!
    Fiquei feliz tb pelo comentário falando sobre a aceitação do euro!
    Perfeito!

    • Contando as Horas 20/01/2016 | 22:37

      Olá, Adriana

      Que legal!! Aproveita! A Polônia é suuuper legal! Tenho certeza que vc vai adorar (tirando o friozão! hehe).

      Eu fiz essa viagem no inicio de 2011 e naquela época não era aceito euro em lugar nenhum.Ainda bem que alguns leitores do blog passam aqui pra deixar um comentário, assim as infos ficam atualizadas.

      Obrigada pela visita aqui no blog!

  14. Fernanda 05/02/2016 | 15:29

    Parabéns pelo blog, adorei!

    Estou programando uma viagem à Polônia em Outubro, você acha uma época boa ou me aconselharia outro mês?

    • Contando as Horas 06/02/2016 | 16:53

      Oi, Fernanda

      Obrigada!! =DD

      Acho que pode ser uma boa época sim, afinal, é outono (as cores do outono na Europa são fantásticas!), o pior do calor já passou e o friozão ainda não deu as caras. Acho que setembro e outubro podem ser bons meses pra visitar a Polônia, assim como abril e maio, são épocas com temperaturas mais amenas.

  15. Malgorzata Chmielowska-Magnier de Maisonneuve 22/03/2016 | 07:35

    Eu sou guia turistico da Cidade de Varsovia e achei suas fotos lindas e sua viagem bem contada. Obrigada

  16. Aline Garcez 25/04/2016 | 22:54

    Em Junho vou realizar um grande sonho, conhecer uma parte do leste europeu. Irei a Praga, Polônia, Budapeste e Bucareste. Coloquei Polônia pq irei a Varsóvia e Cracóvia e esse certamente será o meu melhor roteiro, pois tenho uma apreço por estes lugares. Quando eu tinh 12 ou 13 anos, eu comecei a estudar sobre a segunda guerra mundial e lembro q tudo nessa história me impactou e me marcou fortemente, não conseguia acreditar q pessoas poderiam ser mortas por sua cor, raça, crença ou situação física e etc. Eu era uma menina de 12/13 anos q ainda acreditava em príncipes encantados rsrsrsrsrs. Enfim, foi nesta mesma época q comecei a pensar q um dia eu ia querer viajar pelo mundo e conhecer o q havia nele e prometi a mim mesma q se isso acontecesse, se eu tivesse a oportunidade de viajar e conhecer o mundo, eu iria até a Polônia e conheceria esse lugar, onde pessoas foram impedidas de ter esperança e de viver. Não poderia deixar de lado, é uma história q marcou minha vida e marca até hoje, tem pessoas q diz q nunca iria por ser um local triste, mas pra mim é como uma forma de lembrar essas pessoas, elas existiram, elas sofreram e acho q isso jamais deve ser esquecido para q não se repita novamente.
    Adorei suas dicas e vou tentar ir em todos os lugares aqui descrito. Pra mim a Polônia deveria ser uma obrigatoriedade rsrsrs! Abraços

    • Contando as Horas 30/04/2016 | 16:29

      Oi, Aline

      Entendo teu ponto de vista. Compartilho da mesma opinião. Achei a Polônia um país interessantíssimo. Voltei pra casa com uma impressão super positiva de lá. Ainda quero voltar um dia pra conhecer outras partes do país e até mesmo revisitar alguns lugares que já estive.

      Tenho certeza que vc vai adorar o Leste Europeu!

  17. Adelia Assad 11/07/2016 | 21:16

    Oi Bruna. Adorei sei blog. Me ajudou muito.
    Estou planejando uma viagem para o leste europeu, mas só agora percebi como ele é grande e rico. As cidades que vou com certeza são Viena, Praga e Budapeste. Estou em dúvida se desço para a Croácia ou se subo para a Polonia. Vou viajar sozinha mas não por mais do que uns 23 ou 24 dias. O que vc me aconselha ? Tem dicas para Bratislava ? Acha que dá para fazer um bate e volta ?

  18. regina ramos 27/07/2016 | 11:48

    Oi, vou para Varsóvia em outubro e la ficarei 10 dias e adorei suas dicas.
    Como não terei gasto com hospedagem, gostaria de saber qto devo levar de dinheiro para fazer minhas refeições todos os dias fora? Irei levar dólar e la consigo trocar pela moeda do pais?
    Agradeço se puder me responder.

