19.05
2015

Curitiba: Bosque Alemão

Sabe aquela coisa de morar anos em uma determinada cidade e nunca ter conhecido um lugar? Pois bem, isso aconteceu comigo! Morei anos em Curitiba e nunca tinha ido ao Bosque Alemão.

SONY DSC

Antes tarde do que nunca, nessa ultima vez que passei umas semanas por lá, resolvi incluir esse lugar no meu roteiro. 

O Bosque Alemão foi criado para homenagear os imigrantes alemães que se instalaram em Curitiba, enriquecendo a cidade com as suas tradições, gastronomia e cultura.

SONY DSC

Esse parque ainda preserva uma boa área de mata nativa e a visita é bem organizada.

A visita começa na “parte superior” do parque, onde fica o Oratório Bach, uma sala de concertos e exposições. Esse oratório fica em uma réplica de uma antiga igreja e bem no centro tem uma imagem de Johann Sebastian Bach, um dos mais famosos compositores alemão de todos os tempos.

SONY DSC

SONY DSC

Atrás do Oratório fica a Confeitaria Erika, que serve comidas tipicas alemãs. Infelizmente eu não tive tempo pra conhecer, mas li  na internet muitos elogios, principalmente das tortas que são servidas lá.

SONY DSC

Logo em frente fica a Torre dos Filósofos, uma torre feita de madeira (dizem que são troncos de eucalipto), que presta uma homenagem filósofos alemães como Nietzsche, Kant, Engels, entre outros.

SONY DSC

SONY DSC

A torre também serve como mirante, onde do alto dos seus 15 metros de altura dá pra ter uma boa vista do parque e do panorama da cidade de Curitiba.

SONY DSC

Descendo a torre, logo tem inicio a trilha que conta por meio de painéis espalhados pela mata a história de João e Maria, escrita pelos irmãos Grimm.

IMG_7400

IMG_7408

Não lembro ao certo quantos painéis tem ali, mas não são muitos não. Achei bem legal a forma como eles contaram a história, pois cada painel além dos desenhos tem uma breve descrição sobre a história.

SONY DSC

SONY DSC

SONY DSC

No meio desse trajeto tem a biblioteca, chamada de A Casa Encantada, por onde passei rapidamente.

SONY DSC

SONY DSC

SONY DSC

SONY DSC

SONY DSC

E por fim, no final da trilha fica o portal simbolo do Bosque Alemão, a reprodução da fachada da Casa Mila, uma construção germânica do inicio do século passado que originalmente estava localizada no centro de Curitiba, na rua Barão do Serro Azul. Dizem que apenas a sacadinha é original.

SONY DSC

De toda a forma, o lugar é bem tranquilo e super bonito, rende ótimas fotos!

SONY DSC

No geral, eu levei mais ou menos um pouco mais de 1 hora pra fazer esse passeio. O parque é relativamente pequeno e se resume apenas a essas atrações.

SONY DSC

É importante dizer que, existem guardas que ficam caminhando pra lá e pra cá, pois como a trilha passa pelo meio da mata nativa, pode deixar as pessoas com um certo medinho.

SONY DSC

Para ir até lá, a melhor forma é usando o ônibus Linha Turismo de Curitiba. No Bosque Alemão existem duas paradas da Linha Turismo, uma na frente do Oratório Bach, que onde deve-se desembarcar e começar o passeio. E em frente a Casa Mila existe outra parada, que é a parada onde é feito o reembarque. Achei isso bem legal!

SONY DSC

Pra quem por algum motivo precisar de táxi, no dia que eu estive lá, em frente a Casa Mila tinha um táxi parado.

O Bosque Alemão abre todos os dias, das 08:00 as 18:00. A entrada é gratuita.

Posts relacionados:

Todos os posts sobre Curitiba

Siga o Blog Contando as Horas nas redes sociais:

no Instagram: @brunabartolamei

e curta nossa fanpage no Facebook: facebook.com/ContandoAsHoras

Bruna Bartolamei
Siga-me

Bruna Bartolamei

Catarinense, mas já morou em Curitiba (8 anos) e em Edimburgo, a capital da Escócia (quase 2 anos). Criou o blog pra contar um pouco mais sobre como foi o seu intercâmbio na terra dos Kilts e das Gaitas de Fole, e também, sobre suas viagens pelo mundo.
Bruna Bartolamei
Siga-me
Postado em Brasil, Curitiba, Paraná
Booking.com
  1. ALEXANDRE GOSENHEIMER 12/08/2015 | 00:51

    Bruna, parabéns pela descrição e fotos do local, apenas acrescento como forma de abrilhantar seu trabalho que a Casa Encantada aos finais de semana e feriados tem a “hora do conto”, onde uma “bruxa” (professora rede municipal) conta a história de João e Maria de forma lúdica e super interativa. Passeio recomendado para quem tem crianças.

    • Contando as Horas 12/08/2015 | 01:03

      Oi, Alexandre

      Eu fiquei sabendo dessa apresentação, mas como não tinha crianças e não fui em dia de semana, não pude conferir. Mas bem lembrado, fica a dica pra outros leitores do blog! Obrigada pela contribuição! =DD

  2. […] Leia o relato sobre o Bosque do Alemão no blog Contando as Horas. […]

  3. Rebeca 07/02/2017 | 23:29

    Tem estacionamento?

    • Contando as Horas 12/02/2017 | 21:00

      Oi, Rebeca

      Sabe que não lembro? Mas lembro de ter visto alguns carros estacionados na rua mesmo.

Deixe o seu comentário...