10.12
2015

Manaus: Tour privado para conhecer o Encontro das Águas e muito mais

Quem vai a Manaus, tem a chance de fazer diversos passeios interessantes. Sem dúvida alguma, um dos mais populares é o “Encontro das Águas + Parque Janauary”. E claro, depois de muito analisar a previsão do tempo, optamos por colocar esse passeio como prioridade no nosso roteiro.

DSC_0597

Existem duas formas de fazer esse passeio: tour pré-definidos com agências de turismo local ou tour privativo com um barqueiro que faz parte de alguma Cooperativa de Turismo localizada em algum porto de Manaus (exceto o porto principal, Porto de Manaus). Nós optamos por fazer um tour privado com um barqueiro da Cooperativa Solinegro. 

É interessante comentar que, independente da forma de passeio escolhida, ambos oferecem basicamente o mesmo roteiro. Mas na minha opinião, os dois principais pontos que nos fizeram escolher essa opção foi: liberdade (pra ficar o tempo que quiser em cada atração do roteiro) e tempo (ao invés desse passeio levar o dia todo, nós fizemos tudo em um pouco mais de 3 horas).

DSC_0507

Nosso roteiro ficou assim: começamos indo até o Encontro das Águas, seguimos para um lugar as margens do rio Solimões para ver os animais (jacaré, cobra e bicho-preguiça), fizemos uma caminhada na Floresta Amazônica para ver Sumaúma (maior árvore da Amazônia) e as vitórias-régias e por fim, paramos em um restaurante flutuante para almoçar.

Quem quiser, ainda pode incluir no roteiro: uma visita a uma tribo indígena, ver botos-cor-de-rosa e pescar pirarucu. Nós optamos por deixar essas coisas de fora do roteiro pelos seguintes motivos, respectivamente: achei essa visita a uma tribo indígena muito artificial e a gente já tinha na programação do hotel de selva conhecer os botos e pescar piranhas (acabou que a gente achou que ficaria muito repetitivo).

DSC_0491

Como esse é um dos passeios mais disputados da cidade, é interessante ao menos já ter um dia e horário reservado, pra não correr o risco de ficar perdendo tempo. E foi isso que fiz. Uns três dias antes da viagem eu liguei e reservei o passeio.

DSC_0873

Esse nosso tour privado começou no Porto da Ceasa, as 09:30 da manhã. O embarque na lancha (com proteção no teto) foi feita através de um pier meio improvisado. O barqueiro nos deu as instruções, explicou o roteiro e nos deus os coletes salva-vidas.

DSC_0515

Com uma breve parada pra abastecer o barco em um posto de combustíveis flutuante, logo nós seguimos em direção a nossa primeira parada: o famoso Encontro das Águas. O trajeto do porto até ali foi algo em torno de uns 10 minutinhos.

DSC_0528

DSC_0691

O Encontro das Águas é uma daquelas coisas que a gente ouviu falar uma vez na vida, na época do colégio, há milhões de anos e nunca deu muita bola, certo? Poisé. Isso só acontece até a gente cogitar em ir visitar o Amazonas. Hoje em dia, qualquer pessoa que vá a Manaus pode deixar de fazer qualquer passeio, menos conhecer o Encontro das Águas.

2015-11-17 11.52.16

DSC_0544

O Encontro das Águas acontece quando o rio Negro e o rio Solimões se encontram, mas essa mistura não é imediata. Segundo li na internet e o barqueiro confirmou, as águas dos dois rios correm lado a lado, por cerca de uns 6 a 8 km, pra só assim, se misturarem e formarem o segundo rio mais extenso do mundo, o rio Amazonas.

DCIM100GOPROGOPR0618.

Mas e pq as águas desses dois rios demoram tanto pra se misturar? Quando a gente tava quase chegando (literalmente) no encontro das águas, o barqueiro diminuiu a velocidade da lancha e pediu pra que a gente colocasse a mão dentro da água.

DSC_0569

De imediato dá pra perceber que, além das cores distintas, elas também tem temperaturas e velocidades diferentes.

DCIM100GOPROGOPR0655.

