21.07
2016

Courchevel: a Estação de Ski mais badalada do mundo

Antes de iniciar meu intercâmbio em Annecy, tive o privilégio de passar 5 dias em Courchevel, uma das estações de ski mais elegantes e luxuosas do mundo.

Situada nos Alpes Franceses, na divisa entre a França, Suíça e Itália, o acesso a Courchevel pode ser feito de várias formas, mas as duas maiores cidades ali perto são Genebra (138 km de distância) e Lyon (185 km de distância).

Courchevel 1

Courchevel é uma estação de ski que faz parte dos Les Trois Vallées, um conjunto de três vales formados por Méribel, Courchevel e Belleville. Cada um desses vales tem pequenas vilas e cada vila tem seu acesso para as estações de ski. Todas as estações de ski desses três vales são bem parecidas em termos de estrutura e segurança. 

c14

Como o curso que eu escolhi fazer durante o meu intercâmbio era “Français + Ski”, eu pensei em chegar uns dias antes para conhecer alguma estação de ski para aprender e praticar snowboard.

Courchevel 2

Depois de fechar o intercâmbio, comecei a pesquisar muito sobre as estações de ski, como chegar, facilidades de ir e vir (depois eu teria que ir a Annecy, onde de fato iniciaria meu curso de francês) e ainda, queria uma estação que oferecesse locação de equipamentos, locomoção própria na montanha, restaurantes, entre outros. Enfim, eu queria uma estação de ski que eu não dependesse de carro ou ônibus e claro, um pouco de conforto.

c2

Apesar de ter ficado realmente impressionado com toda a estrutura das estações de ski da região (e com os valores também), Courchevel (mais especificamente Courchevel 1650 ou Moriond), a estação preferida de milionários russos e inglês, foi a minha escolhida.

c15

DCIM100GOPROGOPR1819.

Comecei a estudar melhor o lugar e descobri que Courchevel é dividida em pequenas vilas, onde cada vila é chamada por sua altura. Courchevel é dividida em 5 vilarejos: Courchevel 1100 (também chamado de Saint-Bon), Courchevel 1300 (também chamado de Le Praz), Courchevel 1550 (também chamada de Village), Courchevel 1650 (também chamado de Moriond) e Courchevel 1850 (a mais luxuosa).

c5

Segundo alguns sites que pesquisei e o que pude ver na prática, aqui vão as minhas impressões sobre cada uma das vilas:

c4

– Courchevel 1100 ou Saint-Bon: não tem acesso direto aos morros, é necessário pegar ônibus. Aqui tem algumas opções de hotéis e apartamentos. Não tenho muitas informações, pois acabei não conhecendo bem essa parte.

– Courchevel 1300 ou Le Praz: entra na mesma situação de Courchevel 1100 com relação ao acesso as estações de ski. E como também não visitei, não tenho maiores informações.

DCIM100GOPROGOPR1867.

– Courchevel 1550 ou Village: É o local onde moram as pessoas que tem residência ali. Esse vilarejo tem um lift com ligação direta com Courchevel 1850. Para quem não é expert em ski ou snowboard é recomendado evitar Courchevel 1550 e Courchevel 1850, já que ambas saem na mesma parte da montanha, o que deixa essa área muito povoada para a prática desses esportes. Eu pude constatar, sempre tem alguém passando por você e se não for muito habilidoso no ski ou snowboard, pode acabar acontecendo algum acidente. Mas se caso o orçamento estiver muito apertado e andar de ski ou snowboard não for problema, vale a pena ficar nessa vila.

c6

– Courchevel 1650 ou Moriond: Essa foi o vilarejo que eu escolhi me hospedar. Essa vila funciona mais ou menos assim: a parte mais baixa do vilarejo é gratuita, ou seja, ideal para se adaptar ao ski ou snowboard. No meu primeiro dia, eu fiquei o dia inteiro somente nesse lugar. Já a parte alta da montanha, é necessário comprar um passe (existem vários tipos, um que dá acesso só a Courchevel 1650, um que dá acesso também a Courchevel 1850 e outro que dá acesso ao Trois Vallées. Courchevel 1650 tem uma “face” da montanha só pra ela. Se quiser descer na outra “face” da montanha (que é onde está Courchevel 1850) é necessário subir até quase o pico e pegar uma pista que vai para aquele lado. Muitas pessoas não fazem isso, eu mesmo fiz isso somente um dia, quando aproveitei pra conhecer Courchevel 1850. Pra quem é iniciante/intermediário e quiser ir a uma estação de ski que proporcione conforto, segurança e que não esteja lotada, essa é a melhor opção. Aqui existem todos os tipos de hospedagens, mas geralmente são opções mais simples, sem muito luxo.

