19.03
2017

Roteiro de 1 dia em Olinda

Fundada em 1535, Olinda é uma daquelas cidades históricas brasileiras que todo mundo quer conhecer. Quem for a Pernambuco, é muito fácil incluir ela no roteiro, afinal, a cidade está localizada na região metropolitana de Recife, no litoral norte do estado.

Depois de Ouro Preto, Olinda foi a segunda cidade Brasileira a ser declarada Patrimônio Histórico e Cultural da Humanidade pela Unesco. Turisticamente falando, a cidade é super compacta, facilmente da pra conhecer as principais atrações em um único dia na maior tranquilidade. E foi isso que eu fiz!

Olinda 0

Obviamente que nosso roteiro foi todo planejado pra conhecer apenas o Centro Histórico, local onde estão todas as igrejas e museus importantes. Eu havia lido na internet que as praias não são proprias para banho e chegando lá, infelizmente, me confirmaram essa informação. Então acabamos nem colocando nossos pés na praia. 

Nosso roteiro começou na Praça da Abolição, local onde é possivel contratar um guia para acompanhar durante o passeio. Quando a gente chegou ali, fomos abordados por guias que fazem parte do ACNO – Associação dos Condutores Nativos de Olinda. Confesso que até então nunca tinha ouvido falar, mas conversando com o pessoal ali do comercio local, eles nos garantiram que eram pessoas que faziam um serviço sério. Por esse motivo, contratamos o guia Misael, que nos acompanhou nessas andanças.

DSC_8872

DSC_8873

Vale dizer que, se vc quer apenas ter uma visão geral da cidade, esse é o principal foco deles. O tour é rapidinho, coisa de umas 2 horas, no máximo. Agora, se você quiser um tour mais tranquilo, entrando e conhecendo as atrações, da pra negociar. Ele nos acompanhou por umas 4 horas e olha, foi na medida. Deu pra conhecer tudo com bastante calma.

Em frente a Praça da Abolição fica a Igreja de Nossa Senhora do Carmo, fundada em 1580, quando a Ordem dos Carmelitas chegou a cidade. Essa igreja foi considerada a primeira construção dessa Ordem aqui nas Américas. Dizem que durante a época de batalhas travadas contra os holandeses essa igreja e o convento em anexo foram praticamente totalmente destruídos. A igreja passou por uma grande reforma depois disso, mas logo veio a ficar abandonada novamente. Foi nessa época que a igreja sofreu varios saques, onde foram roubadas diversos objetos valiosos. O que a gente vê atualmente é fruto de uma grande obra de restauração comandada pelo Iphan durante o século passado. Fecha no horário do almoço e aos domingos a tarde. Valor é de 2,00 reais.

DSC_8874

DSC_8878

DSC_8887

DSC_8889

Subimos uma pequena ladeira, a Ladeira de São Francisco, em direção ao Convento de São Francisco, considerado o convento franciscano mais antigo do Brasil. Ali é possivel entrar e visitar a Capela dos Noviços, Capela de São Roque, a Igreja de Nossa Senhora das Neves, a Sacristia e o cemitério. Não deixe de reparar nos azulejos portugueses, super bonitos. Diz que o altar principal é todo banhado a ouro. Fechado durante o horário do almoço e aos domingos a tarde. Valor de 2,00 reais.

DSC_8575

DSC_8576

DSC_8550

DSC_8553

DSC_8554

DSC_8547

DSC_8563

Ali do lado fica a Igreja de Nossa Senhora da Graça e o Seminário de Olinda. A gente não visitou pq estava tudo fechado, mas ali do alto da pra ter uma vista do mar a distância.

DSC_8597

DSC_8593

DSC_8590

DSC_8581

DSC_8582

No trajeto até a Catedral Sé de Olinda, passamos por algumas lojinhas que vendem sourvenirs e artesanato.

DSC_8600

A Catedral Sé de Olinda ou também conhecida por Catedral Alto da Sé é a principal igreja da cidade. Dizem que durante o período de ocupação dos holandeses essa igreja pegou fogo e não restou praticamente nada pra contar história. Tempos depois ela foi reconstruída, mas somente no século passado ela passou por uma ampla reconstrução e restauração. Internamente a decoração é bem simples. Sambem fecha no horário do almoço. Entrada gratuita.

