28.01
2015

El Calafate: Conhecendo outras geleiras do Parque Nacional Los Glaciares através do passeio de barco Rios de Hielo

Um dos passeios mais procurados em El Calafate é o Rios de Hielo. Antigamente esse passeio era chamado de Todo Los Glaciares. O nome precisou ser alterado, pq o roteiro sofreu alteração.

A principal diferença entre o antigo Todo Los Glaciares e o atual Rios de Hielo, basicamente são duas:

SONY DSC

1) antigamente esse passeio leva o dia todo, mas agora com a mudança no roteiro, o tempo de duração do passeio é de meio dia. Por volta das 14:30 nos já estavamos de volta a El Calafate.

2) a parte final do passeio não passa mais pela geleira Perito Moreno, pq a presença de enormes pedaços de gelo não permitem mais que os barcos cheguem até lá. 

SONY DSC

Eu levei um tempo tentando descobrir essa diferença, pq como essa foi uma alteração relativamente recente, com inicio em agosto de 2014, nenhum lugar explicava de forma clara sobre isso. As minhas suspeitas foram confirmadas quando mandei um email pra uma agência de turismo local questionando sobre os nomes e o passeio.

Esse passeio acaba se tornando imperdível pq ele oferece uma boa oportunidade de ver de perto outras geleiras do Parque Nacional Los Glaciares. No total, existem 47 geleiras que desembocam no Lago Argentino, entre elas, as mais conhecidas são Perito Moreno, Upsala, Onelli, Spegazzini, Seco, Bolados, Agassiz, entre outras. De todas essas, nós temos oportunidade de conhecer apenas 4 geleiras durante esse passeio.

IMG_5887

Como o nosso hotel ficava um pouco mais afastado do centro da cidade, no sentido pra quem vai para o Parque Nacional Los Glaciares, nós fomos os ultimos a embarcar no ônibus.

O trajeto entre El Calafate e o Parque Nacional é de 50 km, que são percorrido em aproximadamente 1 hora. Ao chegar no Parque Nacional, nos desembarcamos em um galpão localizado no Porto Punta Bandera. Lá estavam milhões de pessoas. Como a gente não tinha recebido nenhuma informação do que fazer ali, o jeito foi ter calma, olhar pra todos os lados e procurar indicios.

IMG_5889

Logo nos percebemos que haviam duas direções pra seguir:

– Primeiro: Pagar a taxa referente a entrada no Parque Nacional;

– Segundo: Entrar na fila pra poder embarcar no barco.

IMG_5891

Dica 01: Quem estiver em duas ou mais pessoas, o interessante nessa hora é se separar, enquanto alguém vai pagar a taxa de entrada do parque, outra pessoa vai ficando na fila pra entrar no barco. Quem for pagar a taxa, é interessante levar o passaporte de todas as pessoas que tenham passaporte brasileiro, pois como fizemos parte do Mercosul, pagamos menos que os demais turistas estrangeiros. Atualmente, a taxa para turistas do  Mercosul é de 150,00 pesos argentinos.

** Se você quiser reservar esse passeio “Rios de Hielo”, é só clicar aqui. **

SONY DSC

Dica 02: Ao contrario de antigamente, agora não é mais necessário pagar somente em pesos argentinos. O dólar americano também está sendo aceito, mas a conversão é a oficial e o troco é dado em pesos argentinos. Nós sempre pagamos com pesos argentinos, mas pessoas próximas de nós na fila pagaram com dólar e não tiveram problema.

Com as taxas de entrada do Parque Nacional pagas, eu já fui direto pra fila de entrada do barco. Como nós nos mexemos rápido, nos conseguimos entrar rapidamente no barco e garantir um lugar na janela. Importantíssimo pegar um lugar na janela, pq é impossivel ficar o tempo todo lá fora olhando ou fotografando, pq o frio e o vento são de matar.

SONY DSC

Logo que a gente entra no barco, a recomendação é de permanecer sentado nos seus lugares, pois os primeiros 10 minutos após a partida, ninguém pode ficar de pé ou sair de dentro do barco, por motivos de segurança. É nesse momento que a gente recebe todas as orientações sobre como será o passeio e como a gente deve se comportar no barco.

O passeio começa com uma loooonga navegação pelo Brazo Norte do Lago Argentino, passando pela Boca del Diablo (local mais estreito do lago), e seguimos em direção as geleiras. Esse trajeto é longo mesmo, portanto não há necessidade de sair para a parte aberta do barco ainda.

SONY DSC

Pelo caminho vão aparecer alguns icebergs boiando, além de outros barcos navegando. Depois de uns 40 minutos de navegação é que realmente a concentração de icebergs começa a aumentar e nessa hora é interessante ir pro deck pra fotografar.

SONY DSC

Eu já tinha visto iceberg pela primeira vez na Islândia, mas né, como não é uma coisa que a gente é acostumado a ver todos os dias, sempre causa uma emoção, impossível não fotografar.

