10.11
2013

Itália: 8 passeios imperdíveis na região da Emília Romanha

Seria necessário ficar hospedado pelo menos um mês em Bolonha pra poder aproveitar com calma tudo o que a cidade e a região da Emília Romanha oferecem. Mas como isso não foi possível e eu tive “apenas” uma semana, além de conhecer um pouco de Bolonha, eu também aproveitei pra conhecer outros lugares interessantes dessa região.

♣♣ Carpigiani Gelato University, a primeira universidade do sorvete do mundo ♣♣

Um dos passeios que eu mais queria fazer na Itália era conhecer a Gelato University, a primeira universidade do sorvete do mundo! Além de ver um pouquinho das instalações da universidade, também aprendemos um pouco mais sobre um autêntico gelato italiano, fazemos degustação e visitamos o museu do Gelato.

gelato 2_1200x798

gelato 14_1200x900

Existem dois horários para fazer o tour, as 12:30 e as 15:30, que leva mais ou menos uma hora.

gelato 11_1200x900

gelato 23_1200x869

A Gelato University não fica em Bolonha propriamente dita, fica na cidade vizinha de Anzola dell’Emilia, a 30 minutos de ônibus de Bolonha. O ônibus que vai até lá é o número 99, que sai de Bolonha em frente a Piazza XX Settembre (pro lado que tem a Porta Galliera) e ele nos deixa bem em frente a Gelato University.

gelato 18_1200x775

♣♣ Ferrara: A cidade do Castello Estense ♣♣

Ferrara é uma cidadezinha com 135 mil habitantes que fica a 30 km de Bolonha. A melhor forma de ir até lá é de trem, e dependendo do tipo de trem escolhido (regionale, regionale veloce ou os freccias) o tempo da viagem pode variar de 20 até 54 minutos. Eu optei por ir de regionale veloce e em menos de 30 minutos eu estava desembacando em Ferrara.

SONY DSC

Meu principal motivo de ir até Ferrara era pra conhecer o seu maior simbolo e cartão postal: o Castello Estense.

SONY DSC

Como o próprio nome do castelo já diz, tudo na cidade gira em torno da dinastia Este, que comandou a cidade por mais de 300 anos! Ferrara é o que é hoje em dia graças a Nicolò D’Este II, foi ele que literalmente fez com que Ferrara passasse a existir no mapa. E foi justamente durante o comando dos Este que o Castello Estense foi construído, claro.

ferrara 10_1169x900

Ele é um daqueles tipicos castelos que a gente sempre imaginou conhecer, com torres de vigilia e um fosso de água.

SONY DSC

O castelo levou mais de dois séculos pra ficar pronto, e como já era esperado, para que ele fosse construído, os Este elevaram os impostos, causando a ira da população mais pobre da cidade. Deixando os gastos de lado, hoje em dia o castelo é o maior orgulho da cidade e tem atraido muitos turistas também.

SONY DSC

A visita não leva mais do que 1 hora e durante esse tempo é possível conhecer e entender um pouco sobre a cidade, a dinastia Este e a importancia da cidade para a região. Mas de tudo o que visitei, o que mais gostei foi do ar medieval que o castelo ainda carrega. Também gostei de ver de perto uma maquete enorme do castelo que está logo no inicio da visita, algumas pinturas (principalmente as do teto) em diversas salas e a minuscula Capela Ducal.

IF

E ainda, pra quem tiver interesse, dá pra subir em uma das suas torres pra ver a cidade do alto. Infelizmente quando eu estive lá ela tava fechada pra reformas. Mas fica a dica então!

SONY DSC

♣♣ Parma ♣♣

Tá ai uma cidade que me surpreendeu.. Parma! Achei Parma um mix de Barcelona com Paris, com ruas largas, calçadas espaçosas e uma arquitetura muito parecida com o que vi em Paris. E até que eu não tava errada em pensar dessa forma. O guia que nos acompanhou desse day trip que fazia parte da programação do BlogVille, me disse a cidade sofreu forte influencia francesa mesmo, principalmente durante a época em que Napoleão Bonaparte esteve na cidade. A sua esposa, Maria Luisa, mais tarde chegou a ser Duquesa de Parma.

SONY DSC

Além disso, Parma acabou ficando mundiamente conhecida por ser sede da Barilla (marca de massas), da Parmalat, do queijo parmesão (que lá é chamado de Parmigiano-Reggiano) e o Presunto de Parma (Prosciutto di Parma). Mas Parma, com toda a certeza, vai muito além disso!

SONY DSC

Mesmo com todas essas tentações da culinária local, nos conseguimos percorrer a pé boa parte do centrinho da cidade, que é onde estão as suas principais atrações.

