02.10
2016

Bélgica: Informações práticas

Essa foi minha 3 vez na Bélgica. Apesar de só ter ido apenas a Bruxelas nas ultimas viagens, esse país sempre esteve entre os destinos mais populares do blog.

Bandeira Bélgica

Esse ano resolvi voltar lá pra explorar melhor outras partes do país, andei literalmente de norte a sul, e por esse motivo, resolvi escrever esse post pra tentar deixar esse destino o mais completo possivel por aqui.

→ Localização

A Bélgica está localizada bem no meio da França, Luxemburgo, Alemanha e Holanda. E também tem fácil acesso ao Reino Unido através do trem de alta velocidade chamado Eurostar.

O país é super pequeno e é dividido em 3 partes: a região da capital Bruxelas, a região da Valônia (parte francesa) e a região de Flandres (parte holandesa).

Mapa Bélgica

→ Visto, Vacinas e Seguro Viagem

Em viagem a turismo, Brasileiros não precisam de visto pra visitar a Bélgica por até 90 dias.

Nenhuma vacina é exigida pra entrar na Bélgica.

A Bélgica faz parte da União Européia e do Espaço Schengen e devido a isso, é obrigatório ter um seguro viagem com cobertura de até 30 mil euros.

Bruxelas

Bruxelas

→ Melhor época

Eu já estive na Bélgica por 2 vezes no inverno e agora, nessa ultima viagem, no verão. Teoricamente não existe nenhuma época melhor ou pior que a outra, apenas vale a pena pesquisar o que anda rolando por lá em cada estação do ano, afinal, existem milhares de eventos e festivais legais acontecendo por todo o país (como por exemplo, o Beer Weekend e o Festival das Histórias em Quadrinhos, que descobri muito por caso nessa ultima viagem).

Dinant

Dinant

→ Como ir até a Bélgica

Não existem voos direto do Brasil para a Bélgica, então as melhores opções são ir via qualquer capital ou grande cidade européia que tenha voo com apenas 1 conexão, como por exemplo: a Tap (via Portugal), a Iberia (via Espanha), a Air France (via França), a KLM (via Holanda), a British Airways (via Reino Unido), a Lufthansa (via Alemanha), a SwissAir (via Suiça) a Alitalia (via Itália) e a Turkish Airlines (via Turquia).

Outra opção é voar com alguma cia aérea que faça fronteira com a Bélgica e de lá pegar um trem até Bruxelas. A empresa de trem do país é a SNCB / NMBS. Outros trens internacionais que vão pra Bélgica são: o Eurostar, o Thalys, o TGV, ICE e CFL.

Eu fiz isso nessa ultima viagem, voei Air France e desembarquei em Paris. Esse relato pode ser visto aqui: Como ir do Aeroporto Charles de Gaulle a Bruxelas de trem.

Em resumo, as melhores opções pra ir até a Bélgica são via Amsterdã ou Paris, pois de ambas cidades é possível seguir viagem de ônibus (apesar de nunca ter andado de ônibus na Bélgica, as empresas mais recomendadas são: STIB que cobre a região de Bruxelas, De Lijn pra explorar a região de Flandres e a TEC para a região da Valônia), trem ou carro.

A principal cia aérea do país é a Brussels Airlines, eu já voei com eles uma única vez, durante meu mochilão pela Europa no final da primeira parte do meu intercâmbio na Escócia, quando fui de Bruxelas a Varsóvia, na Polônia em um voo direto (hoje em dia esse voo ainda existe, mas faz uma conexão em Munique ou Frankfurt).

Além disso, pra quem já estiver na Europa, existem diversas opções de cias aéreas de baixo custo que voam até Bruxelas, como a Easyjet, Ryanair, entre outras.

Orval

Orval

→ Imigração

A única vez que passei na imigração belga foi quando peguei o trem Eurostar em Londres para ir a Bruxelas. Nesse caso, a imigração já acontece em Londres mesmo, assim, ao desembarcar, é só pegar as malas e seguir viagem. Quem quiser saber mais sobre como foi atravessar o Canal da Mancha de trem, é só clicar aqui: Eurostar: Como ir de Londres a Bruxelas de trem.

Vale dizer que é necessário ter em mãos todos os documentos que achar conveniente e que comprovem a viagem e a volta ao Brasil, pois isso pode ser solicitado na imigração do trem Eurostar.

Bouillon

Bouillon

→ Aeroportos da Bélgica

Os dois principais aeroportos do país são: o Aeroporto de Zaventem (IATA: BRU) e o Aeroporto de Charleroi (IATA: CRL). Eu tive a oportunidade de conhecer apenas o Aeroporto de Zaventem, quando peguei o voo de Bruxelas a Vársovia, ainda quando estava morando em Edimburgo, na Escócia.

O Aeroporto de Zaventem fica 15 km de distância de Bruxelas. A melhor forma de ir até lá é de trem, que dura 15 minutos.

Já o Aeroporto de Charleroi fica 61 km de distância de Bruxelas. A melhor forma de ir até lá é fazendo a combinação de trem + ônibus.

→ Idioma

A Bélgica tem três idiomas oficiais: holandês, francês e alemão (na região da Valônia, na fronteira com a Alemanha). Bruxelas é uma capital bilingue, tudo (desde placas, cardápios, informações em museus, entre outros) está em francês e holandês (além de inglês e alemão). Na região norte do país, região de Flandres, o idioma oficial é o holandês, mas todo mundo fala inglês tranquilamente. Já na região sul, a região de Valônia, o idioma oficial é o francês e quase ninguém fala inglês (ao menos essa foi a minha experiência nessa ultima viagem).