O rio Negro, considerado o principal afluente do rio Amazonas, nasce na Colômbia e como o nome já indica, tem uma água mais escura e ácida, resultado da decomposição de plantas e vegetação da Floresta. Além disso, a sua água é suuuuuuuper quentinha, em torno de uns 28 – 30 graus.

IMG_2585

Por outro lado, o rio Solimões, tem sua nascente no Peru, ao longo do seu curso passa por áreas em encostas do rio que sofrem de erosão, motivo pelo qual suas águas tem cor barrenta. A diferença de temperatura com relação ao rio Negro não é tããão grande, mas dá pra notar que o rio Solimões é mais geladinho, com temperatura na faixa de uns 20 –  22 graus.

DSC_0576

Depois de receber todas essas explicações, nos ficamos ali batendo foto e fazendo filminhos por mais ou menos uns 30 a 40 minutos. O barqueiro nos esperou na maior paciência, inclusive diversas vezes pediu pra gente esperar um pouquinho, que ele ia posicionar melhor o barco para as nossas fotos. Essa liberdade de ficar o tempo que quiser numa atração, poder curtir e fotografar com calma, realmente não tem preço.

DSC_0696

Por mais simples que seja esse fenômeno, esse espetáculo único da natureza acontece apenas aqui no Brasil. Portanto, não deixe de conhecer!!!!

DSC_0625

Depois de ver o Encontro das Águas, nos navegamos por cerca de uns 5 minutos pelo rio Solimões até chegar em uma área de floresta onde a gente pode ver alguns bichos da região, como jacaré-açu, sucuri e bichinhos-preguiças!!

DCIM100GOPROGOPR0676.

A cobra e o jacaré eu dispensei em conhecer, mas fiz MUITA questão de conhecer um preguicinha. Mas eu não queria qualquer bicho preguiça, tinha que ser um pequenininho. E lá veio a mulher com um preguicinha de uns 6 meses de idade. Geeeente, eles são muito levinhos, macios e fofinhos. Queria trazer um pra casa!! =DDD

IMG_2639

Preguicinha! Como ela ainda é pequena, não conseguia se segurar muito bem no tronco e ficava escorregando.. Bem engraçadinho!!

DSC_0655

DSC_0671

IMG_2599

DSC_0686

Preguiçona!

Já o meu irmão além de pegar as preguiças (a preguiçona-mãe e a preguicinha-filhotinha), também encarou segurar o jacaré e a sucuri. O jacaré até é tranquilinho, pq eles amarram a boca, mas a cobra é vc mesmo que tem que segurar o pescoço dela fazendo força e ainda assim, ela fica colocando a lingua pra fora (#medo). Não tive coragem!

IMG_2596

DSC_0640

Junto nessa área onde fomos ver os animais, tinha uma feirinha de artesanato em uma casa flutuante. Achei umas coisinhas bem legais ali!

DCIM100GOPROGOPR0683.

E por fim, a ultima parte do nosso tour: caminhar em meio a Floresta Amazônica. Nesse momento o barqueiro nos deixou com um guia, que nos levou fazer a caminhada que durou cerca de uns 50 minutos entre ida e volta. Foi super legal!

2015-11-17 11.43.11

Mas antes de seguir com o relato, eu preciso fazer uma observação importante. Normalmente essa ultima etapa do tour acontece no Parque Janauary, localizado também as margens do rio Solimões. Mas devido a temporada de seca, mais intensa do que o normal, o Lago Vitória-Régia não “sobreviveu” e as plantinhas aquáticas estavam muito mal conservadas. A solução que eles encontraram foi adaptar. As vitórias-régias foram transportadas para um outro lago ali perto pra não decepcionar os turistas.

DSC_0775

Obviamente eu preferia ver as vitórias-régias no Lago Vitória-Régia do Parque. Quem ja viu fotos de lá sabe muito bem que é super bonito e fotogênico, mas antes de ficar sem ver nada, até achei legal a solução que eles encontraram para esse problema.

DSC_0729

DSC_0721

DSC_0741

Mas voltando ao relato, a caminhada pela Floresta Amazônica dura uns 25 minutos até chegar na Sumaúma, considerada uma das maiores árvores da Amazônia. E realmente, ela é gigante. A gente se sente umas formiguinhas ali perto dela.

