23.06
2015

Viajando de trem na França

Uma das coisas que mais gostei de fazer no tempo que morei em Edimburgo foi andar de trem. Sempre que eu tinha a oportunidade de escolher essa opção de transporte público, eu não pensava nem meia vez.

IMG_8893

Todo mundo sabe que a Europa é famosa pelos seus trens e claro, a França não seria a exceção. Eu já tive a oportunidade de andar de trem diversas vezes por lá, como por exemplo, quando fui de Paris a Vernon (para ir a Giverny), a Rouen, a Chantilly e as cidades do Vale do Champagne. 

IMG_8510

Quem for andar de trem partindo de Paris, é importante saber 2 coisas:

– Quem chegar via Aeroporto Charles de Gaulle, pode pegar trem para outras partes da França lá mesmo. Não é necessário ir até Paris antes.

IMG_8506

– Paris tem 6 estações de trem: Gare du Nord, Gare de l’Est, Gare de Lyon, Gare d’Austerlitz, Gare St-Lazare e Gare Montparnasse.

De todas essas estações, as unicas em que eu já estive foram: Gare du Nord (quando fui a Chantilly), Gare de l’Est (quando peguei o trem para o Vale do Champagne) e Gare St-Lazare (quando fui a Rouen e Vernon).

IMG_8900

Como deu pra perceber, dependendo da região a ser visitada, os trens partem de estações diferentes em Paris. E essas estações não ficam muito perto uma das outras. Na verdade, apenas a Gare du Nord (de onde parte o Eurostar e o Thalys) e a Gare de l’Est ficam bem próximas. Dá até pra ir caminhando!

A empresa que opera a rede ferroviária na França é a SNCF, então quem quiser pesquisar horários, rotas, de qual estação um determinado trem parte de Paris e o valor da passagem, esse site é a melhor opção, obviamente. Infelizmente não existe versão em português, portanto, é necessário escolher o idioma entre francês, inglês e alemão.

IMG_8639

E como a França é muito bem servida por essa modalidade de transporte publico, existem diversos tipos de trem, com rotas nacionais ou internacionais.

→ Trens com rotas internacionais

– Eurostar: Esse trem liga Paris a Londres, passando por um túnel que atravessa o Canal da Mancha. Eu já andei no Eurostar, porém o trajeto que fiz foi Londres – Bruxelas, que também pode ser uma opção pra quem quiser andar por esses três países de trem;

– Thalys: Esse trem também pode ser considerado de grande velocidade, ele liga Paris a Bélgica (Bruxelas), Holanda (Amsterdã) e Alemanha (Colônia) de forma direta, com possibilidade de seguir viagem pra outras cidades nesses países também;

SONY DSC

– TGV Lyria: Esse trem liga Paris as cidades da Suíça. Eu ainda não andei nesse trem, portanto não sei dar mais detalhes;

– Elipsos: Esse trem liga Paris a Espanha. Eu também ainda não tive a oportunidade de usar esse trem, mas fica a dica pra quem quiser passear entre França e Espanha.

→ Trens nacionais

Além desses trens considerados internacionais, existem diversos tipos de trens internos, que andam somente dentro da França, como por exemplo:

– TGV: Esse trem normalmente liga as grandes cidades francesas. Como seu nome em francês já indica (TGV – Train à Grande Vitesse), ele é o trem de grande velocidade, podendo chegar até 300 km/h);

SONY DSC

– trens regionais chamados de TER que normalmente operam na região que fica nos arredores de Paris;

– trens intermunicipais também chamados de intercités, que normalmente ligam cidades de regiões diferentes na França.

→ Onde comprar a passagem

As passagens para andar de trem na França podem ser compradas no próprio site da SNCF ou no respectivo site dos trens internacionais (Eurostar, Thalys, entre outros) e ainda, nos guiches de atendimento e nas máquinas de cor amarela nas estações. Eu já comprei passagens em todas essas opções listadas e sempre foi muito tranquilo.

