21.11
2013

Roteiro de 3 dias em Florença

Quem nunca sonhou em conhecer a região da Toscana que atire a primeira pedra! Além dessa região ser famosa por suas paisagens naturais e vinícolas, a sua capital também é imperdível! Florença pode até ter jeito de ser uma cidade grande mas, na realidade, depois desses dias que passei lá, ela é uma cidade super pequena e muito fácil de lidar.  É possível ir a todos (sem exceção) lugares a pé.

Dos quatro dias que reservei pra me hospedar lá, 3 dias inteiros eu fiquei na cidade e apenas um dia eu quis conhecer Siena e uma das milhares de vinicolas da região (tema pra um próximo post). E essa quantidade de dias eu achei excelente pra quem queria conhecer as suas principais atrações e passear tranquilamente pela cidade.

SONY DSC

Ponte Vecchio – um dos cartões postais de Florença!

Florença tem aeroporto e tem também tem estações de trem. Meu deslocamento interno durante essa viagem à Itália foi feito todo de trem, então eu apenas conheci a Estação Santa Maria Novella (também conhecida como Firenze S.M), que é a principal estação de trem da cidade e da região da Toscana. Como ela tem uma localização bem central, não precisei pegar nenhum tipo de transporte público (ônibus e tram) pra me deslocar por lá.

O meu roteiro pela cidade ficou distribuido assim:

Florença – Dia 01 (somente a tarde)

Meu roteiro não poderia ter começado melhor: na Piazza dela Signoria. Nem precisaria dizer que essa praça, além de ficar no coração da cidade, por si só já poderia ser considerada um excelente museu a céu aberto. As principais atrações dessa praça são o Palazzo Vecchio e as várias estátuas que estão em exibição ao ar livre, como por exemplo, a Fonte de Netuno, o Rapto das Sabinas, Hercules e Caco e a cópia da famosa estátua de Davi de Michelangelo.

SONY DSC

SONY DSC

A estátua de Davi de Michelangelo está localizada bem em frente a porta principal de acesso ao Palazzo Vecchio. O Palazzo Vecchio serviu durante anos como residência da família Médici, até eles se mudarem para o Palazzo Pitti, do outro lado do rio Arno. Foi nessa época também que o Grão Duque Cosme I mandou construir o Corredor Vasariano, que ligaria sua residência nova residência, o Palazzo Pitti, até o seu local de trabalho, o Palazzo Vecchio.

SONY DSC

SONY DSC

Hoje em dia o Palazzo Vecchio é a sede da prefeitura de Florença, mas também permite que algumas alas sejam visitadas, como por exemplo o famoso Salão dos Quinhentos (Salone dei Cinquecento), local de importantes reuniões. Os grandes destaques desse salão são as pinturas que retratam as batalhas vencidas por Florença diante de suas rivais, Siena e Pisa. Mais o teto é o que mais chama atenção, lá estão diversas pinturas feitas por Vasari. Ah, e sem esquecer da estátua esculpida em puro marmore, o Gênio da Vitoria, obra de Michelangelo.

SONY DSC

SONY DSC

SONY DSC

O dia não poderia ter terminado em outro lugar que não fosse na Ponte Vecchio, a ponte mais antiga e um dos maiores cartões postais da cidade. É, eu sei, quem olha essa ponte por fora, pode até dizer que ela não vale nada. Mas a história muda de figura quando a gente resolve atravessá-la.

SONY DSC

Antigamente a ponte abrigava uma série de peixarias e açougues, o que causava um enorme mau cheiro na região, já que os restos das mercadorias eram todas jogadas no rio. Pra acabar com esse problema, algum tempo depois esses comerciantes foram expulsos da ponte e o espaço foi alugado para ourives e joalheiros da região. Desde então, essa é uma das regiões mais nobres da cidade e é ali onde estão as melhores joalherias da cidade.

SONY DSC

Hoje em dia, a ponte também ficou bem popular por outro motivo. Com certeza, durante o fim do dia a ponte fica lotada de turistas, onde todos estão em busca de uma unica coisa: o melhor angulo para registrar o por do sol.