DSC_8658

DSC_8650

O que tem levado muitos turistas até lá é o seu mirante, um varandão com uma vista 180 graus de Olinda (da até pra ver Recife mais ao fundo). Vale a pena! A vista é super legal!

DSC_8609

DSC_8616

DSC_8618

DSC_8644

DSC_8613

DSC_8620

Em frente a essa igreja tem uma pracinha onde está localizado o Mercado de Artesanato do Alto da Sé. Tem várias coisinhas legais ali. Comprei uma toalha feita pela esposa de um senhorzinho, não sei quantos fios, super bonita! Vale a pena parar ali pra dar uma olhada, tem coisas de boa qualidade.

DSC_8719

Ainda nessa praça, fica outra atração turística de Olinda, o Elevador Panorâmico de Olinda, construído em 1934 junto ao prédio da Caixa d’Água. Lá do alto dos seus 20 metros de altura, a gente tem uma visão 360 graus de Olinda e da até pra ver Recife e o mar.

DSC_8723

DSC_8689

DSC_8661

DSC_8664

DSC_8667

Ai você deve estar se perguntando.. Já tinha ido no mirante da Igreja da Sé, pq ainda foi nesse outro mirante? A principio eu não ia (não tava no roteiro subir nesse mirante), mas ao chegar lá, achei que seria legal tem uma vista mais do alto e além disso, pude ver a Catedral Sé de Olinda e a pracinha em frente lá do alto, além de outras partes da cidade de Olinda. Achei que valeu a pena! A visita é rapidinha, coisa de uns 20 minutos. Abre todos os dias, não sei se fecha no horário do almoço e o valor é de 5,00 reais.

DSC_8683

DSC_8688

DSC_8690

DSC_8704

DSC_8681

Pra quem tiver interesse, bem ao lado fica o Museu de Arte Sacra de Pernambuco. Eu acabei não visitando, mas pelo que o guia falou, ali estão em exibição objetos, pinturas e peças que pertenciam a Arquidiocese de Olinda e Recife. Fechado as segundas-feiras e nos horários de almoço. Valor de 2,00 reais.

DSC_8725

Pra quem curte carnaval (o que não é o meu caso!) ali do ladinho também fica o Museu Casa dos Bonecos Gigantes de Olinda.

DSC_8729

Logo adiante, fica a Igreja da Misericórdia. Se conseguir chegar antes do horário do almoço, dá pra acompanhar a missa e orações com participação de freiras. A gente chegou a tempo e deu pra ver um pedacinho, bem legal. Também vale prestar atenção na decoração interna da igreja, uma das mais bonitas que vi em Olinda. O altar super bonito e nas paredes laterais, alguns azulejos portugueses. Essa igreja só abre durante as missas. Entrada gratuita.

DSC_8737

DSC_8736

DSC_8739

DSC_8742

Descemos uma ladeira gigantesca e vimos de longe a Igreja de Nossa Senhora do Amparo e entramos na rua do Amparo, onde caminhamos pela rua de paralelepípedo, passando por diversas casinhas históricas coloridas, entre elas o Museu Regional de Olinda, até chegar ao cruzamento chamado de Quatro Cantos. Procure pela rua de São Bento.

DSC_8747

DSC_8749

DSC_8774

DSC_8759

DSC_8763

Nessa rua fica o Mercado da Ribeira, voltado a venda de carne, peixes e hortaliças. No centro tinha um pelourinho. Hoje em dia, existem ali diversas lojinhas de souvenirs e artesanato em geral.

DSC_8812

DSC_8813

No lado esquerdo, tem uma porta, que dá acesso a um terraço que rende ótimas fotos da parte mais alta da cidade onde a gente esteve mais cedo visitando o Mirante do Alto da Sé e a Igreja Sé de Olinda.

DSC_8792

DSC_8795

DSC_8787

Voltando a rua de São Bento, a gente passou pelo Museu do Mamulengo, mas não visitamos.

DSC_8817

DSC_8816

Nessa rua existem diversas casinhas históricas coloridas bem bonitinhas, algumas transformadas em bares e restaurantes.

DSC_8824

DSC_8822

Um pouco antes de chegar no prédio da Prefeitura, fica a casa onde mora o cantor Alceu Valença.

