11.01
2015

Ushuaia: Um dia de caminhada pelo Parque Nacional Tierra del Fuego

Para o nosso segundo dia em Ushuaia eu tinha reservado para irmos ao Parque Nacional Tierra del Fuego.

Ele fica a 11 km do centro de Ushuaia e para ir até lá existem diversas formas, como por exemplo: alugando um carro, com uma empresa turística ou com o trem do fim do mundo. Nós optamos por reservar um tour com essa agência de turismo local por dois motivos:

SONY DSC

1) O acompanhamento de um guia durante todo o percurso;

2) Número reduzido de pessoas no tour, eramos apenas em 4 pessoas (com capacidade máxima de 5 pessoas). 

IMG_4912

Primeiramente nos estavamos certos de que iriamos encarar o desafio de caminhar sozinhos pelo parque. Mas bastou uma pesquisa na internet mais aprofundada pra ter a real dimensão do tamanho do parque e de que seria impossivel a gente fazer tudo o que queriamos caminhando sozinhos por lá.

SONY DSC

Ruta Nacional 3

Foi ai que resolvi procurar por alguma recomendação de empresa ou de um guia particular pra nos auxiliar nessa jornada. Durante minhas buscas, acabei encontrando a empresa Tierra, que oferecia exatamente o que estavamos procurando: uma excursão com poucas pessoas, com um guia e que oferecesse um roteiro pelas áreas mais importantes do parque.

parque nacional tierra del fuego

Legenda: (A) Parque Nacional Tierra del Fuego

O Parque Nacional Tierra del Fuego, como o próprio nome já indica, esta localizado na provincia da Tierra del Fuego e é completamente acessivel desde Ushuaia. A ruta 3 atravessa o parque por completo e termina dentro do próprio parque nacional. Devido a isso, um passeio pelo parque se torna muito mais agradavel, pq as distancias maiores podemos percorrer de carro e deixar pra caminhar apenas nas áreas de maior interesse.

SONY DSC

No total, o parque tem quatro trilhas principais enumeradas de 1 até 4. Algumas trilhas são pequenas, outras são mais demoradas. Algumas tem grau de dificuldade facil, outras medio e dificil. Dentro dessas quatro trilhas principais existem trilhas menores também, claro.

IMG_4936

Dependendo da trilha escolhida, vai ser possivel caminhar no meio da floresta fechada, nas margens de pequenos rios, nos arredores de lagos e tudo isso acompanhado das montanhas que fazem parte da Cordilheira dos Andes. Já imaginou o cenário?!? Coisa de cinema!

Nossa caminhada começou pela região que é considerada a mais procurada do parque, pois fica entre os lagos Negro, Roca e Lapataia.

SONY DSC

Nossa primeira parada foi no pequeno lago chamado de Laguna Verde, que ao chegar lá a gente já entende pq ela recebeu esse nome. O cenário é muito bonito, rodeado de montanhas com neve no topo. Pra apreciar melhor a beleza do lugar, existe um mirante de onde é possivel ter uma boa visão de todo o local.

SONY DSC

SONY DSC

Depois disso nos enfiamos mata a dentro e caminhamos por algum tempo por uma mata fechada até chegar no mirador Lapataia, a região mais visitada do parque. Motivo? É onde fica um mirador de onde se tem uma boa visão de parque do Lago Lapataia e também, logo ali pertinho, é onde termina a ruta nacional 3, uma das principais rodovias do país, pois ela cruza a Argentina inteira.

SONY DSC

SONY DSC

SONY DSC

SONY DSC

Onde tem o ônibus é o final da Ruta Nacional 3

É exatamente nesse local onde todo mundo garante uma das fotos mais populares do parque, que é tirada junto a placa que indica que ali termina a ruta nacional 3.

SONY DSC

SONY DSC

SONY DSC

IMG_4930

Caminhando pela floresta, o guia nos mostra diversos tipos de plantas encontrados ali. Também vimos uma especie de indicador de pureza do ar natural que cresce no tronco das árvores e parece uma barba de velho (na cor verde). Também vimos indicios de alguns animais no parque, como por exemplo, pegadas de raposa. E ainda, tivemos a sorte de conseguir ver um pica pau de longe. Coisa mais liiinda!!!

SONY DSC

SONY DSC

Durante a caminhada de volta para onde estava estacionado o jipe, ainda passamos por arvores de lenga (nativa dessa região mais fria do planeta) e ainda por uma enorme castoreira, obra de depredação dos castores fazendo com que muitas arvores tenham sido derrubadas, dando um aspecto de floresta macabra.