DCIM100GOPROG0062061.

Dica 2: Se tiver uma mochila de trekking com refil de água dentro, leve. Facilitou muito a minha vida, pois não precisei perder tempo (deslocamento, tirar luvas, capacete e tal) em ir a bares ou restaurantes comprar água toda hora. Toda vez que eu estava nas gôndolas ou lifts eu aproveitava pra descansar e tomar água.

DCIM100GOPROG0041992.

Courchevel 1850: Esse vilarejo é um dos mais glamurosos do mundo. Ali existem lojas da Dior, Chanel, Hermes, Louis Vuitton, Sephora, entre outras. Conta também com diversos lifts para subir a montanha, um aeroporto, hotéis de luxo, restaurantes de todos os tipos, centros comerciais, um local para patinação no gelo, entre outros. A estrutura é impressionante. Mas é preciso ficar atento a um detalhe: as pistas passam literalmente no meio da vila. Então você tá ali almoçando e passa alguém esquiando praticamente na tua frente. Esse vilarejo não é o melhor deles pra esquiar, devido a grande quantidade de pessoas. Na minha opinião, é o melhor pra quem quer passear, ir nas lojas ou nos restaurantes. Quem tiver com o orçamento folgado, essa estação tem opções de hospedagem super luxuosa.

c8

Dica 2: Quem não tem condições de ficar hospedado em Courchevel 1850, mas faz questão de conhecer, pode ficar hospedados em Courchevel 1100,  1300, 1550 e 1650 e pegar um ônibus pra conhecer para ir até Courchevel 1850. Esses ônibus passam de 30 em 30 minutos e são gratuitos. Dá pra conhecer qualquer uma dessas vilas sem pagar absolutamente nada.

Onibus Courchevel 1

Onibus Courchevel 2

No geral, eu fiquei um dia na parte gratuita de Courchevel 1650, dois dias na parte paga de Courchevel 1650 e um dia para ir em todas as partes de Courchevel, pois queria conhecer principalmente Courchevel 1850 e queria praticar snowboard lá também. No meu ultimo dia, eu não pude aproveitar, o tempo amanheceu fechado e as estações estavam todas fechadas. Com isso, antecipei minha ida para Annecy, saindo de Courchevel ainda de manhã e não no final da tarde, como estava programado.

c9

No geral, todos os vilarejos são pequenos, mas bem estruturado, com lojas de aluguel de equipamentos, restaurantes, bares e padarias.

Courchevel 19

Courchevel 20

Courchevel 22

Todas as vezes que subi a montanha, eu almocei lá em cima. O horário de pico do almoço é entre 12:00 e 13:30, hora que os restaurantes estão lotados. Todos os restaurantes são bem estruturados, bonitos e bem decorados.

Courchevel 14

Courchevel 15

O valor dos almoços variam muito, mas só pra dar uma noção, um steak com batata frita bem servido e com refrigerante, custa em torno de uns 25,00 a 35,00 euros, dependendo do restaurante. Se não quiser gastar com bebida, dá pra pedir água de torneira (tap water em inglês), dá pra beber tranquilamente.

Courchevel 18

Courchevel 17

Se levar em consideração o complexo todos os Trois Vallées, são 600 km de pistas, 321 pistas, 169 lifts para subir as montanhas, mais de 70 restaurantes (7 fazem parte do Guia Michelin), 32 Spas, mais de 100 lojas, tudo isso localizado em Courchevel, Meribel, La Tania, Meribel-Mottaret, Brides-Les Bains, Les Menuires, Saint Martin, Belleville, Val Thorens e Orelle. Olha quantos intercâmbios “Français + Ski” dá pra fazer somente nessa região!

DCIM100GOPROGOPR1856.

Somente Courchevel conta com 150 km de área esquiável distribuídos em 96 pistas, sendo 8 pretas, 34 vermelhas, 35 azuis e 19 verdes.

DCIM100GOPROGOPR1857.

As pistas verdes são as mais tranquilas, para iniciantes e geralmente são niveladas horizontalmente e com uma leve inclinação. As azuis não são muito niveladas horizontalmente e são um pouco mais inclinadas que as verdes, permitindo um pouco mais de velocidade. As pistas vermelhas ficam em um terreno pouco cuidado, com algumas deformações causadas por praticantes de ski, aquela famosa lombada criada com a passagem de diversas pessoas no mesmo lugar, normal para quem pratica ski, porém pra quem pratica snowboard (meu caso), acaba complicando um pouco a vida. E por fim, as pistas pretas, que passam por areas originais, onde não foi passado o Groomer (aquele trator que deixa a pista lisa e bonitinha toda manhã) e claro, são muuuuiiiito inclinadas.