SONY DSC

SONY DSC

Florença – Dia 02 (dia todo)

Como eu já tinha sido alertada, a maioria das atrações de Florença estão sempre lotadas, então quanto mais cedo eu chegasse menor seria a muvuca. Comprei meu ticket pra visitar a Galleria degli Uffizi com antecedência (além do valor do ticket é necessário pagar uma taxa de 4,00 euros) e escolhi o horário das 08:30 da manhã.

SONY DSC

SONY DSC

Preciso deixar registrado que esse foi um dos lugares mais organizados que estive durante toda a minha viagem a Itália. A Uffizi tem três portas de acesso, sendo que uma é para trocar o voucher referente a compra pela internet, mas a entrada é feita por uma outra porta que fica em frente e outra porta pra quem vai comprar o ticket lá na hora (com uma fila gigaaaante as 08:30 da manhã!). Achei tudo muito bem sinalizado, o que facilitou muito o inicio da visita.

SONY DSC

A Galleria degli Uffizi é uma dos museus mais importantes de Florença e de toda a Itália. Antigamente servia de local de trabalho para os representantes da família Médici, mas hoje em dia, cada sala exibe a coleção de obras de artes acumulada por essa família estão em exibição.

SONY DSC

SONY DSC

Entre todas as obras que a gente pode ver, os grandes destaques ficam por conta do O Nascimento de Vênus, de Botticelli, Vênus de Urbino, de Ticiano e a Sagrada Família, de Michelangelo.

u2_1200x892

SONY DSC

SONY DSC

Na metade da visita à Galleria degli Uffizi, vai ter uma janela com essa vista!

No corredor estão em exibição centenas de estátuas, uma mais bonita que a outra. Mas sem duvida, a mais bonita de todas é a que fica perto do café e terraço com vista para o Palazzo Vecchio e o Duomo.

SONY DSC

A próxima parada foi fazer um tour pelo Corredor Vasariano (sim, é possível!!), que como o próprio nome já diz, é um corredor (totalmente decorado com obras de arte) que passa logo acima da Ponte Vecchio e que liga o Palazzo Vecchio diretamente ao Palazzo Pitti, do outro lado do rio Arno. Vasari teve a brilhante idéia de projetar esse corredor, pois os governantes da família Medici se recusavam a circular diariamente entre povo no trajeto do trabalho para casa.

SONY DSC

Corredor Vasariano, a parte que sai do Palazzo Vecchio

SONY DSC

O local é tão bem protegido, que não é permitido fotografar as obras de artes que estão em exposição ali, mas ao menos eles permitem fotos da parte exterior. Mas nem pense em fotografar dentro, mesmo que seja rapidinho e disfarçado, pq cada grupo é acompanhado de mais duas pessoas que ficam olhando tudo o que a gente faz enquanto o guia explica sobre as obras em exibição, pq elas foram parar ali, quais foram restauradas e danificadas durante as guerras, além de algumas curiosidades relacionadas a sua construção.

SONY DSC

SONY DSC

O tour é um pouco caro se comparado com o valor das entradas dos museus, mas vale muito a pena, tanto pelas obras, quanto pela vista diferenciada lá do alto da Ponte Vecchio! Fica a dica!

SONY DSC

Essas janelinhas enfileiradas no topo da Ponte Vecchio pertencem ao Corredor Vasariano

SONY DSC

A idéia inicial dessa minha programação era que o tour no Corredor Vasariano terminasse no Palazzo Pitti, mas devido as obras finais no corredor, não foi possível. Então, eu tive que voltar a Uffizi e atravessar a ponte Vecchio novamente pra ir até lá.

O Palazzo Pitti fica do outro lado do rio Arno. Iniciamente ele tinha sido projetado para ser a residência da família Pitti, uma das principais rivais da família Medici. Mas como os custos com as obras foram tão grandes e muito além do esperado, infelizmente os Pittis tiveram que vender o palácio para os Medici.