SONY DSC

O primeiro lugar que visitamos foi o Palazzo della Pilotta, que abriga uma série de coisas, como museus, galerias, biblioteca e um teatro, o Teatro Farnese. O Teatro Farnese tem um estilo totalmente diferente dos teatros que a gente está acostumado a ver na Europa. Ele é todo feito de madeira. Por ter sofrido com ataques durante as guerras, ele precisou ser reconstruido. Pouquíssimas apresentações ainda acontecem ali (o guia disse que um ou duas por ano), por questões de segurança, já que a estrutura esta bem ultrapassada.

SONY DSC

SONY DSC

Para ir até a Piazza Garibaldi, a principal praça da cidade, nos passamos pelo Teatro Regio di Parma que é a principal casa de espetaculos da cidade. É onde acontece todos os anos o Festival Giuseppe Verdi (que vai de 30 de setembro a 31 de outubro).

SONY DSC

parma 1_1095x900

Na Piazza Garibaldi é onde está o Palazzo del Governatore, famoso por seu relógio astronomico na fachada, e o Palazzo del Municipio, sede da prefeitura de Parma.

SONY DSC

Além disso, pelo caminho também vimos diversas lojas com fachadas charmosinhas e muitos e muitos cafés e restaurantes sofisticados.

SONY DSC

SONY DSC

Também visitamos o Duomo di Parma, onde o grande destaque fica por conta de um afresco na sua cúpula, pintado por Correggio e o Batistério, que na minha opinião tem uma decoração interna muito mais bonita e original.

SONY DSC

♣♣ Busseto e Roncole, as cidades relacionadas a Giuseppe Verdi ♣♣

Hoje em dia é possível visitar essas duas cidades pra saber mais sobre a vida de um dos maiores compositores de óperas da Itália, Giuseppe Verdi. Ele nasceu em Roncole em 10 de outubro de 1813, mas morou boa parte da sua vida em Busseto antes de se mudar para Milão.

SONY DSC

IF

Em Busseto, há uma enorme estátua homenageando Verdi bem no centro da pracinha principal da cidade. Ali perto, é onde fica o Teatro Verdi, construido em homenagem ao seu morador mais ilustre.

SONY DSC

SONY DSC

Do outro lado da praça fica a Casa Barezzi, onde morou Antonio Barezzi, quem foi quem deu o empurrãozinho que Giuseppe Verdi precisava para ser famoso. Hoje em dia o local foi transformado em museu, contando e mostrando alguns documentos e objetos que pertenceram a Verdi.

SONY DSC

SONY DSC

Um lugar que eu não poderia deixar de mencionar, foi o lugar onde nos almoçamos, a Salsamenteria Baratta, local também frequentado por Giuseppe Verdi quando morava na cidade. Mas o mais legal ali, além da comida que é de primeira, são os objetos, fotos e partituras de musicas de Verdi decorando o ambiente. Sem falar que a trilha sonora do almoço ficou por conta de Verdi, claro!

IF

verdi 7_1200x876

verdi 12_1200x851

Um pouco mais adiante fica o Museu Nacional Giuseppe Verdi, onde 27 operas de Verdi são representadas através de pinturas históricas. Também tem uma lojinha que vende bastante coisa relacionada a Verdi.

SONY DSC

verdi 31_1200x837

E por fim, nosso tour terminou em Roncole, na casa onde nasceu Giuseppe Verdi a 200 anos atrás. A casa é bem simples, visto que a familia de Verdi também era. Dentro do museu é possível visitar o quarto que pertenceu a Giuseppe Verdi.

SONY DSC

♣♣ Torrechiara ♣♣

Torrechiara é um vilarejo localizado bem próximo a Parma. A cidadezinha ficou conhecida por causa do seu castelo, o Castello di Torrechiara, um dos mais bem preservados da região. Mas ultimamente, também tem entrado na rota turística por causa do Festival do Presunto de Parma.

SONY DSC

SONY DSC

O dia que estive lá com o pessoal do BlogVille, nos visitamos o castelo e participamos do festival.

SONY DSC

O Castelo está localizado numa colina, e além de estar super bem preservado (da pra ver algumas pinturas e afrescos), lá do alto se tem uma das melhores vistas da região e de seus vinhedos.

SONY DSC

Já o festival, acontece na pracinha perto da entrada que dá acesso ao castelo, sempre no mês de setembro. Esse ano, foi a XVI edição do festival. Além de encontrarmos presunto de Parma e outros tipos de presunto, também é possível provar outros produtos da região, como queijos, vinhos, entre outros.

t3_1200x810

t6_1200x900

t7_1200x900

t9_955x900

Foto: @n_montemaggi

♣♣ Fábrica de queijo parmigiano reggiano, mais conhecido como queijo parmesão ♣♣

Existe alguma pessoa nesse mundão que não goste de um queijo parmesão? Eu não conheço!

