28.02
2013

Caribe, uma semana – O que levar na mala

Continuando a série “O que levar na mala“, achei que seria interessante escrever um post sobre como foi a minha experiência em arrumar a minha mala pra passar uma semana em Barbados, que aconteceu durante esse ultimo Carnaval.

Seguindo a mesma linha de raciocinio da minha ultima viagem a Europa, em outubro do ano passado, eu resolvi levar uma mala que se enquadraria facilmente como bagagem de mão, se não fosse pelo bronzeadores, eu poderia ter levado ela na cabine comigo, sem despachar.

mala 1_952x768

Dessa vez, peguei uma mala com rodinhas 360 graus e minha gente, que alivio! Acho que nunca mais vou trocar essa mala por outra qualquer (vou ter que abandonar minha malinha roxinha pelo visto!).

O voo da GOL para Barbados tem frequencia de uma vez por semana, ou seja, os voos saem sempre em um sábado e no sábado seguinte retornam. Então, fiquei exatamente 7 dias em solo Bajan e para isso, precisei pensar exatamente em tudo o que iria levar, pra não ficar carregando tralhas extras e não sair de casa com a mala já explodindo.

Basicamente o que levei para essa viagem foi:

– 4 biquinis, 1 toalha de praia grande e 1 menor, 5 bronzeadores (sobrou apenas um inteiro), óculos de sol e um boné (que peguei emprestado do meu irmão);

– 2 vestidos pra usar no dia-a-dia, 1 saia basica azul e 4 blusinhas de regata;

– 2 chinelos havaianas e uma sapatilha;

c2

– 1 toalha de banho, pijama, roupas intimas e a necessaire com shampoo, sabonete, pasta e escova de dente, corretivo, uma sombra bem light (rosinha) e rimel;

– 1 calça jeans, 1 blusa de manga e uma casaquinho (que foram as roupas que fui usando tanto na ida como na volta);

– 1 bolsa que comprei especialmente pra essa viagem, que se enquadrasse dentro do padrão “usar no dia-a-dia” e “usar também como bolsa pra ir à praia”. Comprei uma bolsa da Kipling modelo Cicely cor preta. Então, na bolsa eu levei as duas máquinas fotograficas (a “normal” e a prova d’água), os carregadores, documentos (passaporte, certificado internacional contra febre amarela e seguro saúde), dinheiro e o celular. Inclusive todas as vezes que fui a praia, levei as duas toalhas e elas couberam direitinho dentro da bolsa.

b2

O que achei que valeu a pena ter levado: tudo!

O que poderia ter levado a mais: talvez uma saia a mais pra usar na praia e uma bermuda para usar nos passeios fora da praia. Como venta muito naquela ilha (como esperado), nos passeios fora da praia eu tinha que ficar me preocupando com a minha saia, tinha sempre que ficar segurando pra ela não levantar voo.

O que pode ser levado também: como meu objetivo não era sair a noite, ir em baladas e nada desse tipo, eu não levei roupas “mais arrumadinhas” pra sair, então, se alguém considerar essa hipotese, é bom separar alguma coisa pra esse tipo de programa.

No geral, como o clima nessa época de estação seca não tende a mudar muito e nem a chover (e consequentemente esfriar), foi bem tranquilo viajar com essas roupas que levei. Se eu tivesse levado mais coisas, certamente não iria (ter tempo de) usar. Enfim, achei que por ser minha primeira viagem ao Caribe, minha mala ficou “bem arrumadinha”.

Bruna Bartolamei
Siga-me

Bruna Bartolamei

Catarinense, mas atualmente morando em Curitiba-PR. Já morou em Edimburgo, a capital da Escócia por quase 2 anos. Criou o blog pra contar um pouco mais sobre como foi o seu intercâmbio na terra dos Kilts e das Gaitas de Fole, e também, sobre suas viagens pelo mundo.
Bruna Bartolamei
Siga-me
Postado em Dicas de Viagem
Booking.com
  1. turista ocasional 28/02/2013 | 06:20

    Olá Bruna!

    Malas com rodinhas que giram 360 graus são mesmo muito praticas para transportar. Também estou totalmente rendida às mesmas.

    Eu sou daquele tipo que faz uma lista de todas as pecas a colocar na mala e o que é para combinar com o que… Para o meu três palmos, porque esta na idade do “usa um dia e tem que ir para lavar”, levo uma roupa dos pés à cabeça para cada dia. Comigo tirando ligeiras diferenças procuro levar roupa diversificada e para o meu marido também. Por isso já viu como é difícil caber tudo numa mala tamanho XXS.

    Mas eu admito que sempre fui fã de malas grandes e que levo sempre muito mais do que efectivamente preciso. Agora, com as restrições de peso por mala nas viagens de avião, reconheço que tive que comprar malas mais pequenas e procurar ser mais equilibrada e racional na altura de encher a mala ;-)

    Tenho uma amiga que é grande fã das bolsas, bolsinhas e mochilas Kippling e tem uma colecção delas, algumas das quais com o imprescindível macaquinho.

    Beijinho

    • Bruna 06/03/2013 | 02:50

      Oi Turista,

      Realmente não é muito fácil viajar com uma malinha pequena, ainda mais quando faz frio, mas nessa viagem a Barbados foi beeem tranquila, já q a maioria das roupas eram leves.

      A mala de rodinha 360 graus foi a invençäo do milenio hehehe Nossa, já aposentei a minha outra malinha.

      Tu sabe q eu nunca tinha comprado nada dessa marca (Kipling) até então, mas essa bolsa foi bem pratica e eu consegui levar toalha, bronzeador, oculos de sol, boné, garrafa de agua de 1 litro e mais algumas coisinhas e a bolsa ficou bem tranquila. Gostei bastante! O material dela tbm é muito bom, ja q mesmo quando molha, ela seca bem rapido!

      ;)

  2. Michelle Mendes 01/02/2015 | 21:23

    Olá, primeiramente quero dizer que gostei muito do seu blog! Vou viajar pela primeira vez para fora do brasil, e o destino será Cancun. Percebi que vc comentou sobre o certificado de vacina. Quero saber quando isso é necessário e para quais lugares é exigido. Abraço.

Deixe o seu comentário...