21.06
2015

França: Um dia na terra do Chantilly (e do Castelo de Chantilly)

Paris oferece a possibilidade de fazer diversos bate-voltas. Pra quem já foi no Castelo de Versalhes, mas ainda quer conhecer outros castelos na região, uma boa opção é ir até a cidadezinha de Chantilly.

SONY DSC

Chantilly (eles pronunciam algo como “Chantií”), com apenas 12 mil habitantes, está localizada no norte da França, a 38 km de Paris e entrou de vez nos roteiros turísticos por dois motivos: o Creme Chantilly e o Castelo de Chantilly. 

SONY DSC

Enquanto eu tava organizando o roteiro dessa ultima viagem a Paris, me deparei com um probleminha: existia um feriado no nosso roteiro, o feriado do dia 01 de maio, dia do trabalho. E como dá pra imaginar, praticamente t-u-d-o fecha na França, inclusive em Paris (só a Torre Eiffel abre, pra ter uma idéia!!!!). Então o jeito foi buscar uma alternativa e foi ai que resolvemos incluir Chantilly e o Castelo de Chantilly no nosso roteiro, pois essa era uma das pouquíssimas atrações que abriam nesse feriado.

SONY DSC

Nós optamos por ir até Chantilly de trem e ao desembarcar na estação mais central da cidade, existem duas opções de trajeto a pé que podem ser feitos: passar pelo centro da cidade ou ir caminhando por dentro do parque. Na ida até o castelo nós optamos por ir por dentro do parque, já que o trajeto era um pouquinho mais curto.

SONY DSC

Chegando na área onde fica o castelo e todas as demais estruturas que compõem o “Domaine de Chantilly“, a gente já começa a ter uma visão panoramica de tudo.

SONY DSC

A primeira atração é o Museu do Cavalo ou Musée Vivant du Cheval, onde estão em exposição alguns cavalos nas cocheiras e ainda, tem um museu relacionado ao tema, com objetos e diversas coisas relacionadas em exposição. Eu e minha mãe não visitamos o museu, apenas meu irmão e meu pai foram. Eu tenho um verdadeiro panico de cavalo, não sei por qual motivo, então eu não fiz a menor questão de visitar essa atração.

SONY DSC

IMG_5469

IMG_5475

Na verdade, o que eu mais queria fazer ali (além de provar o tal creme chantilly) era conhecer o castelo, que foi a nossa próxima parada. Para ter acesso ao castelo, já é necessário ter em mãos o ingresso, pois existe uma fiscalização logo no portão de entrada.

Nitidamente da pra ver que o castelo é dividido em dois edifícios: Grand Château e o Petit Château. O primeiro a ser construído foi o Petit Château, que pode ser identificado por ser a parte mais medieval do castelo, por onde o acesso é feito através de uma ponte sobre um fosso.

SONY DSC

A história do castelo começou a muitos séculos atras, quando ele era ainda uma fortaleza. Pierre d’Orgemont e sua família compraram o terreno e a fortaleza e viveram ali durante 3 gerações. Como eles não tinham herdeiros, o local foi deixado para um sobrinho, Guillaume de Montmorency.

Mas o castelo não ficou muito tempo em sua posse, pois logo vieram os períodos de revoltas contra os reis da França e durante a Revolução Francesa o castelo foi confiscado pelo rei Luis 13, ficando sob seu domínio ou seja, sob domínio da Casa de Condé.

IMG_8915

Por algum tempo o castelo foi usado pela sua família, principalmente para grandes festas. Numa dessas festas dizem que foi onde o cozinheiro François Vatel criou a receita do creme chantilly, um creme que na época ele quis criar para impressionar a realeza francesa e como consequência disso, se tornar um dos melhores chefs que trabalhavam para o rei Luis 13.

O tempo de festas e banquetes durante a Revolução Francesa chegava ao fim, pois o castelo foi invadido e boa parte foi destruído. O pouco que restou foi transformado em prisão.

SONY DSC

Somente quando os membros da Casa de Condé voltaram do exílio, que o castelo foi reconstruído e passou por algumas reformas.

Com a morte do ultimo integrante da Casa de Condé, quem herdou o castelo por um tempo foi o Duque de Aumale, da Casa Bourbon-Condé, ultimo filho do rei Luis Felipe I, que herdou o domínio de Chantilly.

SONY DSC

A mando do Duque de Aumale, o castelo passou por outra grande reforma. Os planos do Duque eram de colocar todas as suas coleções de quadros, objetos, estátuas e livros aqui.

SONY DSC

Hoje em dia, essa coleção pode ser vista no Museu Condé, que ocupa uma ala dentro do castelo. Ali estão diversos quadros de pintores franceses e de outros países europeus, como: Fra Angelico, Delacroix, Raphael, Poussin, entre outros.

SONY DSC

O museu é relativamente pequeno, acho que não levamos mais do que uns 40 minutos pra ver tudo. Não deixe de reparar a obra mais importante do museu: Les trois grâces, de Raphael.

E ainda, na biblioteca do castelo estão algumas coleções de moedas, manuscritos, livros raros (tem um exemplar da bíblia de Gutenberg, por exemplo) e documentos importantes relacionados a todos os antigos moradores do Castelo de Chantilly.

