14.01
2015

Ushuaia: Trilha até a Laguna Esmeralda e uma visita a uma Castoreira

Logo quando eu comecei a procurar sobre quais eram os passeios imperdíveis em Ushuaia, eu me deparei com uma imagem de uma lagoa cor verde esmeralda estonteante. Não pensei meia vez e fui logo tentar descobrir que lugar era esse e como eu poderia ir até lá.

IMG_5111

Visitar a Laguna Esmeralda não era tão simples como eu imaginei. Não é aquele tipo de passeio que a gente vai de carro, desce, aprecia toda a beleza do lugar, bate umas fotos, entra de volta no carro e vai embora. Não? Não! 

SONY DSC

Quem quiser ver toda essa beleza com os próprios olhos, como eu fiz muita questão de ver, deve encarar uma trilha de quase 1 hora e 30 minutos caminhando inicialmente dentro de uma floresta e subindo e descendo pequenas montanhas.

SONY DSC

Depois que eu descobri que não era tão simples ir até lá, achei que talvez seria interessante ter um guia junto com nós. E foi a melhor coisa que fizemos. Fomos num grupo pequeno (acho que tinha umas 12 pessoas no máximo).

SONY DSC

A Trilha acontece no Vale Tierra Mayor e para ir até lá, é necessario ir de carro. O grupo foi dividido em dois jipes, mas apenas uma guia nos acompanhou durante todo o percurso.

SONY DSC

Antes de começar a trilha, quem não estiver usando galochas (por sorte eu levei a minha!), a empresa fornece as galochas. É importantíssimo usar galocha nesse passeio, principalmente se estiver garoando (como aconteceu no dia do nosso passeio) ou tiver chovido recentemente (o que significa praticamente todos os dias!), pois o terreno é muito lamacento.

SONY DSC

A trilha começa por uma floresta fechada, com alguns momentos mais planos e outros momentos de subidas interminaveis. Logo a gente chega em uma area aberta, muito proxima as cadeias de montanhas com picos cheios de neve.

SONY DSC

A trilha por essa parte aberta é mais longa, tem partes mais faceis e partes mais dificeis. Mas nesse caso a dificuldade é mais por causa que o terreno esta muito lamacento e ainda, alguns pontos estão alagados. Fora isso, até que não existe nenhuma difilculdade tão grande.

SONY DSC

Claro que, pra quem não é acostumada a fazer esse tipo de trilha (eu!!!!), alguns momentos são mais tensos, mas nada que se tiver alguem pra auxiliar, não torne o passeio mais “tranquilo”.

SONY DSC

SONY DSC

O trecho final antes de chegar na lagoa é uma subidinha sem vergonha, cheio de pedras, lama e pontos de alagamentos. Mas todo o esforço compensa!

IMG_5123

IMG_5155

Ao chegar na lagoa, a gente ficou mais ou menos uns 30 minutos por ali, tempo que não foi suficiente para que eu apreciasse e tirasse todas as fotos que eu queria! To exagerando! O tempo é suficiente sim, mas é que o lugar é tão bonito, que não dá vontade de ir embora nunca mais.

SONY DSC

Além disso, só de lembrar que tem um trajeto de volta esperando… já dá pra imaginar o desespero que bate!

SONY DSC

IMG_5160

Boa parte da trilha de volta é a mesma, porém quando a gente começa a chegar perto da Castoreira a trilha muda um pouco de direção.

SONY DSC

SONY DSC

A casa dos castores

Os castores não são animais nativos da Patagônia. Antigamente, alguém teve a brilhante ideia de introduzir esses animais vindos do Canadá na região e deu no que deu. Com tooooda a região da Terra do Fogo livre de predadores, esses bichos tomaram conta e começaram a destruir tudo por ali.

SONY DSC

Os castores destroem as árvores pra fazer esses diques de proteção para as suas casas

Pra quem não sabe, os castores são considerados verdadeiras pragas na região. Eles destroem arvores para construirem diques de proteção para suas casas e com isso, vão destruido arvores nativas da região sem a menor cerimonia.

SONY DSC

SONY DSC

Esses bichos tem costume de deixarem suas casas a qualquer hora do dia, mas é no final de tarde que as chances aumentam. Nos ficamos ali uns 30 a 40 minutos, quietinhos, se movimentando na maior lentidão pra não espantá-los.. até que meio que do nada, um castor apareceu mais ao fundo da repressa. Um tempo depois, o segundo castor deu as caras e adivinhem?!?! Foi praticamente na minha frente! Nada que um pouco de zoom na camera não ajudassem a capturar cenas desses animais bonitinhos (e detestavéis!).

SONY DSC

SONY DSC

Depois de conseguir fotografar e filmar o castor, ainda tinhamos mais um pouco de trilha pela frente até chegar na cabana mantida pela empresa que contratamos o tour para um jantar para comemorar que deu tudo certo durante o passeio!

SONY DSC

A trilha é de dificuldade moderada. Pra quem gosta de caminhadas ao ar livre e de ver belas paisagens, com toda a certeza esse passeio vale muito a pena!

A empresa que nós contratamos o tour foi a Canal Fun. Fiz o agendamento por email com a Lola (super atensiosa!) e fiz o pagamento pela internet. O tour estava marcado pra começar no escritório da empresa, as 15:30. Na volta, eles nos deixaram no hotel.

IMG_5161

Eu não to ganhando nenhum centavo por essa indicação, resolvi compartilhar o nome da empresa pq realmente nos gostamos muito do atendimento e do passeio. Recomendo muito!

** Precisando de hotel em Ushuaia? Inicie as pesquisas aqui.

** Precisando de seguro viagem? Inicie as pesquisas aqui.

Se você gostou das dicas, ao reservar hospedagem e seguro viagem aqui pelo blog, nós ganhamos uma pequena comissão, mas você não paga nada a mais por isso. Obrigada! :D

Posts relacionados:

Todos os posts sobre Bariloche

Todos os posts sobre Buenos Aires

Todos os posts sobre El Calafate

Todos os posts sobre Ushuaia

Todos os posts sobre Villa La Angostura

Siga o Blog Contando as Horas nas redes sociais:

no Instagram: @brunabartolamei

e curta nossa fanpage no Facebook: facebook.com/ContandoAsHoras

Bruna Bartolamei
Siga-me

Bruna Bartolamei

Catarinense, mas atualmente morando em Curitiba-PR. Já morou em Edimburgo, a capital da Escócia por quase 2 anos. Criou o blog pra contar um pouco mais sobre como foi o seu intercâmbio na terra dos Kilts e das Gaitas de Fole, e também, sobre suas viagens pelo mundo.
Bruna Bartolamei
Siga-me
Postado em Argentina, Ushuaia
Booking.com
  1. Samara Fadigas 21/09/2016 | 19:44

    Olá Bruna, eu tenho algumas dúvidas sobre esse passeio pra Laguna Esmeralda. Você contratou qual empresa pra fazer esse passeio e quanto foi na época? É possível pegar um taxi até o começo da trilha e fazer o trekking sem guia?
    desde já, obrigada

    • Contando as Horas 02/10/2016 | 18:45

      Oi, Samara

      O nome da empresa está no final desse post, inclusive até coloquei o site, pra facilitar a vida dos leitores. Não lembro mais quanto paguei, mas vc pode entrar em contato com essa empresa por email e ver qual é o valor atual desse passeio.

      Possivel é, mas não recomendo. É melhor fazer essa trilha com alguém que conheça bem a região.

Deixe o seu comentário...