SONY DSC

De tudo que é possível conhecer ali, eu visitei apenas a Galleria Palatina, onde estão diversas obras de arte de Rafael, Ticiano, Caravaggio, Tintoretto que fazem parte da coleção dos Medicis e os Apartamentos Reais, com decoração e mobília super luxuosas.

SONY DSC

Queria ter ido também no Jardins Boboli, mas não dava mais tempo. Ao menos eu consegui ver ele através das janelas da Galleria Palatina.

SONY DSC

Florença – dia 03 (dia todo)

Se o dia anterior tinha sido o dia mais movimentado desse roteiro, em compensação esse foi o dia mais tranquilo. Eu aproveitei pra acordar um pouco mais tarde e caminhar pelas ruas do centrinho de Florença.

SONY DSC

SONY DSC

Aproveitei pra caminhar também pela Via Tuornabuoni, uma das mais luxuosas de Florença. É onde estão todas as lojas das grandes grifes italianas. Durante esse passeio, aproveitei pra almoçar no Procacci, um dos locais mais tradicionais da cidade.

SONY DSC

SONY DSC

SONY DSC

A tarde fui visitar o complexo do Duomo (Catedral, Batistério e o Campanário). A catedral de Florença, mais conhecido por Duomo de Florença, dispensa qualquer apresentação, pois além de ser a principal igreja da cidade, ainda é um dos principais cartões postais de Florença. Vale dizer que ela é muito mais bonita por fora do que por dentro. Todo aquele mármore branco, verde e rosa dão um toque bem diferenciado a ela.

SONY DSC

SONY DSC

SONY DSC

Quando estiver dentro da igreja, não deixe de reparar na cúpula, onde estão pinturas que representam o Juízo Final, obras de Vasari e a pintura Dante e a Divina Comédia, obra de Domenico di Michelino.

SONY DSC

SONY DSC

 A visita na catedral é gratuita, mas é preciso respeitar as regras com relação as roupas (bermudas, regatas e roupas muito decotadas), pq as pessoas são realmente barradas, eu presenciei uma cena dessas.

SONY DSC

Outro lugar que eu achei bem interessante de visitar é o Batistério di San Giovanni, que é a construção mais antiga desse complexo. Além de ter sido o local de batismo de Dante Allighieri, é um dos lugares mais bem decorados tanto por fora quanto por dentro.

SONY DSC

SONY DSC

Internamente a gente pode ver os mosaicos que representam cenas do Inferno de Dante, que fazem parte da Divina Comédia. Já na parte externa, os portões são ricamente decorados, em especial o Portão do Paraíso, com cenas do Velho Testamento, obra de Ghiberti. Mesmo esses portões sendo copias (pois as originais estão no Museo dell’Opera del Duomo), com certeza o trabalho impressiona.

SONY DSC

SONY DSC

SONY DSC

E por fim, mesmo com o pé machucado, eu não poderia deixar de subir no Campanile di Giotto, que é onde está o sino do Duomo. Dá pra subir até o topo dos seus 82 metros de altura.

a2_1187x900

SONY DSC

Eu optei por subir no campanário, pq além da subida ser bem tranquila (os degraus são bem largos e tem espaço suficiente para descansar enquanto as demais pessoas continuam subindo), a cúpula do Duomo sairia na foto.

SONY DSC

SONY DSC

A vista de Florença é de 360 graus e com certeza vale o empenho de subir seus 414 degraus, não acham?!?!?!

SONY DSC

SONY DSC

Obs.: dá pra comprar um ticket único que dá direito a todos esses lugares que visitei. Pra visitar a catedral é de graça, porém os outros lugares são pagos. As filas não são muito grandes pra comprar ingresso, mas pra não perder tempo com isso eu preferi comprar o ticket pela internet. É interessante verificar os horários de funcionamento de cada um desses lugares, pois não é iguais pra todos.

