05.03
2017

Bélgica: Roteiro de 1 dia em Gent, a cidade das 3 torres

Gent é uma cidade universitária localizada na região de Flandres, no norte da Bélgica, exatamente no meio do caminho entre Bruxelas e Bruges. E por esse motivo, a maioria das pessoas apenas fazem um bate volta até lá, afinal, é totalmente viável fazer isso. Gent fica a 50 km de Bruxelas e a 39 km de Bruges.

DSC_1440

Mas o que muitas pessoas não sabem é que, Gent recebe um numero enorme de excursões durante algumas horas do dia e no restante do dia e a noite, a cidade fica praticamente deserta. Com isso, vem a boa notícia, os preços das hospedagens são muito mais baratas que em Bruxelas e Bruges. 

Apesar de ser uma cidade relativamente grandinha (para os padrões belga), a parte mais turística da cidade é super compacta. A maior parte das atrações ficam nos arredores do encontro dos rios Leye e Scheld, com várias pontes,  facilitando a exploração da cidade a pé.

IMG_8325

Começamos o nosso roteiro pela atração que estava mais perto do nosso hotel (clique aqui para ver o post -> Dica de Hotel em Gent: B&B Snooz Inn), o Portus Ganda, um lugar as margens do rio Leye cheio de casinhas coloridas.

DSC_1355

Caminhamos cerca de uns 10 minutos até chegar na Vrijdagmarkt, uma praça com casinhas tipicas holandesas, transformadas em restaurantes, pubs, mercados e lojas. A praça tem esse nome pq desde o século 12, todas as semanas é montado um mercadinho ali, onde são vendidos praticamente tudo, desde comida, artesanatos e até antiguidades. Infelizmente nos dias que estivemos lá o mercadinho não estava montado, mas aproveite pra fotografar a praça e conhecer a estatua de Jacob van Artevelde, localizada no centro da praça, um líder politico muito importante para a cidade.

DSC_1605

DSC_1594

DSC_1607

DSC_1602

Nossa próxima parada foi a Praça de São Bavão (Sint Baafsplein), local onde surgiu a cidade de Gent. É nesse local onde fica a Catedral de São Bavão (Sint-Baafskathedraal), considerada a principal igreja da cidade. Essa igreja foi construída durante o século 15 para prestar uma homenagem ao Santo Bavão, padroeiro da cidade. Se você for visitar a cidade nos próximos meses, vai ver que a torre principal está sendo reformada, pelo que fiquei sabendo, essa obra deve ser concluída no final agora de 2017.

DSC_1384

A atração mais importante dessa igreja é a obra chamada de Retábulo de Gent ou A Adoração do Cordeiro Sagrado, obra de Hubert van Eyck e Jan van Eyck (tem uma escultura com eles nos fundos da igreja, os irmãos van Eyck estão sentados no centro). Essa obra é formada por 12 pequenos painéis, pintados frente e verso, sendo que oito deles são como janelas que podem fechar. Não deixe de reparar que o painel do canto esquerdo foi roubado e é o único que é uma reprodução. Os outros painéis são todos originais. Caso você perceba que um dos painéis está em preto e branco, isso significa que eles está passando por restauro e pra não deixar o espaço vazio, essa foi a solução encontrada. Os restauros dos painéis vão durar 7 anos, com data marcada para terminar os trabalho somente em 2019.

DSC_1534

DSC_1364

O retábulo está localizado logo na entrada, no lado esquerdo, em uma salinha com condições de temperatura e iluminação especiais. É necessário comprar ingresso para ter acesso a essa obra (em setembro de 2016, o valor do ingresso era de 4,00 euros). E já adianto, vale cada centavo. Tem áudio guia também, se quiser ouvir alguma explicação. Vale a pena também dar uma voltinha pela igreja, ali estão obras de artistas como Crayer, Rubens, entre outros. Não deixe de reparar nos vitrais, um mais bonito que o outro. A entrada na igreja é gratuita.