DSC_0777

DSC_0711

E um pouco mais adiante é onde está o lago improvisado com algumas vitórias-régias. Eu já tinha me preparado psicologicamente pra esse momento, mas até que ali tinha uma delas beeem preservadinha e com flor, já as outras não estavam tããão bonitas assim. Infelizmente viajar na época de seca tem disso, alguns passeios ficam comprometidos, mas ao menos deu pra matar a curiosidade em ver uma vitória-régia ao vivo e a cores.

DSC_0784

DSC_0804

Tá achando que é fácil se pendurar em um cipó?

A volta, a caminhada acontece exatamente pelo mesmo caminho e o guia vai contando mais algumas curiosidades da floresta, como por exemplo, a altura que a água chega, ele mostra a diferença entre cipó e cipós parasitas, algumas plantas e árvores e ainda, se der sorte, dá até pra ver bicho-preguiça e macacos. A gente conseguiu ver um bicho preguiça lááá no alto de uma árvore e um macaquinho todo alegre pulando de galho em galho.

DSC_0795

E por fim, a caminhada termina em outra feirinha artesanal, onde existem diversos souvenirs, quadrinhos, arco e flechas, cocares, entre outras coisinhas que podem ser compradas como recordação.

DSC_0821

Antes de voltar ao Porto do Ceasa, a gente optou por almoçar em um restaurante flutuante no rio Solimões. Esse restaurante em especifico servia comida regional em um buffet com preço fixo de 30,00 reais. Entre as opções estavam pirarucu, tambaqui, tucunaré, acompanhado de baião de dois, massa e saladas. No geral, achei a comida bem feitinha, recomendo uma experiência dessas.

DSC_0836

2015-11-17 12.41.37

IMG_2631

Sucos de taperebá, cupuaçu e maracujá

Ah, e enquanto a gente almoçava, chegou um grupo de japoneses. Enquanto alguns faziam a caminhada na Floresta, um deles ficou ali pescando piranhas. Em questão de uns 5 a 10 minutos, ele conseguiu pescar uns 3 ou 4 piranhas. Obviamente que fui lá pedir pra fotografar!

IMG_2628

Depois do almoço, ainda passamos por algumas casas flutuantes, antes de seguir o caminho de volta pelo Solimões e pelo rio Negro para desembarcar no Porto da Ceasa.

DSC_0852

DSC_0850

Obs.: O tour privado de barco nós pagamos 200,00 reais por mais ou menos umas 3 horas de passeio para 2 pessoas. O táxi do hotel até o Porto da Ceasa nós pagamos algo em torno de 40,00 reais e a tarde, do Porto da Ceasa até o Jardim Botânico / Museu da Amazônia (MUSA), nós gastamos mais uns 40,00 reais também. Sempre peça para o taxista ligar o taximetro, é melhor.

* Precisando de hospedagem no Amazonas? Para iniciar as pesquisas no site Booking, é só clicar aqui. *

Posts relacionados:

Próxima viagem: Manaus e Floresta Amazônica

Manaus e Floresta Amazônica: Informações práticas

Dica de hotel em Manaus: Hotel Caesar Business Manaus

Manaus: Onde é melhor se hospedar?

Praia da Ponta Negra: a maior praia fluvial de Manaus

Dica de restaurante em Manaus: Amazônico Peixaria Regional

Manaus: Reserva Florestal Adolpho Ducke (Museu da Amazônia – Musa e Jardim Botânico)

Um tour pelo Centro Histórico de Manaus (com mapa)

Dica de (outros) restaurantes em Manaus

Manaus: Bosque da Ciência

Bruna Bartolamei
Siga-me

Bruna Bartolamei

Catarinense, mas já morou em Curitiba (8 anos) e em Edimburgo, a capital da Escócia (quase 2 anos). Criou o blog pra contar um pouco mais sobre como foi o seu intercâmbio na terra dos Kilts e das Gaitas de Fole, e também, sobre suas viagens pelo mundo.
Bruna Bartolamei
Siga-me
Postado em Amazonas, Brasil, Manaus
Booking.com
  1. Paulinne Rodrigues 18/01/2016 | 03:19

    Estou esperando um amigo vir a Manaus e estava completamente sem ideias sobre atividades turísticas para levá-lo, sou de Manaus e amei o seu relato, é muito bom ver as experiências boas que as pessoas encontram e se distrair um pouco do dia a dia e encontrar os pontos turísticos que nem sempre pensamos em visitar. Obrigada pelas dicas!