    • Contando as Horas 02/08/2016 | 01:14

      Oi, Regina

      Já apareceu leitores aqui no blog dizendo que o euro já está sendo bem aceito na Polônia, talvez seja uma boa vc verificar se vc deve trocar teus dólares por euros ou por zloty, logo ao chegar lá.

      Esses gastos com comida são relativos, pq depende muito do que vc tem em mente, por exemplo, lanches rápidos, almoços e jantares mais elaborados, comprar comida em supermercado, então tudo isso interfere no valor diário. Mas eu chutaria pelo menos uns 50,00 euros/dia.

  19. Marcos Roberto aranha barros 12/09/2016 | 16:52

    Olá. Me chamo marcos morei por 2 anos em lodz BA Polônia 110 km de varsovia e adoro aquele país. Agora em outubro vou com minha noiva flavia para ela conhecer.

    • Contando as Horas 13/09/2016 | 17:42

      Oi, Marcos

      Ah é? Que legal! Eu tbm gostei bastante da Polônia, espero um dia voltar pra conhecer muitas outras coisas que ficaram faltando.

      Obrigada pela visita aqui no blog!

  20. Ana Goiatá 04/10/2016 | 08:38

    Bom dia, Bruna!
    Estou adorando suas dicas sobre a Polônia e também sobre como se vestir no frio… Você disse que a Polônia é mais barata em relação a outros países da Europa. Estarei viajando com meus pais, marido e filho de 2 anos para Polônia em novembro e estamos com medo do frio. POr isso, optei por deixar para comprar um bom casaco lá mesmo. Você conhece alguma loja que pudesse nos indicar para comprar roupas de frio, om boa relação custo e benefício :), já que não usamos muito aqui… Bjs e obrigada!

    • Contando as Horas 04/10/2016 | 15:39

      Oi, Ana

      Olha, pra não ter erro, eu sempre sugiro a Zara, Urban Outfitters ou a GAP. Normalmente essas lojas tem roupas legais, os preços são bem ok e a qualidade é boa.

      Obrigada pela visita aqui no blog!

  21. Ana Goiatá 07/10/2016 | 10:31

    Obrigada!!! :)

  22. Ana Goiatá 07/10/2016 | 10:50

    Mais uma dúvida, Bruna: Urban outfiters ou Gap têm lojas na Polônia? porque vamos do Brasil direto para a Polônia e gostaríamos de comprar lá…

    • Contando as Horas 13/10/2016 | 01:11

      Oi, Ana

      Agora não vou lembrar se tinham ou não., mas se vc quiser confirmar, pode entrar no site global dessas duas marcas e procurar em Find Stores, deve ter algo lá.

  23. Ana Catarina 25/10/2016 | 06:58

    Retornamos de um tour pelas principais cidades da Polônia,realmente o país é lindo com uma história incrível. País de primeiro mundo. O povo é educado e religioso. Porém o sofrimento da guerra e a reliogidade não ensinaram amar uns aos outros. Poucos falam inglês. Os poloneses na sua grande maioria não sabem receber o turista, são antipáticos e por vezes até grosseiros. Valeu a viagem pelas paisagens e experiência. Mas, não retornaria novamente.

    • Contando as Horas 27/10/2016 | 04:37

      Oi, Ana Catarina

      Sério? Pessoas desse tipo existem em todos os lugares. É uma pena né?!?
      De qualquer forma, obrigada pela visita aqui no blog!

  24. Diogo 21/11/2016 | 09:47

    Oi Bruna vou a Auschwitz com
    Uma excursão saindo de Varsóvia.

    Bate e volta mesmo.
    Gosto de ficar numa região onde a
    Noite possa jantar a pe.
    Ou seja o hotel precisa ser bem
    Localizado.

    Qual vc me indica?
    E qual a melhor região?

    • Contando as Horas 22/11/2016 | 19:17

      Oi, Diogo

      O ideal seria vc ficar perto do Palácio Presidencial ou perto do Castelo, nessa região. É super tranquilo caminhar por ali e tem boas opções de restaurantes nesses lugares.

Deixe o seu comentário...