SONY DSC

SONY DSC

O dia em que fomos conhecer essa fábrica de queijo parmesão, eu tava com o pessoal que fazia parte do BlogVille. Essa fábrica que visitamos fica nos arredores de Parma.

SONY DSC

Pra quem não sabe, existem dois tipos de queijo parmesão: o parmigiano reggiano e o grana (de qualidade inferior), digamos assim, basicamente o grana é o parmigiano reggiano que não deu certo.

SONY DSC

O tour foi bem rapidinho, coisa de uns 30 ou 40 minutos. Nesse tempo, o dono da fábrica nos mostrou as instalações e explicou de uma forma bem simplificada como é todo o processo de produção desse queijo, um dos mais populares do país.

SONY DSC

Uma das coisas que fiquei mais impressionada foi com todo o cuidado que eles tem, desde a alimentação das vacas, até o controle de qualidade. É muito importante procurar pelo selo DOP (que vai estar impresso na casca do queijo) pra ter certeza de que está provando o verdadeiro Parmigiano Reggiano.

SONY DSC

♣♣ Fábrica de presunto de Parma ♣♣

E pra quem já tinha visitado uma fábrica de queijo parmesão, pq não visitar uma fábrica de outro produto famoso da região?! Foi isso que nos fizemos!

SONY DSC

O Presunto de Parma não é feito na cidade de Parma propriamente dita, e sim em Langhirano, um vilarejo que fica a uns 15 – 20 km de Parma. A produção acontece em maior parte de forma artesanal, apenas são usadas máquinas na recepção para fazer o corte dos suínos. Depois disso, é só salgar a carne de forma correta por duas vezes, respeitando a quantidade e o tempo correto e deixar maturar.

SONY DSC

Na verdade, não foi possível visitar a parte de produção por questão de higiene, então, o guia apenas foi contando como era essa parte da produção enquanto a gente caminhava no setor de armazenamento do produto.

SONY DSC

Literalmente a gente entrou em uma camara resfriada onde haviam milhares de corredores com peças (seria esse o nome correto?) de presuntos de Parma. O dono da fábrica nos explicou que o presunto de parma é feito com carne de porco engordado com o soro restante da produção do queijo parmesão. E a peça de presunto é temperada apenas com sal e um pouquinho de pimenta.  Depois do processo de produção, os presuntos são curados e envelhecidos ali por até 10 meses, até que eles são transportados para outro setor de armazenamento antes de serem vendidos para o consumidor final.

SONY DSC

p9_1200x853

Assim como o queijo Parmigiano Reggiano, o Prosciutto di Parma (presunto de Parma) também tem um controle bem rigoso. É importante perceber que um verdadeiro Presunto de Parma tem marcado uma coroa amarela de cinco pontas, o simbolo do antigo Ducado de Parma.

SONY DSC

Não teve um único dia que eu não tenha comido o tal prosciutto di Parma!! E realmente, é muito bom!

♣♣ Modena, a cidade dos motores, da música e do vinagre balsâmico ♣♣

Modena é uma cidade super pequena (com 180 mil habitantes) que fica a 40 km de Bolonha. A melhor forma de ir até lá é de trem, o trajeto leva apenas 20 minutos.

SONY DSC

Pra quem não sabe, Modena é a cidade onde nasceu o tenor Luciano Pavarotti e o fundador da Ferrari, Enzo Ferrari. Além disso, a cidade também se destaca pela produção de Aceto Balsamico (Acetato Balsamico Tradizionale di Modena), mais conhecido por nós brasileiros como Vinagre Balsâmico. Mas Modena também é onde ficam as fábricas de alguns dos automovéis/motos mais desejados do mundo: Ferrari, Lamborghini e  Maserati.

SONY DSC

Modena é uma daquelas cidades que podem ser facilmente visitadas em um dia. Para ir da estação central até a Piazza Grande, o trajeto leva mais ou menos uns 20 minutos caminhando. A Piazza Grande é a principal praça da cidade e é onde estão o Duomo e a Torre Ghirlandina. Bem perto dali, está o Palazzo Ducale, atual sede da Academia Militar de Modena.

SONY DSC

SONY DSC

SONY DSC

Antes de voltar a estação, ainda é possível visitar o mais novo museu da região (que abriu suas portas em março de 2012), o MEF – Museu Casa Enzo Ferrari, que é dividido em duas partes: a oficina mecanica Alfredo Ferrari (que conta um pouco sobre a vida de Enzo Ferrari atraves de fotos e videos) e a Exhibition Gallery (no geral, mostra troféus, carros de F1 e algumas curiosidades sobre a Ferrari).

SONY DSC

E pra quem for realmente louco por Ferraris, ainda é possível visitar o outro museu, o Museu Galeria Ferrari e a pista de teste Pista di Fiorano, ambos ficam em Maranello, a 18 km de Modena.