    • Contando as Horas 18/01/2016 | 22:13

      Oi, Paulinne

      Aqui no blog tem uma série de posts com diversas sugestões de lugares pra você levar o teu amigo. Como fiz essa viagem em novembro de 2015, as infos estão super atualizadas. Adorei a sua cidade! Espero voltar muito em breve.

      Obrigada pela visita aqui no blog!

  2. Sandra 21/11/2016 | 15:09

    Oi!!! Vc teria o contato do barqueiro com quem vcs fizeram o passeio? Muito obrigada!!

  3. Tiago Fernandes 31/12/2016 | 18:27

    Olá!!!
    Relato nota 1000!!
    Parabéns!
    Vou para Manaus dia 07/01/17, tem como me passar o contato desse barqueiro que contrataram?

    Obrigado

    • Contando as Horas 02/01/2017 | 22:03

      Oi, Tiago

      Obrigada, esse passeio foi MUITO legal!!!

      Eu vou procurar e te envio por email.

      Obrigada pela visita aqui no blog! :D

  4. ALCIONE SOUZA 03/01/2017 | 18:53

    oi… muito bom seu relato sobre manaus… tem como vc passar o contato desse barqueiro que contrataram? O passeio aos lugares, estava tudo incluiso neste 200,00 reais? vc achou mais em conta? grata.

    • Contando as Horas 05/01/2017 | 23:30

      Oi, Alcione

      Sim, te envio o contato por email, ok? Afinal, não cheguei a pedir permissão para o barqueiro se poderia deixar o telefone dele exposto na internet.

      Todos esses passeios estavam incluídos nesse valor, exceto o almoço. Não achei. Lá funciona assim: os barqueiros tem uma cooperativa, todos trabalham no mesmo lugar e cobram o mesmo preço. São barcos regulamentados, que podem transportar turistas. Já se vc achar outros barqueiros que façam esse mesmo passeio por preços menores, certamente eles não estão regulados junto aos órgãos competentes, podendo ser até ariscado.

      Obrigada pela visita aqui no blog! :D

  5. Marina 29/01/2017 | 16:04

    Oi Bruna,

    adorei o seu blog e suas dicas. Todas muito bem escritas.
    Estou indo para lá passar 5 dias.

    Gostaria de saber o telefone desse barqueiro e saber em qual Hotel de Selva voce ficou.

    Abs,

    Marina

  6. Cintia Mendes 10/03/2017 | 20:20

    Oi estou indo dentro de 15 dias a manaus
    Poderia por favor me passar o contato para esse passeio do encontro das aguas por favor?
    Assim como dos outros passeios?

    • Contando as Horas 11/03/2017 | 16:01

      Oi, Cíntia

      Sim, te envio o contato do barqueiro por e-mail. Quanto aos outros passeios, nós fizemos por conta, pegamos táxi na porta do hotel.

  7. Liciana 24/03/2017 | 13:40

    Oi, Bruna. Estou usufruindo bastante de todas as informações contidas em seus relatos, muito legal!
    Por favor também gostaria de ter o contato do barqueiro ou, quem sabe, até melhor o da Cooperativa a qual eles pertencem. Obrigada

    • Contando as Horas 26/03/2017 | 13:26

      Oi, Liciana

      Obrigada! :D

      Blz, eu te envio o contato por email. Sobre a Cooperativa, eu escrevi o nome dela no post, mas não tenho nenhum contato.