SONY DSC

O Duque e a Duquesa de Aumale não tinham descendentes, então o castelo foi deixado aos cuidados do Instituto da França, com a condição de que todas as suas coleções permanecessem ali e que o público tivesse acesso. Legal, né?!?!

SONY DSC

Quem quiser almoçar ou fazer apenas um lanche por ali, existem algumas opções de restaurantes, como: La Capitainerie, Le Hameau e o Café Les Écuries. Como o dia tava nublado, uma horas chovia, uma parava de chover, nos optamos por almoçar no restaurante que fica dentro do próprio castelo, o La Capitainerie.

SONY DSC

O cardápio é bem variado, com diversas opções, indo desde lanches rápidos até pratos mais elaborados. Nós optamos por comer um hamburger com batata frita e de sobremesa, pedimos morangos em calda com creme chantilly. MEEEEU DEEEEUS!!! Que delicia!! O “chantilly original” é bem diferente do chantilly que conhecemos aqui no Brasil. Me arrependo até hoje de não ter repetido a sobremesa!! Um dia vou ter que voltar lá só pra comer essa sobremesa novamente!

IMG_8908

E depois do almoço, foi hora de conhecer os jardins do castelo. Como eu disse anteriormente, o tempo não tava ajudando muito e diante disso, não nos animamos muito em caminhar todo o percurso.

IMG_5604

SONY DSC

Foi ai que surgiu a ideia de alugar um carrinho de golf. E olha, foi a melhor coisa que fizemos. Os jardins são enooormes e com aquele tempo “maravilhoso”, não teria sido tão legal o passeio.

SONY DSC

SONY DSC

Entre tudo o que vimos, certamente o jardim de estilo francês, que fica junto ao castelo e é obra de André Le Nôtre é um dos mais bonitos.

SONY DSC

SONY DSC

Mas eu também gostei bastante do jardim de estilo inglês, onde fica o templo de Vênus. Perfeito, né?!!?

SONY DSC

Por toda a extensão do jardim, existe ainda algumas trilhas, um lago artificial, algumas fontes, um parquinho para as crianças, entre outros.

SONY DSC

IMG_5684

Se o dia tivesse com sol, certamente teríamos conhecido tudo caminhando. Vale a pena!

SONY DSC

IMG_5889

E antes de voltar a estação de trem, nós ainda tivemos tempo de dar uma voltinha pela cidade de Chantilly.

SONY DSC

Dicas práticas:

– Tickets: existem diversos tipos de ingressos a venda, mas nos preferimos comprar o ticket chamado “Billet Domaine” que dá direito a visitar tudo: o castelo, os museus (Museu Condé e Museu do Cavalo) e os jardins.

IMG_8940

– A única ala do Castelo que não está incluída em nenhum tipo de ticket é a dos Apartamentos Privados do Duque e Duquesa d’Aumale. Quem quiser visitar os apartamentos, é importante chegar no castelo e reservar o horário o quanto antes. Nós deixamos pra fazer isso depois de visitar o castelo e não tinha mais lugar pra nenhum dos tours guiados. O valor do ticket é 3,00 euros e pelo que me falaram, a visita é rápida, dura mais ou menos uns 40 minutos. A maioria dos tours são em francês e acho que apenas 1 horário é em inglês. Fica a dica!

IMG_8900

– Para ir até lá partindo de Paris, existem duas opções: RER linha D ou trem. Dependendo qual opção de transporte for escolhida, o local de partida em Paris muda. Nós optamos por ir de trem, que era a opção mais rápida, que saia da Gare du Nord (a mesma de onde partem os trens Thalys e o Eurostar). Importante: Quem resolver andar de trem, não deve esquecer de validar a passagem em máquinas amarelas espalhadas pela estação.

IMG_8944

– O trajeto de trem é feito em apenas 25 minutos e ao chegar em Chantilly, é melhor desembarcar na estação chamada “Chantilly-Gouvieux”, que é a estação de trem que fica no centro da cidade e a uma caminhada de uns 20 minutos até o castelo.

– Quem não quiser caminhar da estação de trem de Chantilly até a entrada do castelo, existe um ônibus especial que faz esse trajeto, porém como estivemos lá no dia 01 de maio, esse ônibus não tava funcionando.

Bruna Bartolamei
Siga-me

Bruna Bartolamei

Catarinense, mas já morou em Curitiba (8 anos) e em Edimburgo, a capital da Escócia (quase 2 anos). Criou o blog pra contar um pouco mais sobre como foi o seu intercâmbio na terra dos Kilts e das Gaitas de Fole, e também, sobre suas viagens pelo mundo.
Bruna Bartolamei
Siga-me
Postado em Chantilly, França
Booking.com
  1. Fefe 20/01/2016 | 13:25

    Olá Bruna!
    Adorei o seu post! Estarei em Paris na mesma época e já estou vendo o roteiro para não perder o dia 1º de maio!
    Muito obrigada pelas dicas!
    Bjos

    • Contando as Horas 20/01/2016 | 22:32

      Oi, Fefe

      Obrigada!! =D
      Então, eu deixei um post agendado pra escrever mais adiante com dicas do que fazer no dia 01 de maio em Paris e arredores, consegui achar mais uns 2 ou 3 lugares que abrem nesse dia. Acho que lá por março vou publicar esse post, pois ainda preciso finalizar o conteúdo.