DCIM100GOPROGOPR1880.

Todas as pistas são muito bem sinalizadas com bastões coloridos dizendo que é a dificuldade da pista e com placas dizendo o caminho para chegar em determinada parte da montanha.

c5

A primeira vez que pratiquei snowboard foi em julho do ano passado, em Bariloche. Portanto, como já fazia muito tempo e eu ainda não sabia andar muito bem de snowboard, decidi contratar os serviços da École du Ski Français ainda quando estava aqui no Brasil.

Courchevel 12

Na hora de reservar as minhas aulas, preferi pedir por um professor que falasse português, afinal, eu não sabia como seria o francês do instrutor e se ele usaria muitas girias ou termos muito especificos. Eles conseguiram pra mim um professor que falava português. Na verdade, ele falava portunhol, pois já tinha morado em Bariloche. Contratei 2 aulas privadas de 4 horas cada. Essa quantidade eu achei ideal pra mim, não foi muito a ponto de ficar enjoativo e nem pouco, a ponto de eu não sentir muita confiança.

Courchevel 26

Resultado, após 8 horas de aula e 1 dia inteiro nas pistas iniciantes e gratuitas de Courchevel 1650, eu me aventurei em pistas verdes, azuis e vermelhas com sucesso, o que foi muito legal.

Courchevel 13

O valor das 2 horas de aula privada (acho que esse é o tempo mínimo) com professor falando português custou em torno de 110,00 euros. É um pouco caro, eu sei, mas é muito mais garantido e seguro se aventurar mais tarde em qualquer parte da montanha.

c7

Como eu disse, eu reservei as aulas por email ainda quando estava aqui no Brasil, porém fiz o pagamento em dinheiro no dia de cada aula. A forma de pagamento aceita por eles era só transferencia bancária internacional, como isso dá um trabalho enorme, combinei que pagaria lá em dinheiro. Muito tranquilo.

c1

Sobre os passes de ski, os valores ficam entre 25,00 a 60,00 euros, dependendo da abrangência dos vilarejos que for esquiar. Obviamente o passe que dá acesso ao Trois Vallées é o mais caro e o que dá acesso somente a área das pistas de Courchevel 1650 é a mais barata.

DCIM100GOPROG0052026.

Importante: É obrigatório a compra do seguro saúde, sem ele, não tem como subir na montanha. O valor fica em torno de 3,00 euros/dia para adultos e para crianças algo em torno de 2,50 euros/dia.

c12

É possível comprar os passes pela internet, mas eu preferi deixar pra fazer isso lá na hora. Levei em consideração o clima, dependendo do tempo, não é muito interessante subir nas pistas mais altas, pois a visibilidade cai muito. No final de semana, sábado e domingo, provavelmente vai ter fila com umas 15 a 20 pessoas na frente, mas como é tudo bem organizado, a fila anda rápido. Não tive problema.

c13

Pra quem já estiver na França, a melhor forma de ir até Courchevel é de trem (parando na estação de Brides-les-Bains, essa é a estação mais perto de Courchevel) e lá, pegar um taxi ou um transfer. Mas também é possível chegar de avião particular. Existe um aeroporto na montanha, mas não existem voos comerciais para lá.

Courchevel 16

Aeroporto de Courchevel

Pra quem for a Courchevel partindo de Genebra, como foi o meu caso, existem duas opções: trem + taxi / ônibus (forma mais demorada) ou ônibus apenas (forma mais rápida). Eu optei por pegar um ônibus da empresa Altibus, que partia do aeroporto de Genebra. Esse ônibus também chega na estação de Brides-les-Bains e o valor do taxi ou transfer (se for só vc, um taxi te leva e se tiver vc e mais pessoas, o transfer leva) até o vilarejo em Courchevel já está incluído no valor da passagem.

Courchevel 11

Ônibus de Genebra até Courchevel

Posts relacionados:

Todos os posts sobre Courchevel

Todos os posts sobre Annecy

Todos os posts sobre Paris

Todos os posts sobre Vale do Champanhe

Todos os posts sobre meu Intercâmbio na França

Siga o Blog Contando as Horas nas redes sociais:

no Instagram: @brunabartolamei

e curta nossa fanpage no Facebook: facebook.com/ContandoAsHoras

Raul Bartolamei
Siga-me

Raul Bartolamei

Catarinense, formado em Administração e Direito. Eventualmente escreve no blog sobre suas viagens, tours em estádios e jogos de futebol. E agora, também, sobre seu intercâmbio na França.
Raul Bartolamei
Siga-me
Postado em Alpes Franceses, Courchevel, França
Booking.com
Deixe o seu comentário...