Florença – dia 04 (dia todo)

Meu ultimo dia em Florença também foi bem tranquilo. Aproveitei pra caminhar pelas margens do rio Arno no final da manhã e a tarde fui conhecer a Galeria dell’Accademia, a mais antiga escola de belas artes do mundo. Essa foi a primeira escola desse tipo criada na Europa que visava ensinar todas as técnicas relacionadas a pintura e esculturas.

d3_1200x715

Ao contrário do que eu imaginava, a visita é bem rapidinha, pois a galeria não é muito grande não. É altamente recomendado comprar o ingresso pela internet, pq a fila é enooooorme. Me deu até pena das pessoas esperando enquanto eu não precisei esperar nem 30 segundos para entrar.

As suas principais atrações, na minha opinião são: as obras de arte de pintores locais e as belíssimas esculturas, principalmente a impressionante estátua original, o Davi de Michelangelo.

d2_1200x900

A porta a esquerda é a entrada pra quem já comprou o ticket, repare que não existe fila!

Nem seria preciso dizer que o local mais disputado de toda a galeria é o salão onde está a estátua do Davi. E realmente, nessa hora, é importante ter paciência e percorrer todo o trajetinho que circunda toda a estátua, pq os detalhes são espetaculares!

Mas ai, a maioria das pessoas se perguntam… O Davi de Michelangelo não está na Piazza della Signoria? Sim, lá tem uma replica idêntica, porém feita em menor proporção, já que essa estátua que está na galeria é muito mais gigante!

d1_1200x900

Não é permitido fotografar, mas eu tive que dar um jeitinho!! Essa estátua é perfeita!

A galeria pode até ser pequena e a maioria das pessoas acham que não vale a pena ir até lá “só” pra ver a estátua original do Davi, mas eu discordo totalmente. Vale muito a pena ver uma obra dessas, sim!

SONY DSC

E antes de pegar o meu trem pra Roma, ainda tive tempo de dar uma passadinha rápida pela Igreja Santa Maria Novella, considerada uma das primeiras igrejas da cidade. O seu grande destaque fica por conta dos afrescos das capelas e os seus vitrais, que são verdadeiras obras de arte.

SONY DSC

SONY DSC

Esse foi o meu roteiro de 3 dias e meio em Florença. Claro que se eu quisesse fazer tudo em menos tempo seria possível, principalmente pq a maioria das grandes atrações (as mais disputadas) vendem tickets online, o que facilita e agiliza muito as visitas. A única coisa que ficou faltando eu conhecer foi a Piazzale Michelangelo, mas realmente o pé estava doendo muito e preferi não abusar, pq ainda faltava visitar Roma. Junto com Parma e Bolonha, Florença foi uma das cidades que mais gostei de conhecer na Itália e com certeza um dia quero voltar nem que seja por apenas um dia pra poder ver o por do sol lá do alto da Piazzale, claro!

Post atualizado em julho de 2014 por Raul Bartolamei:

Minha irmã não visitou, mas outra atração interessante de se conhecer em Florença é a Basílica di Santa Croce. Essa igreja franciscana começou a ser construída por volta do final do século 13 e está localizada no centro histórico da cidade, na Piazza di Santa Croce, aos “fundos” do Palazzo Vecchio, a uns cinco minutos de caminhada de distância. O complexo da igreja é formado pela igreja propriamente dita, seu campanário, diversas capelas, um claustro e um museu. Ao entrar na igreja, seu tamanho já impressiona, além de ser muito bem decorada e ter muitos monumentos.

IMG_2379

Os grandes destaques dessa igreja são:

– fachada de estilo neogótica é toda feita de mármore. É muito bonita e cheia de detalhes;

– torre do campanário também segue o estilo neogótico. Infelizmente não dá pra visitar;

IMG_2426

– é onde ficam os túmulos dos italianos Michelangelo, Maquiavel, Galileo Galilei, Rossini (que fez a ópera O Barbeiro de Sevilha), entre outros;

– pintura feita por Giotto na parede ao lado ao altar da Capela Bardi;

IMG_2424

– domo projetado por Brunelleschi na Capela de Pazzi, construído durante do século 15, que fica dentro do claustro.

