05.11
2014

Loch Lomond: Um bate-volta imperdível a partir de Glasgow

Que o Loch Ness é o lago mais conhecido da Escócia, isso ninguém dúvida. E o mais bonito? Praticamente impossível escolher apenas um. Eu estou longe de ter conhecido todos os milhares de lagos que existem na Escócia, mas dois que eu achei muito bonitos foram: Loch Linnhe (onde fica o Castelo de Stalker) e o Loch Shiel (que fica de frente pro Viaduto Glenfinnan). Mas claro que agora que conheci o Loch Lomond, ele também entrou para esse meu seleto grupinho de preferidos.

SONY DSC

No Parque Nacional Trossachs, fica o Loch Lomond (Loch Laomainn em gaélico), considerado o maior lago da ilha da Grã-Bretanha (ilha formada por Inglaterra, País de Gales e Escócia), pois o maior lago de todo o UK fica na Irlanda do Norte. Ele fica mais próximo da costa oeste da Escócia, as margens do vilarejo de Balloch e bem perto de Glasgow.

Quem estiver em Glasgow, pode perfeitamente fazer esse passeio por conta própria, pois é muito fácil e bem tranquilo de chegar lá.

IMG_1779

A melhor opção de transporte público para ir até o Loch Lomond, é o trem. Os trens partem de Glasgow da estação de Glasgow Queen Street (GLQ), sempre das plataformas que ficam no subsolo e chegam na única estação de Balloch (BHC), que fica praticamente grudada com o pier de onde partem os passeios de barco pelo lago.

IMG_1786

Na verdade, esse trem percorre a região metropolitana de Glasgow, então tem bastante paradas pelo caminho, mesmo o trajeto sendo direito. Como o tempo de viagem é algo em torno de 45 minutos (dependendo do horário escolhido, alguns trens podem demorar mais), o jeito é sentar, curtir a paisagem e esquecer da vida.

IMG_1830

Chegando em Balloch, que é a estação final desse trajeto, ao sair da estação pela saida secundária, vai ter um escritório de turismo do Visit Scotland e um pouquinho mais adiante, o quiosque onde são vendidos os tickets para o passeio.

SONY DSC

SONY DSC

Eu comprei meu ticket ali, mas como teoricamente eu tinha um tempinho sobrando até o passeio de barco começar, eu fui caminhar pelo vilarejo (minusculo!) e fui conhecer também o Centro de Visitantes, mais conhecido por Loch Lomond Shores.

SONY DSC

O Centro de visitante, apesar de ser pequeno, é bem organizado. São duas construções, onde numa fica um aquário (que eu não visitei) e um mini-shopping com diversas lojas e restaurantes. Como eu estive lá em uma sábado, tava acontecendo uma feirinha, o que deixou o lugar lo-ta-do!

SONY DSC

Bem em frente, mas na margem oposta do lago está atracado o navio Maid of the Loch, que é sempre muito fotografado!

SONY DSC

Uns 10 minutos antes da hora marcada pro tour começar, eu já estava de volta ao pier. Teoricamente, o horário que eu escolhi tava bem tranquilo, o barco nem chegou a lotar, o que foi muito bom.

IMG_1820

SONY DSC

O ideal é subir direto pro deck superior do barco, onde tem diversos bancos por todas as partes. Quem achar que tá muito frio, existe a possibilidade de sentar no deck inferior, que é fechado e protege melhor do vento gelado.

SONY DSC

Dica: no inicio do tour, é bom sentar no lado direito e logo ao passar pelo primeiro castelo, é legal mudar de lado, pois o restante das atrações estão todas do outro lado. Não vá achando que o barco volta pelo mesmo trajeto, pq isso não acontece.

SONY DSC

O trajeto é percorrido beeeem lentamente. Mesmo que a velocidade do barco seja pequena, o vento e o frio são constantes. É bom ir bem agasalhado, mesmo durante o verão.

Por todo o trajeto, a gravação com a voz do apresentador Neil Oliver, vai narrando  tudo o que podemos ver pelo caminho, além disso, ele conta algumas curiosidades, fala sobre a fauna e flora local, entre outras histórias.