  8. Amei o seu blog, nunca encontrei um blog tão detalhado. Deus te abençoe por dividir suas experiencias maravilhosas. Abril ou Maio estarei indo com certeza a Manaus. Apesar de ser uma viagem que estarei sozinha ,me sinto acompanhada e mais confiante e segura com suas informações. Você detalhou e dividiu a cidade com os respectivos passeios e hotéis muita generosidade de sua parte. Muito Obrigada. Que Deus lhe proporcione mais momentos de alegria em sua Vida. Se tiver alguma informação que uma pessoa sozinha precisa ter. Eu agradeço. Atenciosamente Mariceli

    • Contando as Horas 30/03/2017 | 16:50

      Oi, Mariceli

      Obrigada pela mensagem! Fiquei muito feliz! :D

      Não sei o que poderia te falar sobre viajar sozinha, se tiver alguma coisa mais especifica que você queira saber, é só me escrever.

  9. ana 03/04/2017 | 22:08

    OI…Foi bom seu post, fez justiça as belezas rústicas da Floresta. Quanto ao barqueiro tem milhares no porto ou se quiser reservar nas agencias perto do Teatro. Milhares mesmo de barqueiros, e os passeios de hoteis geralmente são os mesmos, aliás isso é o básico. Tb fiz tudo isso quando vim morar aqui. Mas perdeu um aspecto, que é muito interessante. Aqui tem ótimos restaurantes o que foi uma surpresa pra min, de cozinha internacional, mas de cozinha amazônica desde as autênticas até as fusions!!!!!! Engordei 15 kilos aqui, é muito bom de comer. Foi uma grata surpresa. E existe um hábito de tomar café da manha em locais rusticos mas com tapiocas gigantes divinas que mais parecem uma vitória régia. Recheadas com tudo que pode imaginar bolos diversos..enfim, a gastronomia amazônica é rica, além dos peixes é claro. Fiquei atentos a nomes como por ex Restaurante Choupana, Banzeiro, Moquén, Café caboclo, abraços

    • Contando as Horas 09/04/2017 | 22:15

      Oi, Ana

      Verdade! A culinaria amazonica é espetacular. Apesar de ser tudo muito diferente do que estou acostumada, gostei de tudo.

      Obrigada pela visita aqui no blog!

  10. Thaynara 08/05/2017 | 12:14

    Olá! Muito obrigada por compartilhar seu relato com a gente. Estou a mais ou menos 6 meses montando meu roteiro de Manaus (parto na próxima semana) e somente hoje cheguei ao seu blog. Que presente!!!
    Se possível, eu queria o contato do barqueiro que fez este passeio com você. Muito obrigada! Vou olhar os outros posts de Manaus. Abraço!

    • Contando as Horas 08/05/2017 | 17:23

      Oi, Thaynara

      Ah, é? Que legal!! Ameii o Amazonas!! To louca pra ir de novo! :D

      Eu te mando por email.

      Obrigada pela visita aqui no blog!

  11. Thaisa 06/06/2017 | 20:28

    Olá,
    Poderia me passar o contato do barqueiro?
    Fiquei super interessada no passeio!
    Obrigada

  12. Paula 18/06/2017 | 12:49

    Olá Bruna. Viajarei em julho com a família e estou atenta a todas as suas dicas.São ótimas. Tambem gostaria do contato do barqueiro, com quem fez este passeio. Você acha que seria possível incluir neste dia tambem a bisita ao Museu do Seringal?
    Obrigada!!!

    • Contando as Horas 22/06/2017 | 17:06

      Oi, Paula

      Obrigada! Vou te mandar por email!

      Eu nao visitei esse museu, mas pelo que vi na internet, fica um pouco longe pra fazer os dois no mesmo dia.

  13. Soraya 22/06/2017 | 10:51

    OI Bruna..gostei muito das dicas. Eu consegui um contato de um barqueiro na net com uma garota q foi mas não sei se ele é de alguma cooperativa. ele cobrou 150 Reais por pessoa.pode me passar o contato do seu por e-mail? obrigada Soraya

    • Contando as Horas 22/06/2017 | 17:08

      Oi, Soraya

      Eles tem preços tabelados, se ele esta cobrando mais barato, vc precisa ver se ele esta regulamentado. Te passo o contato por email.

  14. Magali 24/07/2017 | 19:07

    Olá Bruna,
    Amei seu blog!Que legal!
    Poderia me passar o contato do barqueiro?
    Quero fazer o mesmo passeio!
    Obrigada

Deixe o seu comentário...