– fábrica de produção de produtos de couro, que são vendidos na loja da igreja.

IMG_2428

Não sabíamos se essa igreja era tão visitada quanto o Duomo, então pra não arriscar a ficar perdendo tempo, compramos nossos ingressos pela internet através de uma agência de turismo italiana. Mas pra quem não quiser arriscar e comprar o ticket online, a fila tava pequena, não passava de umas 5 ou 6 pessoas. A entrada é feita pela lateral esquerda da basílica. A visita não leva mais do que 1 hora.

Posts relacionados:

Florença – Gallery Hotel Art

Florença: Gucci Museo Caffe e Procacci

Bolonha – A cidade dos pórticos

Fidenza Village: Outlet entre Bolonha e Milão

Itália: 8 passeios imperdíveis pela região da Emília Romanha

Lista com todos os posts sobre Milão

Italo: O mais novo trem de alta velocidade da Itália

Trenitalia – A principal companhia ferroviária da Itália

Bruna Bartolamei
Siga-me

Bruna Bartolamei

Catarinense, mas atualmente morando em Curitiba-PR. Já morou em Edimburgo, a capital da Escócia por quase 2 anos. Criou o blog pra contar um pouco mais sobre como foi o seu intercâmbio na terra dos Kilts e das Gaitas de Fole, e também, sobre suas viagens pelo mundo.
Bruna Bartolamei
Siga-me
Postado em Florença, Itália
Booking.com
  1. Jamile Andrade 25/11/2013 | 14:00

    Oi Bruna,

    Esse seu roteiro ficou excelente. Pena que não deu certo a visita ao jardim, me pareceu ser muito bonito. Tenho algumas perguntas, você me ajuda? Será que eles abrem esse jardim que você viu de longe no inverno? Essa Piazale fica perto de qual outra atração? Vale a pena ir até lá? Você comentou sobre uma taxa na hora de comprar o ingresso, lembra? Essa taxa existe em todas as atrações?

    Embarco daqui uns dias e essa será minha primeira vez na Itália. Estou ansiosíssima…. rsrs Você acha que tem chance de nevar em Florença? Se sim, cancelam os trens e fecham as atrações? Obrigada pela atenção

    • Contando as Horas 26/11/2013 | 22:00

      Oi, Jamile

      Eu tbm gostei bastante desse roteiro, deu pra fazer tudo com bastaaante calma.

      Vamos lá:
      – acho que abrem sim durante o inverno normalmente, eu nunca li nada a respeito falando ao contrário.
      – a Piazzale fica perto do Palácio Pitti, do outro lado do rio Arno. Eu imagino que vale a pena sim ir até la, apesar de eu não ter ido. Mas eu só deixei de ir pq meu pé tava doendo muuuito, senão eu teria ido com toda a certeza.
      – a maioria das atrações cobram essa taxa extra sim. E eu acho que vale a pena pagar 2,00 ou 4,00 euros a mais do que perder 2 ou 4 horas na fila. O tempo em uma viagem é muito precioso.
      – Não sei se costuma nevar em Florença, essa foi a minha primeira vez lá. Acho que se acontecer de nevar, os trens podem sofrer atrasos, mas cancelamentos só se o acumulo de neve for muito grande.

  2. Priscila 29/05/2014 | 16:42

    Muito bom o seu post, Bruna! Estou indo para a Itália em julho e vai me ajudar muito! Depois vou recomendar o seu relato lá no meu blog, quando eu for escrever o meu. :-) Obrigada! Bjos

    • Contando as Horas 01/06/2014 | 03:53

      Oi, Priscila

      Obrigadaaa!! =DD

      Legal! Me avisa quando o post for ao ar, por favor. Gosto de rever os lugares que visitei, principalmente os que gostei de conhecer!!

  3. Quezia pimenta 22/09/2014 | 17:43

    Ola Bruna! Estou indo para Italia 24/10 e passarei por Florença dois dias e meio, gostei de suas dicas e vou tentar adaptar ao tempo que tenho. Gostaria de saber como comprar os tickets para as entradas tanto em florença como em Roma, li seu post de Roma tambem. Se puder me ajudar agradeço imensamente!!!