IMG_8504

Pra quem vai viajar de TGV ou entre cidades consideradas maiores e um pouco mais distantes entre si, é aconselhável comprar o quanto antes, ainda pelo site, pois as chances de conseguir um preço melhor é maior.

IMG_8894

Já quem for viajar pra cidades muito próximas, com tempo de viagem por volta de 30 a 40 minutos, não a necessidade de se desesperar. Dá pra deixar pra comprar a passagem lá mesmo na França, pois os valores não vão ter tanta diferença.

IMG_8493

Por exemplo: Pra ir de Paris a Epernay ou Reims ou Rouen ou Vernon, nós compramos as passagens ainda aqui no Brasil, pois os valores das passagens podem ter grandes diferenças. Quem compra antecipado paga mais barato do que se deixar pra comprar lá na hora ou no dia anterior. O tempo de viagem entre essas cidades varia de 1 hora a 1 hora e 30 minutos, então pra aproveitar melhor o dia, teoricamente a gente precisa comprar as passagens nos horários considerados de pico (de manhã bem cedo) e com isso, é melhor comprar com uma certa antecedência.

IMG_8546

Já por exemplo pra ir de Paris a Chantilly ou Versalhes por exemplo, o tempo de viagem é de 25 a 40 minutos, então dá pra deixar pra comprar as passagens lá mesmo em Paris, pois o preço não varia muito. Também não ha necessidade de ir nos horários de pico (de manha beeem cedo), então não há motivos pra se preocupar!

SONY DSC

→ Primeira ou segunda classe

Nem todos os trens da França são divididos em Primeira Classe ou Segunda Classe. Depende muito da rota e do tipo de trem. Sempre que existir a opção de Primeira ou Segunda Classe, vai ser informado no ato da reserva.

SONY DSC

Obviamente o valor das passagens entre Primeira Classe e Segunda Classe variam bastante de acordo com a rota e horario de partida (horario de pico ou não). Mas as vezes, dependendo da rota, a variação é bem pequena. É sempre bom fazer os calculos, pois quem sabe a diferença de valor da Primeira Classe para a Segunda Classe pode ser mínimo.

IMG_8534

Nessa ultima viagem ao Vale do Champagne, nos fizemos o trajeto Paris – Épernay na Primeira Classe (ida e volta) e de Paris – Reims nos fomos na Segunda Classe (ida e volta). Compramos nossas passagens com mais de 2 meses de antecedência e vejam só o que a gente conseguiu:

IMG_8537

– No trecho de Paris pra Épernay (trem direto), nos fomos na Primeira Classe, pq a diferença na passagem ficava em torno de 10,00 euros apenas.

SONY DSC

– No trecho de Paris a Reims (trem direto), nos tivemos que ir na Segunda Classe, pq a diferença era enooorme entre a 1 e a 2 classe, coisa de 40,00 euros mais ou menos.

IMG_8528

A Primeira Classe: Como todo mundo já deve imaginar, normalmente os trens que oferecem a possibilidade de viajar nessa classe tem apenas um vagão. Difícil pegar esse vagão lotado. Sempre tem a possibilidade de fazer reserva de assento. Pra quem viaja em família (como foi o nosso caso), dá pra reservar os bancos com mesinha e pra quem viaja sozinha (coisa que faço as vezes), existe a possibilidade de reservar assento individual. A configuração de assentos na Primeira Classe é 2 bancos – corredor – 1 banco. Os bancos são mais espaçosos, tem tomada pra carregar eletrônicos, geralmente é servido algum tipo de lanchinho (pode ser gratuito ou pago a parte, depende do trem e trajeto).

