04.02
2016

Manaus: Bosque da Ciência

Sem querer desanimar ninguém, mas ver animais com tamanha facilidade em Manaus (ou em qualquer lugar do Amazonas) é tão difícil quanto ganhar na mega-sena! Pode parecer estranho, mas é verdade!

DSC_0576

Levando em consideração esse detalhe, é legal incluir no roteiro lugares tipo o Bosque da Ciência, uma área que é um mix de museu + zoológico sob responsabilidade do INPA – Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia, localizado no centro de Manaus. 

DSC_0644

DSC_0643

O lugar é um pouco grande, mas nada exageradamente enooorme e com isso, quem optar por seguir o mapinha, vai conseguir percorrer as principais atrações sem nenhum problema. Nós fizemos isso e foi bem tranquilo. É legal separar pelo menos 1 hora a 1 hora e 30 minutos pra esse passeio.

DSC_0642

A visita começa no tanque onde está uma ariranha sozinha (coitada!)… Ela fica ali indo de um lado pro outro e volta e meia, ela coloca a cabeça ali na grade pra felicidade dos turistas.. A ariranha é um animal encontrado tanto na Amazônia como no Pantanal e acreditem, o animal está ameaçado de extinção.

DSC_0522

DSC_0509

DSC_0505

Logo na sequencia fomos (tentar) ver alguns peixes-boi. No dia que estivemos lá, não conseguimos ver praticamente nada, pois eles estavam num taque suuuper sujo. A unica coisa que fiquei sabendo desses animais é que eles só nascem e se reproduzem ali mesmo nas águas dos rios da Amazônia e por sorte, ainda não está em extinção (mas tá quase lá!).

DSC_0524

DSC_0526

DSC_0531

A próxima atração indicada no mapa é a Casa da Ciência (aproveite pra entrar e se refrescar no ar-condicionado!!!!), uma espécie de museu onde é possivel aprender um pouco mais sobre a maior floresta tropical do planeta, a Floresta Amazônica. Lá nós conseguimos descobrir algumas curiosidades sobre ela, como:

DSC_0555

– A Floresta Amazônica representa 7% do território de nosso planeta… É muita coisa, hein!!!

– Ali estão 50% de todas as espécies de seres vivos existente nesse nosso mundão!

– Já foi encontrada na floresta uma mosca que mede 5 cm.

– Existem mais ou menos umas 3 mil espécies de peixes na Amazônia

– Um dos dados que mais me impressionou foi que, em apenas uma arvore na Floresta Amazônica foi encontrado mais de 80 espécies de formigas! Dá pra acreditar?

DSC_0547

Lá também é possível ver as diferenças entre os principais tipos de peixes da Amazônia..

DSC_0554

Além de objetos indigenas e um pouco da história do ciclo da borracha…

DSC_0546

Ah.. E claro, não dá pra esquecer que é lá onde está em exibição a maior folha dicotiledônea encontrada na Amazônia, com quase 2 metros de comprimento! Maior que eu, você e praticamente 99% das pessoas que a gente conhece!

DSC_0541

Praticamente em frente ao museu fica a Ilha de Tanimbuca, local onde vão estar diveeeeersas tartarugas-da-amazônia. Algumas ficam dentro do “riozinho” já outras ficam ali tomando um solzinho e interagindo com os turistas.

DSC_0636

DSC_0618

DSC_0606

Eu que adoro tartarugas, fiquei a maior parte do tempo ali! Certeza que fiquei pelo menos uns 40 minutos ali brincando e fotografando elas.

DSC_0565

DSC_0559

DSC_0569

Algumas são bem tranquilinhas, já outras são bem malvadas e se a gente der mole, elas mordem mesmo.

DSC_0612

DSC_0626

DSC_0624

Nessa área também tem uma maloca, onde fica uma lojinha de artesanato..

DSC_0574

E logo na sequencia vem a trilha suspensa em meio a Floresta (o melhor lugar para ver as árvores Tanimbuca que chegam a medir mais de 30 metros de altura!)… que nada mais é do que percorrer um trajeto sobre uma passarela que nós leva a um pequeno lago (meio abandonado!) e a outros tanques onde estão outros animais.

DSC_0575

DSC_0582

DSC_0587

DSC_0590

Nos tanques estão algumas espécies de jacarés, como o jacaré-açú (pode chegar a 5 metros de comprimento!!!) e o jacaré-tinga (o menorzinho deles, pode chegar a “apenas” 2 metros de comprimento!). Infelizmente no dia que estivemos lá, eles não estavam querendo socializar e a unica coisa que conseguimos ver foi os olhos do jacaré-açú!!!

DSC_0595

DSC_0596

Na trilha da volta, nos passamos por uma área onde tinham mais algumas tartarugas e peixes poraquê (os famosos peixes-elétricos) e abelhas.

DSC_0605

No geral, eu achei o lugar legal, mas sai um pouco decepcionada da visita, principalmente pq os únicos animais que a gente conseguiu ver foram a ariranha e as tartarugas-da-amazônia, tirando isso, todos os outros bichos estavam em tanques com águas muito “sujas”. Talvez a gente não tenha tido muita sorte!

DSC_0536

Pra ir até lá, existe a possibilidade de ir de ônibus ou táxi. Nós preferimos ir de táxi. Do hotel onde a gente estava hospedado até lá, nós gastamos 27,00 reais. Abre todos os dias, exceto as segundas-feiras. Valor de 10,00 reais.

DSC_0588

* Precisando de hospedagem no Amazonas? Para iniciar as pesquisas no site Booking, é só clicar aqui. *

Posts relacionados:

Próxima viagem: Manaus e Floresta Amazônica

Manaus e Floresta Amazônica: Informações práticas

Dica de hotel em Manaus: Hotel Caesar Business Manaus

Manaus: Onde é melhor se hospedar?

Praia da Ponta Negra, a maior praia fluvial de Manaus

Dica de restaurante em Manaus: Amazônico Peixaria Regional

Manaus: Tour privado para conhecer o Encontro das Águas e muito mais!

Manaus: Reserva Florestal Adolpho Ducke (Museu da Amazônia – Musa e Jardim Botânico)

Um tour pelo Centro Histórico de Manaus (com mapa)

Dica de (outros) restaurantes em Manaus

Bruna Bartolamei
Siga-me

Bruna Bartolamei

Catarinense, mas atualmente morando em Curitiba-PR. Já morou em Edimburgo, a capital da Escócia por quase 2 anos. Criou o blog pra contar um pouco mais sobre como foi o seu intercâmbio na terra dos Kilts e das Gaitas de Fole, e também, sobre suas viagens pelo mundo.
Bruna Bartolamei
Siga-me
Postado em Amazonas, Brasil, Manaus
Booking.com
Deixe o seu comentário...