SONY DSC

Entre essas histórias, eu destaco: a grande maioria das construções nos arredores do lago eram castelos em ruínas que foram transformados em hotéis (onde diversos famosos já se hospedaram), além de alguns outros castelos como o Lennox Castle (onde a Queen Mary ficou hospedada uma vez) e o Balloch Castle. E claro, pra quem quer praticar um esporte popular no país, tem até um campo de golf por ali.

SONY DSC

No total, o lago pode ter até 60 ilhas, mas claro que tudo vai depender do nível da água. No dia que eu fiz o passeio, o guia disse que foram identificadas apenas 23 ilhas, o que significa que o lago estava com um volume de água bem acima do normal.

SONY DSC

Nesse tour a gente só vai até a primeira e maior ilha do lago, a Inchmurrin Island, mas o barco só passa perto da margem sul dessa ilha.

SONY DSC

E por fim, um pouco antes do barco pegar o caminho de volta, avistamos a grande estrela do passeio, o Ben Lomond, imponente com os seus quase 1000 metros de altura.

SONY DSC

Dicas práticas:

– A única empresa que faz esse passeio pelo Loch Lomond partindo de Balloch é a Sweeneys. Eles tem diversos tipos de barcos e rotas dependendo da estação do ano. Mas quem for partir de outros vilarejos que ficam as margens do lago, a empresa Cruise Loch Lomond é a mais indicada.

– Basicamente os dois tours mais procurados são: Experience Cruise (que foi o que eu fiz e tem duração de apenas 1 hora e os horários são pré estabelecidos, claro) e o Island Discovery Cruise (dura 2 horas e tem menos opções de horários).

IMG_1817

A principal diferença entre eles, além do preço e do tempo de viagem, é que inicialmente eles percorrem o mesmo trajeto, mas o Island Discovery segue um pouco mais adiante, navengando entre as ilhas e chegando mais próximo ao Ben Lomond.

– Pq eu não fiz o passeio de 2 horas? Pq eu não sabia que o barco andava assim tãããão devagar e achei que ia ser cansativo e literalmente enjoativo ficar dentro do barco todo esse tempo. Mas fora isso, imagino que deve ser tão ou mais bonito quanto esse passeio que fiz. Quem não enjoa durante passeios de barco e quiser conhecer melhor o lago, com certeza essa opção é a mais indicada.

– Quem se interessar (e tiver coragem – pq é muito frio!), além do passeio de barco, é possivel práticar alguns esportes aquáticos como, caiaque, jet ski, windsurf, entre outros.

IMG_1793

Por tudo que pesquisei, o vilarejo mais bem preparado pra receber os turistas é Balloch, mas Ardlui, Balmaha, Luss (considerada o vilarejo mais pitoresco da região), Rowardennan (pra quem for escalar o Ben Lomond) e Target (tem outra estação de trem) podem entrar como opções alternativas.

Gastos (valores de setembro de 2014): Como sempre me pedem pra colocar os preços (e eu lembrei de anotar), o valor da passagem de trem ficou em 8,00 libras (ida e volta) e o passeio de barco (tour de 1 hora) eu paguei 9,80 libras. Recomendo muito esse passeio, vale muito a pena!

Bruna Bartolamei
Siga-me

Bruna Bartolamei

Catarinense, mas atualmente morando em Curitiba-PR. Já morou em Edimburgo, a capital da Escócia por quase 2 anos. Criou o blog pra contar um pouco mais sobre como foi o seu intercâmbio na terra dos Kilts e das Gaitas de Fole, e também, sobre suas viagens pelo mundo.
Bruna Bartolamei
Siga-me
Postado em Escócia, Loch Lomond
Booking.com
  1. Gabrielle 22/07/2015 | 18:33

    OI,Bruna, Boa noite!
    Gostaria de uma opinião sua. Estarei saindo de Glasgow rumo a Fort Willina e estou na dúvida de qual caminho seria o mais bonito: passando por Stiling e Callander ou passando pelo Lomond loch e Oban.
    Obrigada

    • Contando as Horas 30/07/2015 | 17:13

      Oi, Gabrielle

      Dificil escolher, mas assim, essas cidades não ficam exatamente no caminho entre Glasgow e Fort William, vc vai ter que fazer um pequeno desvio para conhecê-las.

      Em Oban vc pretende ficar alguns dias ou seria só passar pela cidade? Callender eu ainda nao fui, mas Stirling é uma cidade beeeem pequena. Vc prefere ver paisagens, castelos…?!?!?

Deixe o seu comentário...