      Obrigada pela visita aqui no blog!

  2. Ju 17/02/2016 | 16:45

    Obrigada pelas dicas….foram muito valiosas!!
    Você sabe me informar se com o NAVIGO Découverte eu consigo pegar o RER D ate Chantilly? ou se eu vou precisar descer em algum lugar antes e comprar uma passagem complememtar? Não copnsegui achar essa informação em lugar nenhum.

    • Contando as Horas 17/02/2016 | 23:32

      Oi, Ju

      Infelizmente não sei te dizer, nunca fiz esse cartão Navigo. Vou ficar te devendo essa info!

  3. Ju 18/02/2016 | 12:52

    ok. mesmo assim, obrigada!

  4. Raquel gravina silva 05/03/2016 | 17:24

    Ola, amei sua postagem! Vou a Paris de 18 a 27 de março/2016 e vou incluir esse passeio, pois adoro castelos! Voce sabe se posso comprar os bilhetes de acesso ao Castelo na entrada dele? Ou tenho que comprar em agencia de turismo? Agradeço seu retorno, abraços e parabens pela dica!

    • Contando as Horas 06/03/2016 | 20:04

      Oi, Raquel

      Sim, pode comprar sim diretamente na entrada do Castelo. É bem tranquilo.

  5. Fernando Pressoto 05/04/2016 | 11:35

    Oi Bruna, muito bom o seu Blog e as dicas de viagem!! Estou indo com minha esposa para Paris no final do mês de abril agora, e pretendo visitar Chantilly, gostei de todas as dicas, mas apenas faltou saber quanto tempo é necessário para fazer este seu roteiro.

    • Contando as Horas 06/04/2016 | 01:57

      Oi, Fernando

      Vc se refere a quanto tempo levamos pra fazer esse passeio em Chantilly? O dia todo. Pegamos o trem cedo, que dava mais ou menos perto do horario de abertura do castelo. Acho q ficamos la até umas 16:00. Se vc quiser visitar os jardins caminhando, certamente vc pode acrescentar mais umas 2 horas pelo menos. Vale a pena caminhar se o dia estiver bonito. Nossa visita ao jardim acabou sendo reduzida pq o tempo estava bem ruim (muita chuva) e pra nao deixar de conhecer, optamos por alugar um carrinho de golfe por 1 hora.

  6. Fernando Pressoto 06/04/2016 | 11:38

    Isto mesmo Bruna, quanto tempo levou para fazer o passeio, pois queria saber se dá tempo de voltar e aproveitar Paris um pouco mais no mesmo dia. Quando fomos a Paris na primeira vez, visitamos Versailles e retornamos de lá perto das 17:00h, e como Chantilly é menor, achei que daria para retornar a Paris ainda mais cedo, o que você acha?

    • Contando as Horas 07/04/2016 | 01:51

      Oi, Fernando

      Levamos praticamente o dia todo, chegamos perto das 10:00 e voltamos por volta das 16:00. Conhecemos o castelo, almoçamos la, passeamos nos jardins com carrinho de golfe e depois ainda voltamos caminhando pelo centrinho da cidade.

      Nos estavamos em 4 pessoas, ai demanda mais tempo. Como vcs estarão em 2, talvez seja mais agilizado a visita e o almoço.

  7. Rita de cassia 25/04/2016 | 02:28

    Muito obrigada pelas dicas! Quero fazer esse passeio com meu marido hoje.Estamos comemorando nossos 30 anos de casório e esse castelo faz parte do nosso roteiro. Vou seguir os seus passos. Parabéns pela clareza, objetividade e detalhes!

    • Contando as Horas 30/04/2016 | 16:15

      Oi, Rita

      Obrigada pelo comentário!! Espero que tenha dado tudo certo no passeio e que tenham gostado!

  8. Patricia 10/12/2016 | 21:58

    Oi, amei as dicas…
    Uma duvida:o museum pass dá direito de ver todas as atrações do “Billet Domaine” incluindo o show dos cavalos?
    Abraços

  9. Luíza 04/02/2017 | 23:57

    Boa noite!
    Parabéns pelo post, ótimas dicas! Gostaria de saber se para alugar o carrinho de golfe precisa de carteira de motorista pois no Versalhes parece que pedem. E se realmente precisa, a carteira de motorista do Brasil é válida?
    Obrigada!

    • Contando as Horas 05/02/2017 | 16:18

      Oi, Luíza

      Sim, precisa. Sim, a nossa CNH é valida. Ele fica com a CNH e o passaporte de uma das pessoas, até devolver o carrinho de golf.

  10. Miriam 26/03/2017 | 10:35

    Ola Bruna,

    estarei em paris em junho e gostaria de ir até Chantilly.
    Existe algum ingresso só para visitar os jardins do castelo?

    Obrigada.

Deixe o seu comentário...