SONY DSC

Também passamos por uma extensa área coberta por turfa (turba em espanhol), que é mais ou menos uma grande area de decomposição de plantas com caracteristicas pantanosa. Segundo a estação do ano, as cores podem variar. Nessa época em que estivemos lá, vimos elas adquirindo uma coloração meio laranjada.

SONY DSC

De volta ao jipe, seguimos pela ruta nacional 3 para outra região do parque próximo ao Lago Roca. Caminhamos um tempo pelas margens desse lago, onde pudemos ficar um tempinho sozinhos, sem a presença do guia que seguiu de carro pra nos encontrar logo adiante.

SONY DSC

O lago Roca, também é conhecido por Acigami, é um lago enooorme de origem glacial. O lago é dividido entre Chile e a Argentina, sendo que uma parte menor pertence aos argentinos.

SONY DSC

Nos tivemos tempo suficiente pra caminhar sempre pressa, fotografar a paisagem, formada principalmente pelo Cerro Condor, a montanha mais imponente da região.

SONY DSC

No local marcado pra encontrar o guia tinha alguns restaurantes e banheiros, mas nós não ficamos muito tempo por ali e logo seguimos pra ultima parte do passeio: uma caminhada pelas margens do Lago Lapataia e uma visita a Baia Ensenada, onde pegamos um barco pra visitar a ilha Redonda.

SONY DSC

A trilha por dentro da floresta até chegar as margens do Lago Lapataia era mais complicadinha um pouco, cheio de subidas e descidas, mas nada impossivel de encarar.

SONY DSC

E por fim, terminamos o passeio na Baia Ensenada. A Baia Ensenada é onde fica a agência de correio mais ao fim do mundo. Quem quiser, pode pegar um carimbo no passaporte e ainda, claro, mandar um cartão postal (existem varios a venda lá) pra algum parente ou amigo.

SONY DSC

Ficamos um tempo ali aguardando o barco que nos levaria a Ilha Redonda chegar. Aproveitamos pra comer alguma coisa rápida, pq a fome já era grande.

SONY DSC

Ilha Redonda a esquerda

Quando o barquinho chegou, levamos uns 5 minutos até chegar a ilha, onde fomos direto a uma cabana almoçar. A empresa mesmo forneceu o almoço, que era um sanduiche de presunto e queijo acompanhado de vinho argentino (claro!).

SONY DSC

Logo após o almoço, tivemos um tempo livre pra explorar a ilha. A ilha tem duas trilhas, uma que leva em direção ao seu interior e outra que vai para uma parte alta a beira mar. Optamos por seguir a trilha dois, mais curta, mas que nos pareceu que ofereceria uma vista melhor do Parque Nacional.

SONY DSC

Pra nos acompanhar nessa jornada, apareceram dois cachorros pertencentes aos donos do barco que fazem esse passeio. Eles que nos mostraram o caminho e nos levaram até o alto da pequena montanha. Claro que o trajeto é todo marcado, impossível se perder, mas até eu que não gosto de cachorros, gostei que eles foram parceiros e nos acompanharam nessa caminhada.

IMG_4944

SONY DSC

E por fim, voltamos a Baia Ensenada e pegamos o trajeto de volta para Ushuaia.

Esse passeio dura o dia todo, portanto, o guia passou nos pegar no hotel bem cedo e nos deixou no centro da cidade por volta das 17:00 pq nós pedimos (mas o certo seria ele nos deixar no hotel).

SONY DSC

No geral, eu gostei bastante do passeio. Achei as paisagens bonitas. A presença do guia foi essencial pra que a gente aproveitasse melhor o passeio, evitando perder tempo com trilhas desnecessarias. Além disso, nosso guia entendia muito da fauna e flora da região. Ele nos deu uma verdadeira aula de botanica (principalmente) durante o passeio, pois conhecia tooooodas as especies de plantas. Guia nota 10!

SONY DSC

É necessário pagar pra visitar o Parque Nacional Tierra del Fuego. O valor para residentes do Mercosul é menor do que a tarifa cobrada para visitantes estrangeiros. Nos pagamos 100 pesos por pessoa (mais ou menos 8,00 dólares) por apresentarmos os nossos passaportes do Brasil.

SONY DSC

Obs.: Existem diversas agências de turismo em Ushuaia que oferecem o passeio até o Parque Nacional no Trem do Fim do Mundo. O passeio leva um pouco mais de 1 hora pra percorrer 8 km. Nós optamos por não fazer, principalmente pq eu li diversas pessoas falando que o trem andava muuuito devagar e que não valia a pena perder duas horas (ida e volta) sentado no trem. Na duvida, preferimos deixar de fora.