E ai, vai dizer que a região da Emilia Romanha não é interessantíssima?

Para saber mais sobre o Projeto BlogVille Emilia Romagna, é só clicar aqui.

Posts relacionados:

Voando Alitalia pela primeira vez

Dica de hospedagem em Bolonha: I Portici Hotel

Bolonha – A cidade dos pórticos

Fidenza Village: Outlet entre Bolonha e Milão

Trenitalia – A principal companhia ferroviária da Itália

Italo: O mais novo trem de alta velocidade da Itália

Sereníssima República de San Marino – O país mais antigo do mundo!

Bruna Bartolamei
Siga-me

Bruna Bartolamei

Catarinense, mas atualmente morando em Curitiba-PR. Já morou em Edimburgo, a capital da Escócia por quase 2 anos. Criou o blog pra contar um pouco mais sobre como foi o seu intercâmbio na terra dos Kilts e das Gaitas de Fole, e também, sobre suas viagens pelo mundo.
Bruna Bartolamei
Siga-me
Postado em Bolonha, Busseto, Ferrara, Itália, Modena, Parma
Booking.com
  1. Sueli Regina Módena 20/03/2014 | 20:48

    Olá Bruna Bartolamei!…….

    Adorei o seu blog, adoro a Itália meu sonho é conhecer, principalmente os castelos, e toda a historia ate mesmo de minha descendência.
    Se possivel mande algumas dicas de quanto você gastou nesta viagem, desde compra de passagem, hopedagem, qual o ramo que você trabalha, eu tenho família que mora ai no Sul.
    Bjos fique na paz.

    • Contando as Horas 21/03/2014 | 12:39

      Oi, Sueli

      Deixa eu ver o que eu lembro mais ou menos.. a passagem paguei em torno de 2 mil e poucos reais, já com hospedagem é muito relativo, pois depende muito do que vc leva em consideração (hotéis de categoria um pouco melhor, com mais conforto, localização), eu sempre prefiro hoteis com boa localização e que tenha certo conforto, então geralmente reservo hotéis que custam de 90,00 euros até 140,00 euros/dia. Mas existem opções mais baratas ou até mesmo hostels.
      Obrigada pela visita aqui no blog! =D

  2. ceciliatabarelLI 26/05/2014 | 19:29

    ADOREI SUA VIAGEM, GOSTARIA DE SABER SE VC. FOI EM EXCURÇÃO OU SOZINHA? PARABENS.

    • Contando as Horas 28/05/2014 | 00:37

      Oi, Cecilia

      Foi tudo sozinha, exceto Parma, Busseto e Torrechiara que fizemos de carro.

  3. Carlos Magno 26/06/2014 | 22:59

    Olá Bruna,

    Adorei o seu relato sobre a Emília Romanha. Muito bom mesmo, parabéns.
    Estou com viagem marcada para a Europa em setembro. Em 2012 estivemos na parte central da Itália, e agora vamos nos aventurar pelo norte. Sou apaixonado pela Itália e principalmente pelo Prosciutto di Parma. Gostaria de saber qual foi a fábrica de prosciutto que Você visitou e aonde fica?
    Obrigado
    Carlos Magno

    • Contando as Horas 28/06/2014 | 03:47

      Oi, Carlos

      Obrigada!! =D

      Essa fábrica que a gente foi fica próximo a Torrechiara e Parma, não lembro o nome de empresa, mas posso procurar e atualizo o comentário.

  4. priscila 04/11/2014 | 14:10

    Olá Bruna,
    Parabéns pelo blog. Sempre passo por aqui quando estou montando meus roteiros. Atualmente estou planejando uma viagem para a Itália e gostaria de saber se vc lembra os nomes ou contatos das fábricas de Presunto de Parma e do Parmigiano! Se puder compartilhar será ótimo!
    Obrigada! Bjs

    • Contando as Horas 05/11/2014 | 22:35

      Oi, Priscila

      Obrigada!! =DD

      Hummmm.. eu não sei se eles abrem para visita ao público ou se era só pra os participantes do projeto BlogVille, mas vou tentar me informar e volto a deixar aqui uma resposta.

      Obrigada pela visita aqui no blog!

  5. erica 11/07/2016 | 13:18

    Oi bruna, tb queria saber sobre a vita as fabricas de queijo, presunto e aceto balsamico para o público. obrigada.

    • Contando as Horas 12/07/2016 | 10:40

      Oi, Erica

      A fabrica de queijo é aberta ao publico. A de presunto de Parma eu não tenho certeza, mas acho que não, pois não vi movimentação de turistas e nem nada que indicasse ter visitas frequentes ali.

Deixe o seu comentário...