15.04
2012

Um fim de tarde em Malmö, na Suécia

Enquando ainda estavamos na Rundetårn, acabamos avistando a ponte de Øresund láááá looonge. Convesa vai, convesa vem, surgiu a idéia.. Vamos até Malmö, agora????? Todo mundo gostou da idéia!! Ainda era relativamente cedo, e como nos meses de verão costuma escurecer bem mais tarde, achamos que seria uma oportunidade perfeita! Então, já que estavamos ali tão perto, pq não aproveitarmos para atravessar uma das maiores pontes da Europa, com mais de 7 mil metros de comprimento, e ainda de quebra, conheceriamos um pouco da Suécia?!?!

Fomos direto até a Estação Central de Copenhagen, a København H, compramos nossos tickets no guiches de atendimento (mas também dá pra comprar diretamente nas máquinas). Acabamos comprando nos guiches, pq não pesquisamos nada sobre o passeio e não sabiamos nem qual trem pegar.

A atendente foi bem simpática e nos disse que o trajeto que liga a Dinamarca a Suécia era feita com o trem Öresundståg. Esse trem é de uma empresa sueca e foi justamente ele que nos levou, em pouco menos de 30 minutos, até Malmö, na Suécia.

(Para quem chega em Copenhagen de avião, o trajeto entre o centro e o aeroporto também é feito por esse trem).

O trem é super novinho e como esperado, além de pontual, por sorte também não estava lotado naquele horário.

Para entender um pouco de como é essa região… a Dinamarca é separada da Suécia pelo estreito de  Øresund. Ainda na década de 90, os governos dos dois países acharam que seria interessante ter um meio terrestre que ligasse a Dinamarca aos demais países escadinavos, e foi assim que surgiu a idéia de construir essa ponte. O projeto não foi fácil, vieram vários especialistas de todas as partes do mundo ajudar na confecção do projeto, que foi comandado por uma empresa dinamarquesa, a Dissing+Weitling.

Vários fatores tiveram relevância e exigiram muitas pesquisas antes de simplesmente chegar lá e começar a construir a ponte.

Os engenheiros tiveram que pesquisar uma forma como construir a ponte sem que ela viesse a sofrer impacto com a força do vento, tiveram que levar em consideração a passagem de embarcações (navios de grande porte) que atravessam o estreito com grande frequencia, sem esquecer também, que ali perto ficava o aeroporto que serve Copenhagen, e assim a ponte também não poderia ter suas astes muito altas para não acontecer acidentes com aviões.  Tiveram ainda que se preocupar em como otimizar a contrução ao máximo e além de incluir os trilhos de trem, teveram que construir estradas para que os carros, ônibus e caminhões pudessem atravessar a ponte. E além disso tudo, ainda havia mais uma preocupação: nos meses de inverno, a quantidade de neve acumulada na ponte poderia trazer instabilidade para estrutura? E os blocos de gelo que as vezes se formam no mar, atrapalhariam a passagem dos navios pela ponte?

Dá pra perceber que a obra foi bem complexa e assim, os gastos também foram elevados.

E não dá pra deixar de comentar que a travessia é beeem curiosa. Enquanto estamos saindo da Dinamarca, estamos ainda em terra, entramos na ponte e lá pela metade do trajeto, simplesmente tudo fica escuro, isso pq o trecho mais próximo da Suécia é feita por baixo do mar, entramos em um tunel, semelhando ao eurotunel no canal da mancha, aqueeele que liga o Reino Unido ao continente Europeu.

Pra quem gosta dessas modernidades da engenharia, o passeio já vale só por atravessar a ponte.

Desembarcamos em Malmö na Estação Central, que fica bem próximo ao centrinho da cidade e a uma curta caminhada do porto. Mesmo sendo a terceira maior cidade da Suécia, a cidade é pequena, tem uma população de apenas 250 mil habitantes.

Uma coisa que de cara já nos chamou a atenção foi a quantidade de bicicletas. Assim como a Dinamarca, exite até estacionamento exclusivo só para elas.

Caminhar pela cidade é bem agradável, todas as principais atrações (que não são muitas) ficam pertinho da Estação Central.

Primeiro fomos visitar a Igreja de St Petri, que com seu estilo gótico e sua torre em forma de agulha da pra ve-la de todas as partes da cidade.

Depois de caminhar pelas ruazinhas exclusivas para pedestres, e entrar em algumas lojinhas.. seguimos caminhando para o Porto da cidade. O porto passou por uma revitalização recentemente e agora está cheia de lojas e restaurantes.

 

Ali, além de ver um por-do-sol imperdível e o farol da cidade, vimos uma das mais novas obras do arquiteto Santiago Calatrava, o edificio Turning Torso, que é considerado o maior edificio de toda a Suécia, com 190 metros de altura. A arquitetura, digamos que é um pouco diferente do que estamos acostumados a ver por ai e o que mais chama a atenção, é que o edificio lembra cubos gigantes empilhados.

Voltamos para Copenhagen um pouco antes de começar a escurecer, e fizemos o mesmo trajeto na volta, atravessamos a ponte de Øresund novamente. Fica mais uma opção de visita para quem for a Copenhagen!!

Postado em Malmö, Suécia
Booking.com
20.08
2010

Roteiro: Escócia, Inglaterra, Suécia, Dinamarca e Holanda

Essa vai ser a quarta viagem internacional em família e também o início do meu intercâmbio na Escócia. A princípio, o intercâmbio será de no máximo 6 meses, pois esse é o tempo permitido quando recebemos o visto de estudo no UK Border, em pleno aeroporto de Heathrow.

Urquhart Castle, nas margens do Lago Ness

Mas conforme fui lendo, buscando informações sobre a tão temida chegada de brasileiros no Reino Unido, confesso que me deu um medinho. Acabei convencendo todo mundo lá de casa a ir comigo (como se isso fosse o maior sacrifício do mundo)!

Como eu vinha com 2 malas gigantes, pra facilitar nossa locomoção, achamos melhor começar a viagem pela Escócia, para deixar minhas malas e assim, continuar o nosso tour pela Europa. Continue Lendo…

Postado em Amsterdã, Copenhague, Dinamarca, Edimburgo, Escócia, Hampton Court, Highlands, Hillerød, Holanda, Inglaterra, Londres, Malmö, Roskilde, Suécia, York
Booking.com