DSC_1372

DSC_1368

DSC_1370

DSC_1373

Do outro lado da praça fica o Campanário de Gent (Belfort van Gent), construída durante o século 14. Em 1999 foi declarado Patrimônio da Humanidade pela Unesco, compondo o Conjunto de Campanários da Bélgica e França.

DSC_1374

DSC_1378

DSC_1422

Se antigamente a torre servia de local para vigiar a cidade, atualmente, no alto dos seus 91 metros de altura, oferece uma das melhore oportunidades de ver a cidade de Gent do alto. Imperdível! Durante o processo de subida até o alto da torre, a gente vai passando por um pequeno museu dividido em varias partes, cada etapa conta sobre a história da cidade, sobre o campanário, sobre o relógio, entre outros assuntos relacionados.

DSC_1388

DSC_1392

A subida é feita por escadas (logo no inicio e no final), mas o restante da subida é de elevador. Em setembro de 2016, o valor do ingresso era de 8,00 euros.

DSC_1393

DSC_1400

Repare que nessa praça ainda tem duas outras construções que acabam chamando muito atenção: a Stadhuis, a prefeitura de Gent, com um mix de estilo e a Poeljemarkt, um pavilhão com estrutura super moderna, onde acontecem apresentações culturais.

DSC_1408

Poucos passos adiante está a Igreja de St Nicholas (Sint Niklaaskerk), a igreja mais antiga entre as principais igrejas da cidade, pois foi construída durante o século 13. Entre os principais destaques estão a obra o Cristo na Cruz de van Dyck e o orgão da igreja, que veio da França. Entrada gratuita.

DSC_1382

DSC_1426

DSC_1429

Ao chegar na Ponte de São Miguel (Sint-Michielsbrug), antes de se impressionar com a próxima atração, vire para tras. É dali onde se tem a melhor vista das 3 Torres símbolos da cidade, a torre da Catedral de São Bavão, do Campanário e da Igreja de St Nicholas.

DSC_1455

DSC_1439

Do alto dessa mesma ponte, da pra ter uma visão da próxima atração a ser desbravada, os calçadões Graslei (lado direito do mapa) e Korenlei (lado esquerdo do mapa), localizados as margens do rio Leye.

DSC_1449

Essa parte da cidade da pra ser explorada a pé ou de barco (apesar de a gente não ter feito, eles duram 40 minutos e o tour parte da Graslei). Antigamente essa cidade era um antigo porto da cidade, mas atualmente, principalmente em um belo dia de sol, como tivemos a sorte de pegar enquanto estávamos lá, vimos várias pessoas sentadas as margens desses dois calçadões conversando e curtindo a vibe da cidade. A noite esse lugar também se transforma na melhor opção, afinal, é onde estão alguns hotéis, museus, lojas (lojas de chocolate!!), restaurantes e bares da cidade.

DSC_1461

DSC_1539

DSC_1549

DSC_1557

A próxima atração que visitamos foi o Gravensteen, o castelo dos condes de Flandres. É um castelo medieval super bem conservado, construído durante o século 12, para defender a cidade. Os dois grandes destaques desse lugar, na minha opinião, são: caminhar pelas muralhas, de onde se tem ótimas vistas da cidade e visitar a sala de torturas, com uma grande coleção de instrumentos (guilhotina, objetos de tortura e tem até uma masmorra) e técnicas de tortura usada contra inimigos que tentavam invadir a cidade. Valor de 10,00 euros em setembro de 2016.

IMG_8095

DSC_1467

DSC_1468

DSC_1513

DSC_1515

DSC_1494

DSC_1473

Caminhando pelos arredores do castelo, chegamos a Ponte Kleine Vismarkt, localizada perto de dois grandes mercados da cidade, o Vismarkt (mercado de peixes) e o Vleesmarket (mercado de carnes). Na região onde estão esses mercados, existe uma série de café e lojinhas legais. Quando estivemos lá, essa área tinha uma obra na rua, o que prejudicou um pouco nossas fotos, mas deu pra conhecer tranquilamente.