** Se você gostou das dicas desse blog e quiser dar uma força reservando passeios em Ushuaia (ou especificamente a Caminhada pelo Parque Nacional Tierra del Fuego) através de uma empresa parceira do blog, aArgentina 4u, para iniciar as pesquisas, é só clicar nos respectivos links em vermelho. Obrigada!!! **

** Importante: Ao reservar um passeio com empresa Argentina 4u através de algum link deste post, será repassado uma comissão ao blog Contando as Horas **

** Não sabe como utilizar o site da Argentina 4u? Aqui vai um post bem detalhado sobre como escolher e reservar um passeio. **

** Precisando de hotel em Ushuaia? Inicie as pesquisas aqui.

** Precisando de seguro viagem? Inicie as pesquisas aqui.

Se você gostou das dicas, ao reservar hospedagem e seguro viagem aqui pelo blog, nós ganhamos uma pequena comissão, mas você não paga nada a mais por isso. Obrigada! :D

Posts relacionados:

Todos os posts sobre Bariloche

Todos os posts sobre Buenos Aires

Todos os posts sobre El Calafate

Todos os posts sobre Ushuaia

Todos os posts sobre Villa La Angostura

Siga o Blog Contando as Horas nas redes sociais:

no Instagram: @brunabartolamei

e curta nossa fanpage no Facebook: facebook.com/ContandoAsHoras

Bruna Bartolamei
Siga-me

Bruna Bartolamei

Catarinense, mas atualmente morando em Curitiba-PR. Já morou em Edimburgo, a capital da Escócia por quase 2 anos. Criou o blog pra contar um pouco mais sobre como foi o seu intercâmbio na terra dos Kilts e das Gaitas de Fole, e também, sobre suas viagens pelo mundo.
Bruna Bartolamei
Siga-me
Postado em Argentina, Ushuaia
Booking.com
  1. Anderson Dezan 23/08/2015 | 12:47

    Oi Bruna, tudo bem? Qual foi a empresa que você contratou para o passeio guiado pelo parque? Obrigado!

    • Contando as Horas 25/08/2015 | 13:35

      Oi, Anderson

      O link do site da empresa está no texto, bem la no comecinho, em vermelho. Dá uma olhada!

      • Anderson Dezan 27/08/2015 | 09:14

        Oi Bruna! Ou estou com problema no navegador ou o site está com bug… Para mim aparece apenas isso: ‘Nós optamos por reservar um tour com essa agência de turismo local por dois motivos:’ – Não tem a parte em vermelho… De qualquer forma, me indicaram a Tierra Turismo, que faz um passeio bem parecido com o seu trajeto.

        • Contando as Horas 27/08/2015 | 15:16

          Oi, Anderson

          Aqui o blog tá normal. Mas vou te colar a parte do texto. Por coincidência, é essa mesma empresa que te indicaram.

          “Foi ai que resolvi procurar por alguma recomendação de empresa ou de um guia particular pra nos auxiliar nessa jornada. Durante minhas buscas, acabei encontrando a empresa Tierra, que oferecia exatamente o que estavamos procurando: uma excursão com poucas pessoas, com um guia e que oferecesse um roteiro pelas áreas mais importantes do parque.”

          =DD

          • Anderson Dezan 11/09/2015 | 08:03

            Muito obrigado! ;)

  2. Matheus 31/08/2015 | 08:21

    Olá, Bruna! Parabéns pelo blog. Você se lembra do preço pago por pessoa para realizar esse passeio no Parque Nacional? Mandei e-mail para o receptivo indicado, mas ainda não obtive retorno.

    • Contando as Horas 31/08/2015 | 11:56

      Oi, Matheus

      Fui olhar meus emails, mas ja deletei todos. Não lembro mais o valor que foi pago. Lembro que eles não demoravam muito pra responder.

      Vou ficar te devendo essa info!

  3. Wilson 20/12/2015 | 02:33

    Oi Bruna.
    Muito obrigado por disponibilizar seu diário de viagem aqui.Foi de grande valia para montar o meu roteiro. Parabéns. Grande abraço.

    • Contando as Horas 20/12/2015 | 16:56

      Oi, Wilson

      Obrigada!! Fico feliz que o blog tenha te ajudado!
      Obrigada pela visita aqui no blog! =D

  4. Lane 06/02/2016 | 04:34

    Olá.
    Qual foi a data da sua viagem nesta cidade? Vc lembra qual o horário do pôr do sol (início da noite)? É verdade que chega a ter 17 horas de sol no verão dez/jan? Preciso desses dados pra uma pesquisa e se puder me responder obrigada desde já.

Deixe o seu comentário...