SONY DSC

Os icebergs são de todas as formas, tamanhos e cores (sim, pois alguns são mais transparentes, outros são brancos e outros são azuis).

SONY DSC

Em questão de alguns minutos, logo aparece na nossa frente Glaciar Upsala. Diz que essa é a terceira maior geleira da América do Sul, ficando atras somente Pio XI (que fica no Chile) e do Viedma (que também fica na Argentina). Nesse passeio, essa é a maior geleira que a gente vê, ela tem 50 km de comprimento e 13 km de largura.

SONY DSC

Devido ao grande desprendimento liberado todos os dias por essa geleira, é impossivel chegar muito perto dela, pois os icebergs bloqueiam o caminho. Com isso, o barco para um pouco longe, mas com tempo suficiente pra que todo mundo consiga fotografar de todos os angulos. Não há necessidade de se preocupar com isso.

SONY DSC

Segundo a narração do guia do barco, essa geleira esta em retrocesso, ou seja, devido ao aquecimento global o processo de degelo acelerou e a geleira vem perdendo área visivelmente.

SONY DSC

SONY DSC

Entre as geleiras Upsala e Spegazzini, nossa próxima parada, fica o Glaciar Seco. Ele recebeu esse nome, pq ao contrario de todas as outras geleiras do Parque, essa não encosta nas águas do Lago Argentino.

** Se você quiser reservar esse passeio “Rios de Hielo”, é só clicar aqui. **

SONY DSC

Nessa hora, a guia apenas avisa que estamos chegando perto dessa geleira, mas o barco não fica parado pra que a gente bata foto e observe essa geleira com calma. Então tem que ser rápido, quando a guia avisa que estamos chegando, é hora de levantar rapidinho e ir pro deck pra poder fotografar.

SONY DSC

Seguindo o passeio, a próxima parada é em frente ao Glaciar Spegazzini. Essa foi a geleira que eu mais gostei e também foi a que a gente conseguiu chegar mais pertinho.

SONY DSC

SONY DSC

Essa geleira é considerada a mais alta do parque, com 135 metros de altura, mas a parte frontal dela é menor, tendo apenas 1,5 km de largura.

SONY DSC

SONY DSC

Devido a proximidade com que o barco chega perto, a gente consegue ver muito bem todos os detalhes. Além disso, conseguimos ver todo aquele “rio” de gelo descendo pela montanha até chegar na parte frontal que fica dentro do Lago Argentino. Sem duvida alguma, essa é a geleira mais fotogênica do parque!

SONY DSC

SONY DSC

SONY DSC

Ao contrario do Glaciar Upsala, essa geleira é considerada estável, o que significa que ela não vem perdendo área de gelo e tem permanecido nos ultimos anos igual.

SONY DSC

Essa foi a ultima geleira que visitamos e depois disso, o barco volta direto pro Porto Punta Bandera. Pelo trajeto a gente continua vendo icebergs pelo caminho, mas fora isso, não tem mais pq ficar do lado de fora do barco passando frio.

SONY DSC

Esse é um bom momento pra voltar, sentar e descansar um pouco dentro do barco.

SONY DSC

Dica 03: Todas as vezes que o barco chega perto das geleiras Upsala e Spegazzini, ele fica parado ali um bom tempo, tempo suficiente para que todo mundo consiga bater suas fotos. Não há necessidade de ir pra parte mais frontal do barco, como todo mundo costuma ir, pois como o barco vai girando, todas as pessoas que estão nas laterais e no fundo do barco vão ter oportunidade para as suas fotos.

SONY DSC

Ao chegar de volta ao Porto Punta Bandera, o ônibus já está lá esperando pra nos levar de volta a cidade.

SONY DSC

A empresa que detém o monopolio desse passeio é a Fernandez Campbell, mas o tour é revendido por diversas agências de turismo local e pode ser facilmente reservado pela internet ainda aqui do Brasil, que foi o que eu fiz. Eu reservei esse passeio com mais de 1 mês de antecedência, pois esse é um passeio que lota com facilidade.

** Se você gostou das dicas desse blog e quiser dar uma força reservando os passeios em El Calafate (ou especificamente o tour Rios de Hielo) através de uma empresa parceira do blog, a Argentina 4u, para iniciar as pesquisas, é só clicar nos respectivos links em vermelho. Obrigada!!! **

** Importante: Ao reservar um passeio com empresa Argentina 4u através de algum link deste post, será repassado uma comissão ao blog Contando as Horas **

** Não sabe como utilizar o site da Argentina 4u? Aqui vai um post bem detalhado sobre como escolher e reservar um passeio. **

** Precisando de hotel em El Calafate? Inicie as pesquisas aqui.

** Precisando de seguro viagem? Inicie as pesquisas aqui.

Se você gostou das dicas, ao reservar hospedagem e seguro viagem aqui pelo blog, nós ganhamos uma pequena comissão, mas você não paga nada a mais por isso. Obrigada! :D