DSC_1524

DSC_1584

DSC_1530

DSC_1528

Aproveite pra caminhar pela Langemunt, uma rua para pedestres cheia de lojas de marcas nacinais e internacionais. No fim dessa rua, sentido contrario de onde está a Vrijdagmarkt, fica o Korenmarkt, outro mercado importante da cidade. Antigamente era onde eram comercializados os grãos na cidade, mas atualmente é uma região cheia de restaurantes e bares (fica quase ao lado da Igreja de St Nicholas).

IMG_8159

IMG_8157

E pra terminar nosso dia em Gent, ainda passamos meio sem querer pela Werregarensteeg, a rua dos grafites. É uma área aberta, com várias obras de grafite. Como dá pra imaginar, super coloridos. Vale a pena caminhar por ali alguns minutinhos.

IMG_8156

IMG_8154

IMG_8146

Apesar de não termos visitado, Gent conta com 3 museus: Museum voor Schone Kunsten (Museu de Belas Artes), SMAK (Museu de Arte Contemporânea) e o Design Museum. Fica a dica!

→ Outras informações

Gent tem cinco estações de trem, mas as principais são: Gent-St-Pieters (a maior de todas e ainda é uma estação internacional, pois da pra ir até Lille, na França) e a Dampoort (mais usada para deslocamentos dentro das cidades da região de Flandres). Nós chegamos de Bruxelas na estação de St-Pieters e la pegamos outro trem para Dampoort, que ficava localizada perto do nosso hotel. Para todos os outros deslocamentos, só usamos a Dampoort.

DSC_1615

Se estiver na cidade em uma quinta-feira, aproveite para participar da Donderdag Veggiedag, uma espécie de dia vegetariano. Existem diversos restaurantes específicos e alguns tem cardápios especiais nesse dia. Além disso, pelo que li, dizem que escolas e organizações publicas só servem comida vegetariana nesse dia.

DSC_1624

No norte da Bélgica, na região de Flandres, existem algumas comidas e bebidas tipicas. Nós provamos algumas, como: Waterzoii (pedaços de carne ou peixes, servidos com vegetais na nata e gema de ovo) e Stoofvlees ou Stoverij Carbonade Flamande (uma carne cozida com cerveja, acompanha batata frita), Presunto Ganda. Não deixe de provar as geleias da Callas Confiture, são maravilhosas! Gruut é uma cerveja artesanal produzida na cidade.

DSC_1632

Obs.: Como a cidade está localizada na região de Flandres, a parte holandesa da Bélgica, eu usei nesse post o nome da cidade em holandês, mas o nome da cidade em francês é Gand, em inglês Ghent e em português Gante. Não se assuste com isso, pq todas essas variáveis são facilmente encontradas por ai!

** Precisando de hotel em Gent, inicie as pesquisas aqui.

** Precisando de seguro viagem, inicie as pesquisas aqui.

** Precisando alugar um carro? Inicie as pesquisas aqui e/ou aqui.

Se você gostou das dicas, ao reservar hospedagem, seguro viagem e aluguel de carro aqui pelo blog, nós ganhamos uma pequena comissão, mas você não paga nada a mais por isso. Obrigada! :D

Posts relacionados: 

Todos os posts sobre a Bélgica

Todos os posts sobre Gent

Siga o Blog Contando as Horas nas redes sociais:

no Instagram: @brunabartolamei

e curta nossa fanpage no Facebook: facebook.com/ContandoAsHoras

Bruna Bartolamei
Siga-me

Bruna Bartolamei

Catarinense, mas já morou em Curitiba (8 anos) e em Edimburgo, a capital da Escócia (quase 2 anos). Criou o blog pra contar um pouco mais sobre como foi o seu intercâmbio na terra dos Kilts e das Gaitas de Fole, e também, sobre suas viagens pelo mundo.
Bruna Bartolamei
Siga-me
Postado em Bélgica, Gent
Booking.com
  1. Cintia - História e Viagens 12/10/2017 | 23:37

    Oi Bruna, obrigada pelas dicas, já coloquei-as integralmente no meu plano! :)

Deixe o seu comentário...