    • Contando as Horas 23/09/2014 | 23:57

      Oi, Quezia

      Os sites dos lugares que comprei os tickets das atrações estão em destaque no post com a cor vermelha. Se vc clicar nessas palavras em vermelho, será direcionada aos lugares onde eu comprei meus tickets. Deu tudo certo!

      Obrigada pela visita aqui no blog! :D

  4. Maria Esther 30/09/2014 | 13:13

    Oi Bruna

    Estarei nesta bela cidade na semana de natal deste ano.
    Como será no inverno poderei aproveitar a cidade plenamente ?
    Penso em fazê-la de base para ir a Pisa, a Bologna, Sienna e como sou detalhista pretendo ficar ao menos umas 05 noites em Florença.
    Gosto de conhecer cidades históricas com muita calma!
    Atrações, museus, restaurantes ficam abertos ?
    Sabe a que horas o sol se põe nesta época? Sei que na França nesta época o dia escurece às 17 hs.

    Obrigada pela atenção

    Maria Esther

    • Contando as Horas 01/10/2014 | 00:37

      Oi, Maria Esther

      Eu acredito que vc não vai ter problema em aproveitar qualquer coisa por lá. A única coisa é que muito provavelmente vai estar muito frio. A maioria das atrações abrem, mas seria interessante vc verificar no site de cada lugar em especifico os dias 24 e 25 de dezembro. Geralmente no dia 24 de dezembro o horário pode ser reduzido e no dia 25 a grande maioria (se não tudo) pode estar fechado. Mas não sei te dizer ao certo o que abre e o que fecha nessas datas.

      O por do sol em Florença acontece entre 16:30 e 17:00 horas. Você pode confirmar essa info aqui:
      http://www.timeanddate.com/sun/italy/firenze?month=12

      Obrigada pela visita aqui no blog!

  5. Antonio Abreu 04/08/2015 | 22:12

    Gostei demais do blog. Obrigado.

  6. Double Trouble 29/12/2015 | 12:03

    Visitei a Toscana em 2014 e este blog foi uma preciosa ajuda. Continue com esse trabalho, Contando as Horas. Fantástico!

    Para quem ainda vai a Florença, também fiz post sobre a cidade no meu blog: http://doubletrouble.pt/tag/florenca/

    • Contando as Horas 29/12/2015 | 22:11

      Oi, Eduarda e Mariana

      Legal o blog de vcs, ainda não conhecia!
      Obrigada pela visita e comentário! =DD

  7. Thiago 30/03/2016 | 21:27

    Oi, Bruna.

    Gostei muito das suas dicas e interessei-me em particular pela visita do Corredor Vasariano, mas não consigo encontrar como comprar e reservar esse passeio antes de ir para lá.

    Você pode me dizer como você fez?

  8. Ana 01/05/2016 | 06:22

    Olá! Estou a planear a minha visita a Florença na semana que vem e encontrei um bilhete por 72€ (firenzecard), que dá acesso a 72 lugares diferentes, entre museus, jardins e igrejas! A minha questão é então: compensa comprar este cartão? Quanto gastou mais ou menos para fazer este roteiro que apresenta? Obrigada

    • Contando as Horas 06/05/2016 | 14:40

      Oi, Ana

      Pra vc saber se compensa ou não, vc deve listar todas as atrações que te interessam e somar os valores das entradas. Ai vc compara como o que o Firenze Card oferece e decide. Infelizmente não usei esse cartão, mas sempre que quero saber se compensa ou não, faço isso.

  9. ANNA KELLY COVACCI 05/09/2016 | 01:18

    OI Bruna!
    tentei comprar os ingressos para o corredor Vasari porém,no link que você informou, diz que esta fechado ao publico.
    sabe se esta info procede? tem algum outro site onde eu possa tentar comprar este ticket?

    Grata desde já!!!

Deixe o seu comentário...