Posts relacionados:

Todos os posts sobre Bariloche

Todos os posts sobre Buenos Aires

Todos os posts sobre El Calafate

Todos os posts sobre Ushuaia

Todos os posts sobre Villa La Angostura

Siga o Blog Contando as Horas nas redes sociais:

no Instagram: @brunabartolamei

e curta nossa fanpage no Facebook: facebook.com/ContandoAsHoras

Bruna Bartolamei
Siga-me

Bruna Bartolamei

Catarinense, mas atualmente morando em Curitiba-PR. Já morou em Edimburgo, a capital da Escócia por quase 2 anos. Criou o blog pra contar um pouco mais sobre como foi o seu intercâmbio na terra dos Kilts e das Gaitas de Fole, e também, sobre suas viagens pelo mundo.
Bruna Bartolamei
Siga-me
Postado em Argentina, El Calafate
Booking.com
  1. Marilia 04/02/2015 | 15:56

    Linnnnndo! Eu fiz esse passeio também em 2013 (janeiro) e foi bem asism como vc descreveu. A única diferença é que o “pacote” já continha as taxas e não pegamos a primeira fila.
    As paisagens são de contemplar em silêncio.
    Amo suas postagens.

    • Contando as Horas 12/02/2015 | 23:29

      Oi, Marilia

      Que bom que vc conseguiu um pacote com as taxas incluidas, em todos os lugares que pesquisei, nenhum tinha essa opção. Certamente é melhor assim, pois é menos uma fila pra pegar.

      Verdade! Muitas vezes, apos fotografar tudo de milhões de angulos, eu ficava ali passando frio, mas observado tudo em silêncio. Tem coisas que são inacreditáveis, né?!?!

      =D

  2. Daniel Oliveira 07/04/2015 | 10:14

    Muito bacana seu post. Eu e minha esposa vamos em setembro /2015. Queria saber quanto vc pagou pelo passeio. Abraço

    • Contando as Horas 07/04/2015 | 18:01

      Oi, Daniel

      Esses passeios na Patagônia são bem carinhos, foi 168,00 dólares/pessoa.

  3. Adriana Melo 25/05/2015 | 16:17

    Oi Bruna! Pode me dizer qual foi o site que você fez a reserva? No total foi 168 dollars por pessoa, com a taxa ônibus etc? Obrigada

    • Contando as Horas 25/05/2015 | 22:51

      Oi, Adriana

      Eu reservei no site da empresa Argentina4U. 168,00 dólares/pessoa, sem incluir a taxa do Parque Nacional, que vc deve pagar la na hora.

  4. Rosana Ladeira 15/09/2016 | 11:18

    Olá, Bruna. Vou viajar em outubro para El Calafate. Será que preciso comprar os passeios com antecedencia mesmo? Estou numa dúvida… É que queria estar no lugar para decidir melhor o que fazer conversando com a agencia de viagens. Vc acha arriscado nao comprar? Outra coisa: é confiavel mesmo este site Argentina 4U? Grata pelas dicas!!!

    • Contando as Horas 16/09/2016 | 18:25

      Oi, Rosana

      Dependendo do passeio sim, é altamente recomendado. Eu sempre dou preferencia pra comprar/reservar tudo online, assim tenho tempo de pesquisar e tirar todas as duvidas antes. Eu reservei 2 passeios com a Argentina 4U qdo fiz essa viagem a Patagônia. Achei super tranquilo, nao tive nenhum problema, por isso fechei a parceria com eles e indico aqui no blog.

      Obrigada pela visita aqui no blog!

  5. Leonardo 17/11/2016 | 05:30

    Muito obrigado por disponibilizar informações tão completas sobre esta atração. Faremos este passeio no Carnaval 2017. Pretendo passar a maior parte do tempo no convés do barco, fotografando. Faz muito frio do lado de fora do barco? É necessário utilizar roupas de inverno, ou basta um bom casaco? É verdade que ficam vários fotógrafos “profissionais” atrapalhando os turistas no convés do barco?

    • Contando as Horas 17/11/2016 | 19:12

      Oi, Leonardo

      Siiim! MUITO frio mesmo! Uma ventania que vc não aguenta ficar mais do que 5 minutos. Sério mesmo. No dia especifico que fizemos esse passeio, não tinha vento, foi pura sorte, segundo o nosso guia. Na outras duas vezes que estive ali, tinha muito vento e tava muito frio. Claro que o vento potencializa ainda mais o frio, mas de qualquer forma, mesmo que não tenha vento, será frio sim.

      Leve roupas de inverno sim, faz bastante frio. Leve também cachecol, luvas e tudo mais.

      Não, não vi. Tem uma infinidade de turistas, mas isso é esperado.

      Obrigada pela visita aqui no blog! :D

Deixe o seu comentário...