DSC_8827

DSC_8826

Logo adiante fica a rua Quinze de Novembro, outra rua de paralelepípedo com diversas casinhas históricas coloridas. Vale a pena da uma caminhada por ali. No final dessa rua, antes de chegar em um rio, fica a Igreja de São Sebastião (não visitamos, pq estava fechado).

DSC_8860

DSC_8831

DSC_8833

No final da rua de São Bento fica a Igreja e o Mosteiro de São Bento. Nós não conseguimos visitar o mosteiro, apenas a igreja. A igreja é super bonita, tem o altar toda folheada a ouro e painéis nas paredes laterais retratando a vida de São Bento. Dizem que por 24 anos o mosteiro abrigou aulas do primeiro curso de direto do Brasil. Infelizmente tudo o que a gente vê ali hoje em dia é fruto de trabalho de reconstrução e restauros, pois durante o período de ocupação holandesa varias coisas foram queimadas e destruídas. Não abre no horário de almoço. A visita é gratuita.

DSC_8838

DSC_8855

Outra atração que a gente queria ter ido visitar era o Fortim de São Francisco, também conhecido como Fortim do Queijo. Na verdade, a gente foi até lá, mas ao ver meio de longe que o local estava todo pichado com ares de abando total, demos meia volta e saímos dali rapidinho. E obviamente, a gente também queria ter ido as praias de Olinda. Pelo que tinha pesquisado, a cidade tem  praias, mas nenhuma delas é propicia para banho. Ninguém na cidade nos aconselhou a ir até lá. Na duvida, resolvemos não ir.

DSC_8858

Ai o que nos restou? Sentar em um bar, petiscar e tomar uma cervejinha. Um bar que a gente altamente recomenda é o Xinxim das Artes. Ele fica bem ali no fervo do cruzamento Quatro Cantos. Final de tarde esse lugar fica lo-ta-do! O cardápio desse bar não é muito grande, mas tem diversos pratos nordestinos. Nos provamos acarajé, acompanhado de varias algumas cervejas artesanais nacional.

DSC_8864

DSC_8867

Minha opinião: Sabe quando você comenta com alguém dizendo que está indo pra algum lugar e todo mundo te aconselha a ficar SUPER ligado. Foi isso que aconteceu quando falamos que a gente iria pra Olinda. Fiquei meio nervosa com essa informação, afinal, eu tinha uma ideia de que a cidade seria algo parecido com que vi nas Cidades Históricas de Minas Gerais, mas não. Olinda é muito maior, tem muito mais população, as construções históricas (como vocês podem ver nas fotos) estão num total descaso, super mal conservadas. A cidade em si eu também achei bem abandonada. As ruas sujas e tudo (literalmente tudo) pichado. Por tudo que vimos e ouvimos, resolvemos seguir o conselho de moradores de Pernambuco, contratamos um guia para andar com nós pela cidade. Não ficamos até tarde na rua. E a gente só tirava a câmera pra fotografar rapidinho e logo ela já voltava pra mochila. Eu mesma, nem levei minha bolsa e meu celular, pq confesso, fiquei muito preocupada.

DSC_8861

DSC_8862

DSC_8863

** Precisando de hotel em Olinda? Inicie as pesquisas aqui.

** Precisando de seguro viagem? Inicie as pesquisas aqui.

** Precisando alugar um carro? Inicie as pesquisas aqui e/ou aqui.

Se você gostou das dicas, ao reservar hospedagem, seguro viagem e aluguel de carro aqui pelo blog, nós ganhamos uma pequena comissão, mas você não paga nada a mais por isso. Obrigada! :D

Posts relacionados:

Todos os posts sobre Pernambuco

Todos os posts sobre Olinda

Siga o Blog Contando as Horas nas redes sociais:

no Instagram: @brunabartolamei

e curta nossa fanpage no Facebook: facebook.com/ContandoAsHoras

Bruna Bartolamei
Siga-me

Bruna Bartolamei

Catarinense, mas já morou em Curitiba (8 anos) e em Edimburgo, a capital da Escócia (quase 2 anos). Criou o blog pra contar um pouco mais sobre como foi o seu intercâmbio na terra dos Kilts e das Gaitas de Fole, e também, sobre suas viagens pelo mundo.
Bruna Bartolamei
Siga-me
Postado em Brasil, Olinda, Pernambuco
Booking.com
Deixe o seu comentário...