Chimay

Chimay

→ Moeda

Antigamente a moeda oficial da Bélgica era o Franco Belga, mas desde 2002 o país adotou o Euro como moeda oficial. Apenas o Euro é aceito, não adianta levar libra, dólar ou qualquer outra coisa que ninguém aceita em lugar algum.

Waterloo

Waterloo

→ Diferença de fuso horário

A Bélgica adota horário de verão, com isso, durante os meses de março a outubro o país fica com 5 horas a mais que o Brasil e no restante do ano, apenas 3 horas de diferença.

Gent

Gent

→ Tomadas e Adaptadores

Se os teus eletrônicos tiverem aquelas tomadas de dois pinos redondinhas, não há necessidade do uso de adaptador na Bélgica. Para ver o post sobre esse assunto, é só clicar aqui: Adaptadores e tomadas pelo mundo.

Antuérpia

Antuérpia

→ Os Belgas

A primeira vez que estive em Bruxelas, fiquei meio decepcionada com os belgas. Pedi informação para ir até o hotel, o rapaz que encontrei na rua foi super mal educado. No dia seguinte, fui pedir outra informação, e também achei a mulher super rude comigo. Voltei da primeira viagem com uma impressão não muito positiva sobre lá.

Mas fui insistente e meses depois voltei a Bruxelas e dessa vez a coisa melhorou bastante. Todos os lugares por onde passei fui muito bem recebida, quando pedi algo na rua, mesmo quando as pessoas não falavam em inglês, todos me ajudaram.

Nessa minha ultima passagem pelo país também fiquei com uma impressão positiva. Andei o país de norte a sul, e em nenhuma vez fui mal recepcionada. Inclusive, na região da Valônia, onde muitos nem falam inglês, o pessoal prontamente ajudou da forma que foi possível. No norte do país não tivemos problemas linguisticos, e também fomos super bem tratados.

Em resumo, a primeira impressão pode levar um tempo pra se desfazer, mas nesse caso, principalmente depois dessa ultima viagem, sou só elogios aos belgas! Gostei de mais de ter voltado lá e explorado melhor o país!

Bruges

Bruges

→ Segurança

Esse é um assunto delicado. Todo mundo sabe que a Bélgica (assim como diversos outros países) está sofrendo com os ataques terroristas e obviamente a segurança precisou ser reforçada. Vi muitos policiais principalmente em Bruxelas. No restante do país vi alguns, mas nada tão intenso como em Bruxelas.

Tirando isso, a Bélgica em geral é super segura. Nunca passei por nenhuma situação desconfortável ou que me deixasse com medo, sendo durante o dia ou a noite. Obviamente vale o bom senso e é bom sempre ficar atento, como em qualquer lugar do mundo.

→ Outras informações

Quem quiser saber mais sobre a Bélgica, eu recomendo o blog Viajoteca (a Martinha é praticamente uma especialista sobre o país) e o instagram @vivabelgica da Roberta.

** Precisando de hotel na Bélgica? Inicie as pesquisas aqui.

** Precisando de seguro viagem? Inicie as pesquisas aqui.

** Precisando alugar um carro? Inicie as pesquisas aqui e/ou aqui.

Se você gostou das dicas, ao reservar hospedagem, seguro viagem e aluguel de carro aqui pelo blog, nós ganhamos uma pequena comissão, mas você não paga nada a mais por isso. Obrigada! :D

Posts relacionados:

Todos os posts sobre a Bélgica

Siga o Blog Contando as Horas nas redes sociais:

no Instagram: @brunabartolamei

e curta nossa fanpage no Facebook: facebook.com/ContandoAsHoras

Bruna Bartolamei
Siga-me

Bruna Bartolamei

Catarinense, mas já morou em Curitiba (8 anos) e em Edimburgo, a capital da Escócia (quase 2 anos). Criou o blog pra contar um pouco mais sobre como foi o seu intercâmbio na terra dos Kilts e das Gaitas de Fole, e também, sobre suas viagens pelo mundo.
Bruna Bartolamei
Siga-me
Postado em Antuérpia, Bélgica, Bouillon, Bruges, Bruxelas, Chimay, Dinant, Florenville - Orval, Gent, Rochefort, Waterloo
Booking.com
  1. Martinha Andersen 03/10/2016 | 05:50

    Obrigada pela indicação Bruna.
    Um dia quero ser sim especialista do país. Estou trabalhando para isso. Tenho muitos projetos envolvendo o país.
    Amo muito a Bélgica e suas delícias gastronômicas e cidades, casei com um belga, viajo para lá frequentemente, …
    Concordo que na Valônia o inglês é complicado, mas ao mesmo tempo, eles sempre tentam entender os turistas.
    Beijão =)

    • Contando as Horas 04/10/2016 | 15:32

      Oi, Martinha

      Eu achei as tuas postagens no Viajoteca excelentes. Depois que defini meu roteiro e comecei as pesquisas, elas me ajudaram muito!

      Sei bem como é essa sensação, pq eu tenho o mesmo com a Escócia. Também to sempre buscando pesquisar e viajar cada vez mais pra lá e deixar esse destino bem completinho aqui no blog.

      Obrigada pela visita aqui no blog!

Deixe o seu comentário...