IMG_8541

IMG_8548

A Segunda Classe: Essa classe tem diversos vagões. Normalmente essa classe costuma ir lotada, dependendo do horário e trajeto. É legal fazer reserva de assento sempre que possível. Nem todos os trens oferecem a possibilidade de reservar assentos de forma antecipada, portanto, não é bom dar bobeira na hora de embarcar, pois o risco de viajar em pé é enorme (e nada agradável). A configuração dos assentos é de 2 bancos – corredor- 2 bancos. Existem a opção de bancos com mesinha. Alguns trens tem tomada outros não, depende muito da rota e do tipo de trem.

IMG_8638

IMG_8670

→ Reserva de assento

Na viagem que fiz entre Paris – Rouen – Vernon eu tinha assentos reservados, mas não lembro mais como foi o processo. Portanto, vou contar como foi feita a reserva de assentos nessa ultima viagem, ao Vale do Champagne.

No trecho entre Paris – Épernay, os assentos eram reservados, porém a não fomos nós que escolhemos. Nós apenas selecionamos que queríamos assentos com mesa, e os assentos foram escolhidos por eles mesmos.

IMG_8515

Já no trecho entre Paris – Reims os assentos também eram reservados e como nossas passagens nós compramos no horário de pico e o trem estava praticamente lotado, nos sentamos separados. Eu e minha mãe juntas e meu pai e meu irmão mais pra frente, juntos também. Não foi possível escolher bancos com mesinhas no meio. Não escolhemos nem o vagão e nem os assentos, o sistema faz isso automaticamente de acordo com as preferencias que a gente seleciona.

→ Distâncias

As distancias entre Paris e algumas princiais cidades francesas são:

Paris – Reims: 144 km, de trem o trajeto é feito em aproximadamente 50 minutos se o trem for direto;

Paris – Épernay: 142 km, trajeto direto é feito em 1 hora e 15 minutos;

SONY DSC

Paris – Lille: 228 km, trem direto com duração de 1 hora;

Paris – Estrasburgo: 462 km, trem direto com duração de 2 horas e 20 minutos;

Paris – Nantes: 385 km, trem direto com duração de 2 horas e 15 minutos;

Paris – Lyon: 465 km, o trajeto é direto com duração de aproximadamente 2 horas;

IMG_8525

Paris – Marselha: 775 km, com trajeto direto de duração de 3 horas e 20 minutos;

Paris – Nice: 932 km, com trajeto direto de duração de 5 horas e 35 minutos;

Paris – Bourdeaux: 584 km, o trajeto direto tem duração de 3 horas e 20 minutos.

Obs.: Esse é o tempo médio de deslocamento, mas podem haver variações dependendo do trajeto, horário e se for trem direto ou não.

→ Bagagem

Uma das grandes vantagens de viajar de trem é com relação a bagagem. Geralmente as politicas dos trens não costumam ser muito rígidas com isso. É possível viajar com malas extras sem preocupação.

Todas as vezes que eu andei de trem na França foram em bate-voltas, então não precisei levar minha mala junto. Mas nessa ultima viagem eu reparei.

IMG_8316

Todos os vagões tem lugares específicos para as malas grandes, que podem variar dependendo do tipo de trem. Em alguns trens, esse espaço pras malas fica dentro do próprio vagão, já em outros, fica num espaço entre os vagões. Quem viaja com malas menores ou mochilas, deve colocá-las nos espaços logo acima do banco, pois o espaço para as malas maiores nos vagões não cabem muitas malas.

→ Outras considerações

– A venda das passagens nos sites começam com 90 dias de antecedência da data da viagem;

– Ao comprar a passagem pela internet, algumas vezes o site da SCNF permite imprimir os tickets em casa, o que é muito melhor. Se não for possível essa opção, pra retirar as passagens nas máquinas ou guichês de atendimento é necessário o número da reserva e o cartão de crédito usado na compra.

IMG_8519

– IMPORTANTÍSSIMO: validar o tickets nas máquinas de cor amarela que estão localizados na estação e próximo as plataformas de embarque. Quem não valida o ticket nessas máquinas pode levar multa se um fiscal passar conferindo os tickets dentro do trem.

– não precisa fazer check-in e não somos revistados como acontece em aeroportos;

IMG_8495

– O ideal é chegar com pelos menos 20 a 30 minutos de antecedência na estação, pra ter tempo suficiente de se localizar, olhar no painel a plataforma que parte o trem e se deslocar até lá;

SONY DSC

– Quem precisar deixar as malas em guardas volumes, essas estações de trem em Paris oferecem a opção de Left Luggage ou Consignes Automatiques. Para saber mais sobre o horário de funcionamento e onde eles se encontram em casa uma das estações de trem de Paris, é só clicar aqui (no canto direito da página, em “Chercher une Gare” é necessário digitar o nome da estação e na próxima página vão estar listados todos os serviços disponíveis. Ai é só clicar em “Consignes Automatiques” para ter todas as informações necessárias).

Bruna Bartolamei
Siga-me

Bruna Bartolamei

Catarinense, mas atualmente morando em Curitiba-PR. Já morou em Edimburgo, a capital da Escócia por quase 2 anos. Criou o blog pra contar um pouco mais sobre como foi o seu intercâmbio na terra dos Kilts e das Gaitas de Fole, e também, sobre suas viagens pelo mundo.
Bruna Bartolamei
Siga-me
Postado em Alpes Franceses, Annecy, Chantilly, Courchevel, Épernay, França, Giverny, Paris, Reims, Rouen, Vale do Champagne, Versailles
Booking.com
  1. Francis Mary Soares Correia da Rosa 20/01/2016 | 18:23

    Olá,Bruna. Acompanho seu blog e gosto muito de suas dicas. Comprei o trecho paris-Amsterdã pela Thalys. Recebi a confirmação por -e-mail e com um código estilo qr. Minha dúvida é: imprimindo o e-mail com o código QR, tenho que passar ou validar nestas maquininhas amarelas ou somente o e-mail com o QR basta p apresentar?

    • Contando as Horas 20/01/2016 | 22:50

      Oi, Francis

      Eu não tenho 100% certeza, mas pelo que lembro, a gente não precisou validar o ticket andando no Thalys. A gente fez o trajeto entre Paris e Colônia e nos imprimimos o ticket em casa (Print @ Home). Geralmente quanto tem o horário e rota bem definida, com o número do trem e tudo bem especificado, não há necessidade de validar. Mas assim, antes de embarcar no trem, passa num guichê da Thalys na Gare du Nord em Paris (essa estação de trem é super pequena), tem um guichezinho bem em frente de onde partem os trens e pergunta, mas eu tenho quase certeza de que não precisa, mas como te disse, não lembro mais ao certo pra poder te afirmar com 100% de certeza.

      Obrigada pela visita aqui no blog

  2. Polyana Sousa 18/07/2016 | 15:17

    Olá Bruna, achei seu blog agora e adorei suas dicas. Estou indo em setembro a Paris e vou fazer um bate e volta em Épernay. Você acha que é melhor ir de trem ou alugar um carro? Achei as passagens um pouco caras – deu 96,80 ida e volta eu e meu marido. Carro a gente fica mais a vontade nos horários, o passeio é mais bonito, mas tem o problema da bebida =/ E se eu conseguir imprimir as passagens pela net, mesmo assim tenho que validá-las? Obrigada

    • Contando as Horas 20/07/2016 | 01:23

      Oi, Polyana

      Depende muito do que vc pretende fazer nesse bate-volta. Nos preferimos andar de trem, sempre que possível. O que a gente queria visitar, estava no centro de Epernay, então não tinha pq alugar um carro. E como vc disse, ir as maisons e não provar nada, não dá!

      As passagens são um pouco caras mesmo. Quando a gente comprou elas também custaram mais ou menos nessa faixa.

Deixe o seu comentário...